rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Psicóloga lança em Paris livro sobre práticas medicinais e cultura de etnia da Amazônia

Por Márcia Bechara

A psicóloga e doutora em Antropologia Social Aparecida Gourevitch lança em Paris o livro "Au-delà de la biomédecine - Mythes, maladie et guérison chez les Indiens Baré en Amazonie" ("Além da biomedicina - Mitos, doença e cura com os Índios Baré na Amazônia", em português). A publicação aborda as práticas sanitárias e os rituais da tribo do norte do Brasil, além de seu rico imaginário ancestral.

*Para ouvir a entrevista na íntegra, clique na foto acima

Com prefácio da antropóloga francesa Marion Aubrée, o livro retraça as práticas da pajelança na tribo dos Baré, na Amazônia, e sua especial topologia de doenças. "Eu fiz um mestrado em Psicologia Social na USP, e a pesquisa foi feita no estado do Amazonas, onde encontrei várias etnias. Em seguida, quando lecionei Medicina Preventiva e Social na Universidade Federal do Amazonas, fizemos um trabalho com as comunidades. Os alunos tinham aula e depois faziam estágio com as comunidades, e nós, uma equipe multidisciplinar de professores, fazíamos a supervisão", conta Aparecida Gourevitch.

"Lá eu entrei em contato com os índios baré. O que me chamou a atenção é que se trata de uma etnia mestiça com o [homem] branco. Quando comecei a fazer o doutorado na Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais (EHESS na sigla em francês), em Paris, escolhi trabalhar sobre os mitos, a doença e a cura nessa etnia", diz a psicóloga.

A pesquisadora considera importante a classificação que os índios fazem das doenças. "A categoria das doenças, para os baré, está ligada à mitologia deles, à cosmologia, à história da Criação, então existem as doenças ligadas aos seres sobrenaturais. Seriam os seres 'do fundo', como se debaixo da água houvessem vilas encantadas. Mas  é preciso imaginar uma outra geografia, com seres encantados que vêm para a Terra encantar pessoas e, às vezes, levá-las para o fundo, onde existiriam cidades parecidas com as nossas, mas muito mais bonitas e ricas", relata.

O eco dos rituais da etnia Amazônica na França

"Encontrei os Baré no momento em que eles estavam reconstruindo a sua história e seus mitos, então foi um momento importante para ajudá-los nesta recuperação", afirma a Gourevitch.

"Outra categoria de doenças catalogada no livro são aquelas provocadas por outra pessoa, como a bruxaria, o mau-olhado", completa. "Tem também as doenças do [homem] branco. São as doenças ligadas à colonização, como a gripe. Essa categoria existe também para outros índios do Rio Negro", diz a psicóloga. 

"A pesquisa foi muito bem vista pela Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais e pelos meus diretores de tese, como Marion Aubrée. Essa questão do encantamento, das doenças além da Medicina interessam a todas as culturas. Mesmo na França, existem doenças onde o paciente vai procurar o curandeiro", afirma.

O livro, "Au-delà de la biomédecine - Mythes, maladie et guérison chez les Indiens Baré en Amazonie", distribuído na França pela editora L'Harmattan, deve ser em breve traduzido para o português.

“Lagerfeld era o camaleão da moda”, lembra estilista brasileiro Gustavo Lins

Fome Zero seguirá como meta da ONU para erradicar fome no mundo, afirma José Graziano

Brasileira apresenta na Berlinale documentário sobre ocupação dos Sem Terra em Goiás

“Direito à comunicação no Brasil ainda é muito atrasado”, diz fundador de web rádio indígena

"Alastrar competitividade para toda a economia brasileira está no radar do governo", diz diretor-geral da OMC

Fotógrafo curitibano expõe em Paris obras inspiradas na espiritualidade

Orçamento participativo e Bolsa Família são as principais políticas públicas “exportadas” pelo Brasil

“Brasil tem volta da oligarquia com uma política de extrema direita”, diz sociólogo da UFRJ

Compositor francês Debussy influenciou até Bossa Nova, lembra maestro Isaac Chueke

“Brasil e França trabalharam pelo silenciamento da memória escravista”, diz historiadora

Escritora Telma Brites Alves lança em Paris seu livro "Gaia: A Roda da Vida"

Cantora brasileira mistura música árabe e nordestina em álbum “Brisa Mourisca”

Movimento dos Atingidos por Barragens quer garantias de reparação total de danos às vítimas de Brumadinho

"Precariedade das favelas é estimulada pelo próprio Estado", diz historiador

Human Rights Watch: partida de Jean Wyllys é “triste para a esquerda e a direita”

“Falta educação no projeto de governo Bolsonaro”, diz Renato Janine Ribeiro

Apoiar oposição a Maduro é ingênuo e perigoso, diz especialista da Unicamp

"Estrela no Guia Michelin brinda a amizade franco-brasileira”, diz chef Raphaël Rego