rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • EUA: tiroteio deixa três mortos em supermercado em Oklahoma
RFI CONVIDA
rss itunes

Escritora Telma Brites Alves lança em Paris seu livro "Gaia: A Roda da Vida"

Por Márcia Bechara

O romance "Gaia: A Roda da Vida", da escritora brasileira Telma Brites Alves, traz uma narrativa entre o suspense e a fantasia. A autora passou por Paris para o lançamento de sua obra e falou com a RFI sobre o enredo que envolve mitologia e descobertas da adolescência.

“Eu chamo de fantasia romanceada. É um romance que tem como pano de fundo a mitologia grega, que é o lado ‘fantasiado’, mas o resto é um romance normal”, explica Telma Brites Alves. “É a história de uma jovem de 16 anos que perdeu a mãe com 6 anos de idade e, depois, também o pai. Após a morte do pai, foi enviada diretamente à Alemanha, para viver sob a tutela da tia.”

Ao chegar na casa de sua nova responsável, a protagonista de “Gaia” vai, de acordo com a autora, “viver uma história mirabolante”. “Ela vai se encontrar com o personagem principal de uma história fantástica, que seria uma profecia. (…) Teoricamente, ela é descendente de um personagem mitológico”, revela Telma Brites Alves. “O resto é só lendo para saber.”

“Viver é como escrever”

A história de "Gaia" será dividida em três livros, que Telma Brites Alves pretende publicar em Paris. “O segundo já foi lançado na bienal de São Paulo, no ano passado. O terceiro eu espero terminar para ser lançado no Rio de Janeiro”, diz. No último volume, a heroína aceitará finalmente sua “profecia” e será “puxada” para um mundo mitológico.

Na entrevista à RFI, a escritora também abordou seu processo criativo. “Viver é também escrever, as duas coisas para mim se fundem. Eu vivo intensamente e ainda mais intensamente a partir do momento que escrevo”, conta. Foi assim que ela acabou se inspirando para a história de sua trilogia durante uma viagem a Creta, na Grécia.

“No último dia, estava super triste de voltar para a Alemanha, estava numa montanha meditando. Quando terminei, vi um rochedo, e parecia um gigante deitado com as mãos sobre a barriga. Quando vi aqui, pensei ‘É o gigante adormecido’”, revela. Assim nasceu a ideia para a personagem Gaia, cujo sobrenome, em alemão, quer dizer “A pedra de Deus”.

Veja abaixo a entrevista completa:

 

Governo ataca liberdade de expressão no Brasil e o povo não se dá conta, diz Leandro Demori, do Intercept

Fotógrafo brasileiro apresenta série sobre os desafios do Cerrado em Paris

Museu Internacional da Mulher será inaugurado em Portugal com curadora brasileira

Comitiva de indígenas brasileiros na Europa reforça campanha contra acordo UE-Mercosul

"Quero viver de arte", diz jovem pintora maranhense que expôs na França

Claudia Jaguaribe lança livros de fotografia sobre mulheres e meio ambiente em Paris

“Atualidade política e social do Brasil me inspirou”, diz Flávia Coelho sobre disco DNA

“Leiam escritores brasileiros vivos!”, pede Fred Di Giacomo, finalista do Prêmio SP de Literatura

Mestre da Arte Óptica, Marcos Marin expõe em Paris obras de Neymar e Santos Dumont

Curador expõe fotógrafos brasileiros da nova coleção da Biblioteca Nacional da França em "Terra Brasilis"

Palcos europeus recebem pela primeira vez a música-poesia de Arthur Nogueira

Revelação do violão brasileiro, João Camarero leva sofisticação do choro a plateias europeias

Do interior do Amazonas a digital influencer premiada em Mônaco: a história de Cacau Sitruk

Duo franco-brasileiro lança disco que mistura “Trem das Onze” e Erik Satie

“Meu trabalho é pela pacificação”, diz pintora brasileira que expõe em Paris

Luiza Brunet diz que “toda mulher é feminista”: “apanhar aos 50 foi gota d’água”

Feira de Frankfurt: “Brasil é o país das impossibilidades”, diz Luiz Ruffato