rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

“O lugar da mulher é onde ela quiser”, diz líder comunitária

Por Ligia Hougland

Luciane Costa dos Santos é líder comunitária no Rio de Janeiro e presidente da Associação de Moradores da ComunidadeFaz Quem Quer, do bairro Rocha Miranda. Ela também fundou o Instituto Mulheres de Favela em Ação, que promove a formação de moradoras de bairros desfavorecidos.

Recentemente, Luciane foi palestrante da Brazil Conference, realizada na Universidade de Harvard e no Massachusetts Institute of Technology (MIT), em Boston. O evento, que reúne as personalidades brasileiras mais relevantes e em destaque, este ano também teve a participação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, e da estrela do funk, Anitta.

A ativista explica que o próprio nome do seu instituto, Mulheres de Favela em Ação, passa uma mensagem de capacidade às mulheres, se liberando do conceito de que elas são vítimas, sem possibilidade de reação.

“A ideia é trazer o empreendorismo através das mulheres das comunidades, tirando elas do anonimato. Temos profissionais dentro das favelas que podem qualificar outras mulheres das favelas”, explica Luciane.

Profissionais como cabelereiras, manicures e designers de sobrancelha possibilitam uma ação social, ao passarem seus conhecimentos a outras mulheres. O comércio local contribui com o material necessário para o treinamento de novas profissionais.

Educação e qualificação como prevenção da violência

A ativista reconhece que, apesar de sua comunidade ser pacífica, a interação com a polícia pode ser difícil e acredita que uma das soluções é prevenir o envolvimento dos jovens com atividades criminosas ou violentas.

“A gente tenta resolver isso fazendo nossa parte como liderança comunitária dentro das nossas comunidades e reduzindo a violência dos jovens por meio de projetos sociais”, diz.

Luciane também é coordenadora do projeto Cidadania em Ação, que busca a inclusão social de jovens por meio de oficinas esportivas, entre outras. A líder comunitária tem uma visão positiva em relação ao futuro das mulheres brasileiras que hoje são desprivilegiadas.

“Estou otimista porque as mulheres saíram da sua zona de conforto e estão indo para o combate, buscando melhorias para si, buscando qualificação. A mulher se deu um gás, reconheceu o seu potencial. O lugar da mulher é onde ela quiser”, diz a líder comunitária.

“Cada vez mais o racismo brasileiro sai do armário”, diz Conceição Evaristo em Paris

Beatriz Seigner: Lula e Dilma ajudaram a mostrar outros sotaques do cinema no Brasil

Jornalista brasileiro Fernando Molica lança em Paris livro sobre racismo e violência policial

"O choro é talvez o gênero mais autenticamente brasileiro", diz especialista

Mulheres do Brasil em Paris cria comitê para apoiar brasileiras vítimas da violência na França

Descartar mandante do crime seria insulto, diz viúva de Marielle Franco

“Estamos revivendo a ditadura no Brasil”, diz documentarista de filme sobre rebelião contra colonização francesa em Madagascar

Primavera Literária de 2019 lança discussões sobre o Brasil e o futuro da literatura

“Muitas pessoas achavam que mulheres só eram capazes de pintar florzinhas ou eram as namoradas dos grafiteiros”, diz street artist Panmela Castro

Apresentador do Catfish Brasil, Ciro Sales diz ser consciente da responsabilidade de ter seguidores nas redes sociais

Associação Herança Brasileira ajuda desenvolvimento de crianças bilíngues em Paris

“Maconha pode ser auxílio e não algoz”, diz neurocirurgião à frente de portal sobre uso medicinal da cannabis no Brasil

“Postura do governo brasileiro sobre crise na Venezuela é a pior possível”, diz professor da UnB

"Qualquer um é melhor que Bolsonaro", diz José de Abreu, que se "autoproclamou" presidente do Brasil no Twitter

“Temos que colocar o ministro da Educação no eixo”, diz presidente da Ubes

“No Brasil, há uma tendência a encobrir escândalos sexuais”, diz membro do comitê que discute pedofilia na Igreja

"Ataques a povos indígenas é suicídio cultural”, diz geógrafo francês

Dependência brasileira ao minério de ferro é um dos disfuncionamentos que explicam catástrofe ambiental, diz especialista

Após sucesso na estreia, Grupo Sociedade Recreativa lança segundo álbum na França