rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

“Europeu gosta de música brasileira com contexto histórico”, diz cantor Mario Bakuna

Por Elcio Ramalho

Cantor, compositor e produtor musical, Mario Bakuna está de volta a Paris para um show de lançamento neste sábado (19) do seu novo álbum, Where Rio de Janeiro Meets Bahia, assinado em parceira com o percurssionista Edmundo Carneiro.    

A obra é resultado de um encontro dos dois artistas em um workshop realizado em Londres, onde Bakuna está radicado. “No workshop, as canções que eu abordei para explicar os ritmos eram de compositores do Rio e da Bahia e propus a ele gravarmos um disco porque tinha ficado muito bonito”, recorda.

O baiano Edmundo e o paulista Mario Bakuna assinam também a produção da obra que reúne 10 canções. O repertório inclui músicas de Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Baden Powell, mas sobretudo músicas da família Caymmi.  “Sou muito fã do Dori Caymmi, o que influenciou muito”, admite.

Bakuna define o estilo do disco como “afro-brasileiro”, com muita sonoridade acentuada pelas escolhas de Carneiro, que optou por muitos atabaques, referenciais da cultura negra. “Tem também influências do jazz, que gosto, mas tem forte identidade afro-brasileira”, destaca.

Música e antropologia

A turnê para promoção do disco Where Rio de Janeiro meets Bahia começou por Bruges, na Bélgica, passou por Bruxelas, Amsterdã e pelo norte da Alemanha, antes de desembarcar na capital francesa. Os shows têm encontrado uma plateia entusiasmada e fãs que lotam as salas de concertos, segundo Bakuna.  

“Penso música agregada com antropologia, com uma linha explicativa histórica, para proporcionar uma leitura mais ampla”, explica.

Ele cita como exemplo as canções de Caymmi, que traduzem um estilo de vida baiano, assim como o afro samba de Baden Powell e Vinícius, que falam dos mitos dos orixás e das religiões afrobrasileiras. “Nosso público gosta de ser inserido em contextos históricos”, justifica o músico.

A agenda de shows vai até setembro pelos palcos de diversos países da Europa, África, Ásia e também na América do Sul.   

 

 

“Foi o jornalismo que me preparou para a música”, diz a cantora Letícia Maura

Vik Muniz: “Depois do modernismo, virou tabu falar de religião em arte”

Monólogo de ator brasileiro em Avignon resgata canções desconhecidas de Pasolini, entre erotismo e engajamento

Ricupero: Bolsonaro nomear filho embaixador nos EUA “é chocante e sem precedentes”

Rodrigo Ferreira: dos templos evangélicos no Brasil à cena lírica internacional

“O combate à corrupção no Brasil é uma mentira”, diz sociólogo Jessé Souza

Christiane Jatahy em Avignon: “Há no Brasil um pensamento ditatorial para calar a diferença”

“ONU está em alerta para acolher defensores de direitos humanos do Brasil”, diz deputada Renata Souza

“Lutamos tanto para conquistar um pouco de direitos humanos e a gente vai retirar isso?” questiona Marcelo D2 em entrevista em Paris

Acordo UE e Mercosul não é motivo para ufanismo em queda de preços, diz ex-embaixador Graça Lima

Tecnologias do semiárido brasileiro podem ajudar a alimentar imigrantes venezuelanos na Colômbia

"Governo de divisão social, oposto dos anteriores", diz autor de livro sobre Bolsonaro

Advogada do Consulado em Los Angeles analisa situação de brasileiros sem documentos nos EUA

"O ator precisa ter cartas na manga", diz Letícia Spiller sobre carreira de cantora

Brasil não é um dos países que mais usa agrotóxicos, isso é “balela”, diz ministra Tereza Cristina

“Bolsonarismo é uma articulação de radicalismo liberal com autoritarismo social”, diz professor da UERJ

Intolerância a valores progressistas pode impactar na publicidade, diz pesquisadora