rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • EUA: tiroteio deixa três mortos em supermercado em Oklahoma

Brasil Eleições 2018 Jair Bolsonaro Fernando Haddad

Publicado em • Modificado em

Eleitores “vestiram a camisa” de seus candidatos para votar no segundo turno

media
Eleitora exibe camiseta com mensagem de apoio a Bolsonaro RFI

Mais de 147 milhões de brasileiros foram convocados para ir às urnas neste domingo (28) para decidir se o futuro presidente do Brasil será Jair Bolsonaro, do PSL, ou Fernando Haddad, do PT. Após uma campanha acirrada, os eleitores defenderam seus escolhidos até o último minuto.


Enviado especial ao Rio de Janeiro

Quem anda neste domingo (28) pelas ruas do Rio de Janeiro tem a impressão de viver uma final de campeonato de futebol, com algumas pessoas enroladas com bandeiras do Brasil entoando gritos de ordem. Inúmeros eleitores também tiraram dos armários suas camisetas verde-amarelo, em homenagem a Jair Bolsonaro, ou vermelhas, para prestigiar Fernando Haddad.

Os bolsonaristas são os mais visíveis. Como Leonardo, que se vestiu de amarelo da cabeça aos pés e colou um adesivo com o número 17 no peito. “Quero apenas mudanças”, disse o eleitor, que fez sucesso enquanto esperava para entrar na zona eleitoral com seu cachorrinho no colo.

Bolsonarista se vestiu de amarelo da cabeça aos pés para ir votar RFI

Alguns ainda hesitavam antes de entrar na sala de votação, sem saber se era proibido usar camisetas de propaganda de candidato. Mas as fiscais explicaram que assim como adesivos colados na roupa, trajes com conotação política são autorizados, a condição de não se fazer proselitismo na hora do voto.

Foi o caso de Nara, orgulhosa de sua camiseta amarela com os dizeres “Sou Mulher e Bolsonaro me representa”. “Elogiaram minha roupa”, explicou a carioca. “Agora vai ser tudo melhor”, declarou, já contando com a vitória de Bolsonaro, favorito nas pesquisas de intenção de voto.

Já André, que estava com a namorada e exibia adesivos pró Haddad no peito, afirma que no primeiro turno havia muito mais bolsonaristas visíveis nas ruas. “Até nisso nós estamos ganhando. Estamos no ritmo de virada”, disse, otimista. Ele também disse não se sentir hostilizado, apesar dos rumores de agressões visando eleitores de ambos os lados. "É muita balela de rede social. No corpo a corpo não acontece nada", minimiza.

Defensores de Haddad dizem que estão mais visíveis neste segundo turno RFI

Poucas filas pela manhã no Rio de Janeiro

A votação começou tranquila no estado do Rio de Janeiro, onde mais de 12 milhões de eleitores estão inscritos. Nos bairros da Zona Sul as filas eram pequenas e os eleitores cumpriram seu dever de cidadão em alguns minutos.

Já em algumas zonas eleitoras mais afastadas, como na Baixada Fluminense, teve gente que chegou às 5h da manhã, mesmo se o voto só começava às 8h. Muitos queriam evitar as horas de espera registradas no primeiro turno, quando a identificação biométrica provocou atrasos no processo eleitoral em algumas regiões.

Cerca de 46 mil homens foram mobilizados para cuidar da segurança durante esse voto no Rio de Janeiro, onde os eleitores escolhem o presidente, mas também o governador, com segundo turno disputado entre Eduardo Paes e Wilson Witzel.