rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Brasil Acidente Imprensa

Publicado em • Modificado em

Imprensa internacional repercute incêndio de prédio em São Paulo

media
Imagens dos escombros do prédio no centro histórico de São Paulo foram divulgadas pela imprensa internacional. REUTERS/Paulo Whitaker

O incêndio seguido do desabamento do prédio no centro histórico de São Paulo na madrugada desta terça-feira (1°) ganhou destaque na imprensa internacional. Vários jornais repercutiram a catástrofe pelo mundo, mostrando inclusive vídeos das operações de resgate em seus sites.


Os veículos internacionais se basearam principalmente em informações da imprensa brasileira e notas de agências de notícias. Mas isso não impediu sites e jornais de darem vários detalhes sobre a catástrofe.

A rádio francesa Europe1 relata que 160 bombeiros participaram das operações e que, até o final do dia, as autoridades locais ainda não tinham um balanço exato do número de vítimas. Já o jornal mexicano Proceso conta que o prédio, que acolheu no passado a sede da Polícia Federal, era ocupado clandestinamente por cerca de 50 famílias. O site do jornal francês Le Parisien Aujourd'hui en France, como vários outros veículos internacionais, compartilhou o vídeo de uma vizinha do edifício, que filmou o momento exato de desabamento.

O jornal francês Le Figaro relata que, “miraculosamente, o acidente não parece ter causado o número de mortos que se poderia se esperar”. Principalmente porque cerca de 250 pessoas moravam no prédio, continua o diário. Já o norte-americano The New York Times explica que São Paulo “é uma mistura de edifícios antigos e desbotados, que no passado acolhiam apartamentos glamorosos”, e ressalta que, frequentemente, militantes de famílias sem teto ocupam ilegalmente esses imóveis do centro da cidade, “como forma de pressionar as autoridades a fornecer moradia acessível”.

O site do jornal Le Monde, que também traz um vídeo sobre a tragédia, conta que o presidente brasileiro Michel Temer, que foi até a zona do acidente expressar sua solidariedade, foi muito mal recebido pelos moradores, “e teve que deixar o local às pressas”. “Mesmo assim, ele prometeu ajudar as famílias atingidas pela catástrofe”, relata o vespertino.