rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Paris recebe Bazar de Natal com artesanato de mulheres de favelas cariocas

Por Márcia Bechara

A Pipa Social, um projeto de empoderamento de mulheres de favelas do Rio de Janeiro, oferece pela primeira vez ao público francês produtos desenvolvidos por estas artesãs cariocas. Paris recebe até o dia 7 de dezembro um bazar de Natal especial, com peças criadas fora do mercado formal de trabalho, a partir de diretivas que respeitam a tríade formação, inclusão e integração.

O projeto Pipa Social trabalha com o desenvolvimento de talentos de forma criativa, inclusiva, integrada e comprometida com o bem estar das artesãs das favelas cariocas. Segundo sua diretora, Helena Rocha, o terceiro setor capacita muito bem esta mão-de-obra no Brasil. “Tanto Ongs quanto o Senai oferecem cursos de capacitação excelentes, mas a entrada no mercado não acontece, principalmente no Rio de Janeiro, uma cidade que está quebrada e com muitos problemas, como o tráfico de drogas, milícias e muita violência”, conta.

“Uma mulher de uma favela carioca não tem oportunidade de mostrar seus talentos. Ela fica muito frustrada quando ganha o diploma e sabe que tem esse talento, mas não consegue mostrá-lo por falta de oportunidade”, diz Helena. Segundo ela, a Pipa Social existe para qualificar essas pessoas e colocá-las no mercado. “Ninguém contrata uma pessoa que sabe jazer bijuteria ou bordado. Então as preparamos profissionalmente para entrar neste mercado de forma autônoma. Temos parcerias fantásticas com o mundo acadêmico e corporativo, com resultados financeiros concretos para estas mulheres”, relata.

Profissão valoriza a mulher dentro de casa

“A partir do momento em que elas têm uma informação adequada de o que é a profissão, elas passam a ter consciência de que têm uma profissão de fato, e de que elas podem realmente viver disso. E isso faz uma diferença enorme”, afirma Helena Rocha.

“Essas mulheres passam a ser matriarcas de suas famílias. Passam a conviver numa briga frequente com o tráfico e com as milícias para segurar seus filhos dentro de casa, para que eles não sejam cooptados”, conta Rocha. Ela diz ainda que com a falta de emprego de seus maridos e com a ausência do homem dentro do mercado formal de trabalho, elas passam a ter mais orgulho dentro de casa, porque possuem um trabalho. “Toda a família, incluindo filhos e maridos, passam a respeitar muito mais essa mulher, que consegue aglutinar essa família”, diz.

O Bazar de Natal do projeto Pipa Social acontece no Atelier Bridaine, no número 8 da rua Bridaine, no 17° distrito de Paris, até o dia 7 de dezembro.

Artista Zeh Palito tem exposição adiada por causa dos “coletes amarelos”

“Favela é o maior resumo do Brasil”, afirma ativista do Complexo do Alemão

“Caso Coaf prova que Bolsonaro nunca foi ‘outsider’”, afirma Manuela D’Ávila em Roma

“PT não promoveu alfabetização política no Brasil”, diz Frei Betto

Cineasta Marcelo Novais lança em Paris um “diário íntimo de uma geração”

Incêndios e barricadas substituíram greves como forma de protesto na França, diz especialista

Representante dos delegados da Polícia Federal diz ser contra banalização das armas no Brasil

Lia Rodrigues volta à Paris com “Fúria”, coreografia com moradores da favela da Maré

Militares nomeados por Bolsonaro são mais moderados do que ministros, diz Leonardo Sakamoto

“Comunidade internacional espera responsabilidade ambiental do Brasil”, diz especialista

“Muita gente procurava uma confeitaria menos doce”, diz chef francês radicado em Brasília

Fotógrafo brasileiro lembra 30 anos da morte de Chico Mendes com exposição em Paris

Músicos Francis e Olivia Hime homenageiam Vinicius de Moraes na França

“Ser estrangeiro me fez escritor”, diz Natan Barreto, que lança livro de poesias em Paris

“Discurso de Bolsonaro legitima ‘direito de matar’”, afirma professora da Universidade de Brasília