rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

"O ator precisa ter cartas na manga", diz Letícia Spiller sobre carreira de cantora

Por Nina Santos

Conhecida por personagens memoráveis na televisão, a atriz Letícia Spiller agora faz incursões pelo mundo música. Ela lançou recentemente, junto com o cantor e compositor Dienis, a canção Lua Cheia, que tem versões em espanhol e português. 

"O ator precisa ter cartas na manga o máximo que ele puder", defende Letícia, que brinca dizendo que se pudesse ainda aprenderia a fazer acrobacias. Ela conta que a dança e o canto foram coisas que sempre estiveram vivas nela e se fortaleceram na gravidez da sua filha. Foi nesse momento que ela se aproximou dos musicais no teatro. Depois vieram vieram parcerias com amigos do universo musical.

Conjunção do destino

Segundo ela, uma conjunção de coisas que a levaram ao projeto da música Lua Cheia. "Tudo começou lá atrás quando os ciganos presentearam o Dienes com essa música. O Nicolás Martin, que é produtor da música, francês e meu amigo, teve a ideia de me convidar pra fazer essa participação". Ela se define como uma "atriz que canta" e não uma "cantora" e fala dos projetos comuns que tem com seu marido, o músico Pablo Vares, que também participa do projeto Lua Cheia.

"Tem um grupo de performance de música, poesia e artes plásticas que eu participo com uma amiga, o Pablo e o marido dela. Tem um espetáculo chamado Infusión, que é de música e dança, com as composições do Pablo. E em agosto eu estreio o musical Zorro, que ficará em cartaz em São Paulo até novembro", conta.

A atriz destaca que, para ela, é importante trabalhar com pessoas que admira e diz que considera Dienes um "grande artista e amigo". Eles se conheceram durante a novela I love Paraisópolis, onde Letícia atuava e cuja trilha sonora tinha uma música do cantor.

Clipe gravado no sul da França

O sul da França foi o local escolhido para gravar o clipe da canção de Dienes e Letícia. Ela conta que não foi fácil gravar as imagens e brinca que foram dias de "sangue, suor e lágrimas".

"Eu dormia no carro, comia baguete do supermercado no almoço, subi a pé as ladeiras de Châteauneuf-Villevieille, com minha roupa, bobs no cabelo. O camarim no meio da floresta, da ruína", lembra ela. A artista conta ainda que seu pé chegou a sangrar na cena em que ela roda de pés descalços com um vestido vermelho.

Letícia disse querer muito ampliar a parceria com Dienes. "Gostaria muito de fazer um EP com seis ou sete músicas pra gente sair por aí". A atriz afirmou não ter pretensões de ser uma cantora pop, mas se disse animada com o andamento dos projetos e sobretudo com a possibilidade de fazer parcerias com pessoas queridas.

 

“Se não tomarmos cuidado, fotografo um mundo em extinção”, diz Sebastião Salgado em Frankfurt

Barbara Paz: Documentário premiado em Veneza é seu “filho-filme” com Babenco

Conferência Internacional [SSEX BBOX] em Paris tem Jean Wyllys e Lea T na programação

Ao canonizar irmã Dulce, papa Francisco promove humanismo, diz biógrafo da religiosa brasileira

Brasil vendia imagem de país cordial, mas sempre foi autoritário, diz Lilia Schwarcz

"Descoberta mudou a física e a astronomia”, diz cientista brasileiro que pesquisou com novo Nobel

“Sucesso do cinema brasileiro não é acidente, foi plantado há vários anos”, diz Karim Ainouz

Da janela de um arranha-céu de Porto Alegre, Rodrigo John filma a “virada histórica” do Brasil de 2013 a 2018

“Desmonte da cultura é um verdadeiro pesadelo no Brasil” diz Julio Bressane, homenageado no Festival de Biarritz

“Surto de desmatamento na Amazônia se explica pela chegada do governo Bolsonaro”, diz cientista do INPA

Documentário sobre greve de caminhoneiros no Brasil é exibido em Paris

"Jacques Chirac vai ser lembrado como um bon vivant", diz escritor Gilles Lapouge

Violência no Brasil é fruto do aparato repressivo herdado da ditadura, diz filósofo Edson Teles

Festival 'Brésil en Mouvements' celebra 15 anos com 11 filmes inéditos e participação da família de Marielle Franco

Pesquisadores formam rede para divulgar acervos estrangeiros sobre cultura brasileira

"João Gilberto sintetizou o samba", diz Bernardo Lobo ao homenagear compositor em Paris

Em Paris, soprano brasileira Camila Titinger canta na ópera Don Giovanni