rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

"PT só tem plano 'L', de Lula", diz Luiz Dulci em Paris

Por Elcio Ramalho

O RFI Convida recebeu nesta segunda-feira (9) o vice-presidente do Partido dos Trabalhadores, Luiz Dulci. Ele cumpre uma agenda política em Paris e esteve no domingo (8) no ato contra a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na Praça da República, na capital francesa. Na ocasião, acompanhado do deputado francês Éric Coquerel (França Insubmissa) e do porta-voz da CGT, o maior sindicato de trabalhadores da França, ele afirmou que Lula será candidato do PT à Presidência “até dentro da cadeia”.

*Para ver a entrevista, clique no vídeo abaixo

“Acredito que haja uma possibilidade jurídica de tirar rapidamente o ex-presidente Lula da prisão”, afirmou Dulci. “Lula é inocente, foi condenado sem provas, sem sequer indícios, fato reconhecido pelo próprio juiz Sérgio Moro, no texto da sentença”, declarou. “Numa sociedade democrática, as convicções de um juiz não são suficientes para condenar ninguém, visto que temos o princípio universal da presunção de inocência”, disse o vice-presidente do Partido dos Trabalhadores.

Ele acredita que, caso qualquer instância jurídica superiora brasileira analisar o “mérito” da sentença de Moro, o ex-presidente deverá ser colocado em liberdade. “Não posso nem quero interferir na dinâmica dos tribunais superiores. O mais correto teria sido que o Supremo Tribunal Federal (STF) analisasse a ‘tese’ que analisa se uma pessoa pode ou não ser presa no Brasil apenas com uma decisão de segunda instância, antes de esgotar a possibilidade de recursos”, diz Dulci. “Erroneamente, o habeas corpus de Lula foi examinado antes dessa tese principal, que valerá para todos os casos. E, segundo todos dizem, há uma maioria [de ministros] no STF disposta a corrigir esse erro”, completa.

“Até uma criança de colo sabe que a Constituição brasileira é claríssima: não se pode prender ninguém, enquanto a sentença não for transitado em julgado”, lembra Dulci.

Futuro da candidatura de Lula

“Na reunião da Executiva nacional nossa [do PT], que se realiza em Curitiba, com personalidades do país inteiro, nós vamos reafirmar a candidatura Lula. “Do nosso ponto de vista, Lula é inocente, está sendo vítima de perseguição judicial. Se a operação Lava Jato começou correta, combatendo a corrupção, e a corrupção deve ser combatida, ela se desviou. Se partidarizou. Passou a proteger acusados do PSDB, do DEM, acusados próximos do presidente Temer, mesmo quando havia provas e gravações [contra eles], como foi o caso do ex-governador do meu stado [MG], Aécio Neves”, aponta.

“A Lava Jato passou a perseguir o PT, e especialmente o ex-presidente Lula”, acredita. “Quem define do Brasil a aceitação de candidaturas à Presidência da República é o Superior Tribunal Eleitoral, que vai fazer isso no mês de agosto. Não temos porque abrir mão da pré-candidatura de Lula. Acreditamos que até lá a Justiça brasileira vá corrigir esse gravíssimo erro. Ele sendo candidato, as chances dele vencer as eleições são enormes”, afirma o vice-presidente do PT.

“Discussão sobre identidade de gênero no teatro é uma tendência mundial”, diz professora da USP que acompanha o Festival de Avignon

Cineasta Lúcia Verissimo defende a importância da preservação da memória de um país

“Diálogo com a criança é extremamente importante”, diz autora de livro infantil sobre câncer de mama

"Crianças francesas vão adorar ver Neymar numa situação tão humana e próxima deles", diz tradutora dos quadrinhos 'As aventuras de Neymar Jr'

Romain Vicari, artista plástico franco-brasileiro, expõe "bumerangue cultural" em Paris

“Aquecimento global é desafio do presente e do futuro para a produção de vinho”, diz enóloga brasileira à frente da OIV

“A ditadura não resiste à música”, afirma compositor multi-instrumentista Hermeto Pascoal

Avignon: “As crianças entendem tudo”, diz Miguel Fragata, diretor de peça infantil sobre refugiados

Decisão de Favreto sobre libertação de Lula deveria ter sido cumprida, dizem juristas ouvidos pela RFI

Sonho, rito e alteridade: ritual xavante inspira solo de brasileira em Montpellier Danse

Teatro do Oprimido de Paris remonta peça de Boal e questiona Brasil atual

"A seleção da França é quase toda afro-francesa", diz Gilberto Gil em Paris

Eleição presidencial no México tem semelhanças com Brasil, diz embaixador Rubens Barbosa

Vencedor do Prêmio Icatu, maestro brasileiro estreia em Paris novo sistema musical que homenageia Bach

“A música brasileira é muito maior do que as confusões políticas do país”, diz Kiko Loureiro, guitarrista do Megadeth