rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Torcedores têm mais infartos durante a Copa do Mundo

Por Silvano Mendes

O futebol, que pode trazer tantas alegrias, também aumenta a incidência de emergências cardíacas entre os torcedores. É o que aponta um estudo publicado recentemente no The New England Journal of Medicine, que avaliou o comportamento dos alemães durante os jogos da Copa do Mundo de 2006.  

Naquele ano, durante as partidas da seleção alemã, a incidência de eventos cardiovasculares cresceu 2,66 vezes. Foram analisados 4.279 pacientes que deram entrada em emergências hospitalares de Munique, em dias de jogos da Alemanha, entre os dias 9 de junho e 9 de julho.

“Uma das coisas mais importantes que esse estudo nos alerta é que as emoções são um grande gatilho para problemas cardíacos, como o infarto do miocárdio, angina e a arritmia cardíaca”, explica o coordenador do Centro de Treinamento da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Sergio Timerman. “O que se constata é que durante essa época há um aumento do estresse das pessoas que vão assistir a esse torneio”, complementa.

Os pesquisadores avaliaram os torcedores em sua rotina diária e durante as partidas. Os homens são os que mais sofrem emocionalmente com os jogos. O número de infartos entre eles cresceu 3,26 vezes, comparado com as ocorrências fora do período de competição. Entre as mulheres, foram registrados 1,82 vez mais eventos.

“A maior incidência média foi observada durante as primeiras duas horas após o início de cada partida, com certeza, associada ao pico do estresse sofrido pelos torcedores”, explica. Os números, considerados preocupantes pelos especialistas, refletem o mesmo risco para todas as nacionalidades que participam da Copa. “É importante salientar que os jogos não foram a causa desses problemas, mas sim um gatilho para as pessoas que já tinham pré-disposição à doença,” alerta o médico.

Brasileiros afetados pelas emoções do futebol

Um estudo feito durante a Copa do Mundo de 2014 pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto apontou que o índice de ataques cardíacos nos pacientes maiores de 35 anos passou de 4% para 8 % em todo o país durante o mundial do Brasil. “Na hora do jogo, como a frequência cardíaca cresce, a pressão aumenta, acontece aumento do fluxo de sangue, ou seja você está levando um estresse muito grande para o organismo, especialmente o coração e aí acontecem os problemas”.

O cardiologista Sérgio Timerman afirma que, para minimizar os riscos, medidas preventivas são necessárias e recomenda que os torcedores evitem os excessos em dias de jogos, principalmente aqueles que já têm histórico de doenças coronárias ou fatores de risco. “É importante dormir bem à noite na véspera da partida, evitar bebidas alcoólicas e comidas pesadas e gordurosas, evitar o fumo e não descuidar do regime pré-estabelecido pelo seu médico”, finaliza.

“Romances em quadrinhos estão em momento especial”, diz ilustradora Luli Penna

“Sociedade civil é quem vai mudar o Brasil”, diz empresária Luiza Trajano em Paris

“É preciso regulação para que investigações sobre fake news não demorem anos”, diz especialista

"O problema do brasileiro é se conformar que Bolsonaro está eleito", diz Delfim Netto

Fotógrafa francesa Charlotte Dafol expõe em Paris imagens de ocupações brasileiras

“Atualmente, a França me dá mais perspectivas que o Brasil”, diz cantora Camila Costa que lança CD em Paris

"Trump colocará na conta dos democratas tudo o que não conseguir fazer", diz ex-correspondente do NYT no Brasil

"Governo brasileiro precisa facilitar exportação para pequenos empresários", afirma designer de joias

Grupo franco-brasileiro Bel Air de Forró é finalista em concurso internacional

"Brasil caminha muito mais para o isolamento do que para uma relação integrada com a comunidade internacional," diz cientista político

“A oratória de protesto do rap estava um pouco adormecida”, diz MC Rael, em turnê na Europa

Pintora brasileira radicada na França denuncia desmatamento da Amazônia em telas gigantes

Diretora de teatro de Belo Horizonte divulga festival artístico interdisciplinar em Paris

Bolsonaro representa uma continuidade do que está acontecendo hoje no Brasil, diz historiador americano

“Estamos todos ameaçados”, diz escritor João Paulo Cuenca sobre Bolsonaro

Cordel se adapta à tecnologia e tem até desafio repentista por WhatsApp, diz pesquisadora francesa

"Brasil vive época propícia para arte subversiva", diz autor de livro sobre cena musical psicodélica

Livro sobre Dandara, líder do movimento negro do Quilombo dos Palmares, é lançado na França

“Uso da religião está sendo deturpado nas eleições", diz médium Divaldo Franco