rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Lula ONU União Africana Brasil Fome Zero FAO

Publicado em • Modificado em

Impedido de viajar à Cúpula da União Africana, Lula divulga vídeo denunciando “clima de terror” no Brasil

media
Frame do vídeo publicado em 27 de janeiro de 2018 pela página do ex-presidente Lula no Facebook. Reprodução Facebook

Em vídeo endereçado ao presidente da União Africana (AU, na sigla em inglês), Alpha Condé, ao primeiro-ministro da Etiópia, Haile Mariam Dessalegn, e a José Graziano, diretor-geral da FAO, a agência das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, divulgado neste sábado (27), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva agradece o convite da Cúpula da AU para participar de uma das mesas sobre o programa de erradicação na fome no continente africano, inspirado no Fome Zero, e faz declarações contundentes sobre a crise política no Brasil.


“Eu deveria participar de uma mesa chamada ‘Compartilhamento de experiências no Combate à Fome’ e teria tido um imenso prazer de falar um pouco sobre a experiência brasileira”, afirma Lula, logo no início do vídeo, enviado à Cúpula da União Africana, que acontece até o dia 29 de janeiro em Adis Adeba, na Etiópia, que também foi publicado na página do petista nas redes sociais. O ex-presidente foi impedido de viajar devido a uma ordem de um juiz de 1ª instância de Brasília, que requisitou seu passaporte, uma medida considerada “desproporcional” por alguns juristas.

Entrevistado pela RFI em Adis Adeba, na Etiópia, o diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva afirmou que “sentimos muito a ausência dele, que foi notada por todos”. “Agora no fechamento da reunião a Comissária da União Africana disse que faz falta uma pessoa com a autoridade e a experiência dele num encontro como este. Os países do continente africano estão reunidos para saber o que fazer este ano para reverter o aumento nos números da fome no continente. A ausência dele foi minimizada porque conseguiram enviar um vídeo, mas sem a interação que haveria tido com a presença de Lula aqui”, declarou.

Clima de terror no Brasil

Lula aproveitou para mandar recados a seus opositores e fez menção ao que chamou de “golpe parlamentar” que destitui a presidente Dilma Rousseff: “Estão construindo um clima de terror aqui no Brasil”, disse o ex-presidente. “Precisamos de muita paz e de muita democracia. Somente com paz e democracia podemos discutir com a sociedade a distribuição da riqueza produzida no nosso país, colocando os pobres dentro do orçamento de cada país”, argumentou.

“Vivemos um momento de uma ditadura de uma parcela do poder judiciário. (...) O que eles estão perseguindo foi o jeito que governei o país. (...) Estamos sendo condenados pelas coisas boas que aconteceram no Brasil”, afirmou Lula, que agradeceu ainda à África pela “miscigenação”: “Minha relação com a África é a de um homem que reconhece a gratidão que o Brasil deve ao continente africano (...) do ponto de vista cultural, do crescimento, do ponto de vista religioso”, declarou.

Ele criticou ainda a especulação financeira. Segundo o ex-presidente, “a fome no mundo hoje não é mais falta de alimento, porque o mundo produz alimento de sobra. A fome no mundo hoje é na verdade falta de dinheiro para o povo mais humilde poder comprar, e dinheiro também não falta no mundo, porque são trilhões e trilhões de dólares que ficam sobrevoando os oceanos, especulando, ganhando dinheiro sem produzir uma única peça, vivendo de exploração, como nós sabemos que existe no mundo inteiro".

Clique no vídeo abaixo para assistir na íntegra o pronunciamento de Lula enviado à Cúpula da União Africana: