rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Psicóloga lança em Paris livro sobre práticas medicinais e cultura de etnia da Amazônia

Por Márcia Bechara

A psicóloga e doutora em Antropologia Social Aparecida Gourevitch lança em Paris o livro "Au-delà de la biomédecine - Mythes, maladie et guérison chez les Indiens Baré en Amazonie" ("Além da biomedicina - Mitos, doença e cura com os Índios Baré na Amazônia", em português). A publicação aborda as práticas sanitárias e os rituais da tribo do norte do Brasil, além de seu rico imaginário ancestral.

*Para ouvir a entrevista na íntegra, clique na foto acima

Com prefácio da antropóloga francesa Marion Aubrée, o livro retraça as práticas da pajelança na tribo dos Baré, na Amazônia, e sua especial topologia de doenças. "Eu fiz um mestrado em Psicologia Social na USP, e a pesquisa foi feita no estado do Amazonas, onde encontrei várias etnias. Em seguida, quando lecionei Medicina Preventiva e Social na Universidade Federal do Amazonas, fizemos um trabalho com as comunidades. Os alunos tinham aula e depois faziam estágio com as comunidades, e nós, uma equipe multidisciplinar de professores, fazíamos a supervisão", conta Aparecida Gourevitch.

"Lá eu entrei em contato com os índios baré. O que me chamou a atenção é que se trata de uma etnia mestiça com o [homem] branco. Quando comecei a fazer o doutorado na Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais (EHESS na sigla em francês), em Paris, escolhi trabalhar sobre os mitos, a doença e a cura nessa etnia", diz a psicóloga.

A pesquisadora considera importante a classificação que os índios fazem das doenças. "A categoria das doenças, para os baré, está ligada à mitologia deles, à cosmologia, à história da Criação, então existem as doenças ligadas aos seres sobrenaturais. Seriam os seres 'do fundo', como se debaixo da água houvessem vilas encantadas. Mas  é preciso imaginar uma outra geografia, com seres encantados que vêm para a Terra encantar pessoas e, às vezes, levá-las para o fundo, onde existiriam cidades parecidas com as nossas, mas muito mais bonitas e ricas", relata.

O eco dos rituais da etnia Amazônica na França

"Encontrei os Baré no momento em que eles estavam reconstruindo a sua história e seus mitos, então foi um momento importante para ajudá-los nesta recuperação", afirma a Gourevitch.

"Outra categoria de doenças catalogada no livro são aquelas provocadas por outra pessoa, como a bruxaria, o mau-olhado", completa. "Tem também as doenças do [homem] branco. São as doenças ligadas à colonização, como a gripe. Essa categoria existe também para outros índios do Rio Negro", diz a psicóloga. 

"A pesquisa foi muito bem vista pela Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais e pelos meus diretores de tese, como Marion Aubrée. Essa questão do encantamento, das doenças além da Medicina interessam a todas as culturas. Mesmo na França, existem doenças onde o paciente vai procurar o curandeiro", afirma.

O livro, "Au-delà de la biomédecine - Mythes, maladie et guérison chez les Indiens Baré en Amazonie", distribuído na França pela editora L'Harmattan, deve ser em breve traduzido para o português.

Livro conta como Lisboa se tornou o “centro do mundo” na Segunda Guerra

Psicóloga brasileira publica na França livro sobre terapia sistêmica individual

“Desigualdade não diminuiu tanto assim nos anos 2000”, diz pesquisador do IPEA

“Maio de 68 foi uma explosão de criatividade, às vezes caótica”, diz Frédéric Pagès

“É um momento de celebração de mulheres em Cannes”, diz a atriz Mariana Ximenes

"Compromisso de ONG Líderes para a Paz é promover soluções pacíficas para conflitos", diz Antonio Patriota

“O Cinema Novo praticamente nasceu em Cannes, em 1964”, conta Cacá Diegues

Regulamentação europeia para proteção de dados pessoais pode ter impacto no Brasil

“De 8.500 brasileiros adotados por franceses, metade pode ter sido de maneira ilegal”, estima especialista

Oxfam: aumento da desigualdade leva à instabilidade política e econômica no Brasil

Em turnê europeia, São Paulo Cia de Dança traz leitura do mundo em seus passos

Brasileira conta invasões à Sorbonne e à Casa do Brasil em Maio de 68

Voos diretos da Air France/KLM vão transformar Fortaleza em hub de conexões, diz governador

Federação sindical mundial lança site para valorizar trabalhadores dos serviços públicos

“Sistemas político e econômico do Brasil não se modernizaram como o judiciário”, diz economista francês