rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Rio recebe em Paris título de primeira Capital Mundial da Arquitetura

Por Márcia Bechara

O anúncio oficial será feito nesta sexta-feira (18) na sede da Unesco, em Paris, numa cerimônia que será presidida pela diretora-geral da instituição, Audrey Azoulay. Verena Andreatta, secretária municipal de Urbanismo do Rio de Janeiro, veio à capital francesa para acompanhar a assinatura do acordo entre a cidade brasileira e a União Internacional dos Arquitetos, representando o prefeito carioca, Marcelo Crivella.

O Rio já seria sede do Congresso Mundial de Arquitetura em 2020. Segundo Verena Andreatta, a escolha para capital mundial da arquitetura se deve a uma parceria entre a União Internacional de Arquitetos e a Unesco. “Estamos muito honrados com a escolha, a cidade do Rio de Janeiro está de portas abertas para o debate sobre arquitetura e paisagem para o século 21. O planeta precisa deste debate sobre cidades globais”, afirmou.

Violência, milícias, corrupção e má gestão de recursos públicos são temas atuais na pauta da cidade maravilhosa. Segundo a secretária, no entanto, eles não devem atrapalhar o brilho do título carioca recém-conquistado. “O Rio de Janeiro é uma cidade com uma diversidade cultural social e arquitetônica. O Rio é uma jovem cidade de 454 anos e, desde o período colonial, deixou belos exemplares arquitetônicos, coloniais, neoclássicos, barrocos. Até o movimento moderno deixou rastros com seu ícone, o Palácio Capanema”, lembra.

Desafios

“Esse título nos dará condições e maiores esperanças para discutir inclusive as nossas mazelas. Nesse confronto de ideias é que a gente vai tentar, com a sociedade global que vai nos visitar, buscar soluções”, diz Andreatta. Segundo ela, os grandes desafios urbanísticos da capital carioca são a urbanização das áreas informais das favelas, a compactação da cidade, e a estruturação da rede de transportes para a sustentabilidade.

“A cidade do Rio de Janeiro foi muito planejada, durante toda sua existência. Um plano de desenvolvimento sustentável está sendo debatido pela própria sociedade carioca. São questões relevantes”, diz a secretária. Em termos de patrimônio, Verena revelou que o Rio tem hoje “10 mil imóveis preservados e 2 mil imóveis tombados”. “Muitos deles estão recuperados e acabamos de aprovar um Código de Obras na última segunda-feira (14) que permite a reconversão de imóveis em estado de deterioração, para melhorar as condições destas edificações. É um código que simplifica e que vai melhorar e facilitar a reconstrução desses imóveis”, concluiu Andreatta.

“Foi o jornalismo que me preparou para a música”, diz a cantora Letícia Maura

Vik Muniz: “Depois do modernismo, virou tabu falar de religião em arte”

Monólogo de ator brasileiro em Avignon resgata canções desconhecidas de Pasolini, entre erotismo e engajamento

Ricupero: Bolsonaro nomear filho embaixador nos EUA “é chocante e sem precedentes”

Rodrigo Ferreira: dos templos evangélicos no Brasil à cena lírica internacional

“O combate à corrupção no Brasil é uma mentira”, diz sociólogo Jessé Souza

Christiane Jatahy em Avignon: “Há no Brasil um pensamento ditatorial para calar a diferença”

“ONU está em alerta para acolher defensores de direitos humanos do Brasil”, diz deputada Renata Souza

“Lutamos tanto para conquistar um pouco de direitos humanos e a gente vai retirar isso?” questiona Marcelo D2 em entrevista em Paris

Acordo UE e Mercosul não é motivo para ufanismo em queda de preços, diz ex-embaixador Graça Lima

Tecnologias do semiárido brasileiro podem ajudar a alimentar imigrantes venezuelanos na Colômbia

"Governo de divisão social, oposto dos anteriores", diz autor de livro sobre Bolsonaro

Advogada do Consulado em Los Angeles analisa situação de brasileiros sem documentos nos EUA

"O ator precisa ter cartas na manga", diz Letícia Spiller sobre carreira de cantora

Brasil não é um dos países que mais usa agrotóxicos, isso é “balela”, diz ministra Tereza Cristina

“Bolsonarismo é uma articulação de radicalismo liberal com autoritarismo social”, diz professor da UERJ

Intolerância a valores progressistas pode impactar na publicidade, diz pesquisadora