rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

“Eu sou uma mistura, então minha música é mestiça”, diz violonista pernambucana Fernanda Primo

Por Daniella Franco

A violonista Fernanda Primo é radicada em Paris desde 2005, mas mantém seus laços com o Brasil. Seu primeiro álbum, “Opará”, traz nove faixas com ritmos de seu Estado natal, mesclando o clássico aos carnavais pernambucanos.

O violão é uma história de família na vida de Fernanda Primo. Com o pai, também violonista, a pernambucana acredita que se habituou a ouvir o instrumento desde que estava na barriga da mãe. Na infância, tocar violão era a sua principal brincadeira.

“A minha experiência foi assim: o violão estava sempre em todo lugar”, relembra. Esse é, aliás, o principal conselho de Fernanda Primo a seus alunos na França, deixar o instrumento sempre à mostra. “Ninguém vai tocar um violão que está guardado”, observa.

A professora de violão também é uma exímia estudiosa. Aos 13 anos, iniciou seus estudos no Conservatório Pernambucano de Música. Mais tarde, na Universidade Federal de Pernambuco, obteve a Licenciatura em Música. Na França, deu sequência à sua formação nos conservatórios de Hay-les-Roses e de Aulnay-sous-Bois.

Pouco tempo depois, ao terminar um curso de aperfeiçoamento em violão clássico, decidiu colocar em prática o projeto de seu primeiro álbum. “Opará” nasceu no início deste ano, com composições próprias de Fernanda Primo.

Concretizando esse trabalho, a pernambucana se deu conta de que sua música “é uma mistura”. “Eu não sou clássica. Quando as pessoas me pedem para classificar minha música, eu tenho dificuldade de defini-la porque é uma música mestiça, que mistura todas as minhas experiências”, afirma.

Fernanda Primo tem shows agendados nos meses de julho, agosto e setembro em Recife (PE) e no segundo semestre de 2019 na França. O álbum "Opará" pode ser ouvido no iTunes, Spotify, Deezer e YouTube.

 

“Modo de exercer o governo é inspirado no pior da ditadura”, diz professor brasileiro na França

Grupo “Trio in Uno” lança álbum “Ipê” em homenagem ao cerrado brasileiro

"Hungria mantém refugiados em centros de detenção arbitrária", diz ativista

Nazaré Pereira, pioneira do forró na França, revela um “outro Brasil”

"Está difícil ter orgulho de ser brasileiro", diz Martinho da Vila, antes de show em Paris 

"Bacurau" mostra o Brasil, "um país maravilhoso, mas também muito feio”, disse Kléber Mendonça em Cannes

Com álbum “+100”, Casuarina apresenta samba moderno em turnê pela Europa

Do burlesco à modernidade, livro retraça percurso revolucionário da atriz Helena Ignez, musa do 'cinema marginal' brasileiro

Do burlesco à modernidade, livro retraça percurso revolucionário da atriz Helena Ignez, musa do 'cinema marginal' brasileiro

Fotógrafo brasileiro expõe em Paris reflexões sobre memória e preservação

Tinta Bruta, o filme da 'bicha que resiste' estreia no circuito comercial na França

Exclusão do português em exame de entrada na universidade na França gera protestos

Entre arqueologia e performance, jovem artista brasileira Manoela Medeiros estreia individual em Paris

“Macron quis governar a França como uma startup”, diz especialista sobre dois anos do presidente no poder

“Fomos influenciados pela França desde a infância”, diz autora de guias turísticos

“Legado de Da Vinci é universal” e disputa entre França e Itália é política diz professor da USP

Reforma da Previdência pode precarizar trabalhador com aumento da informalidade, diz economista Thomas Coutrot

“Rever o modo de funcionamento da educação no Brasil é muito preocupante”, diz Carlos Cury