rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

"O ator precisa ter cartas na manga", diz Letícia Spiller sobre carreira de cantora

Por Nina Santos

Conhecida por personagens memoráveis na televisão, a atriz Letícia Spiller agora faz incursões pelo mundo música. Ela lançou recentemente, junto com o cantor e compositor Dienis, a canção Lua Cheia, que tem versões em espanhol e português. 

"O ator precisa ter cartas na manga o máximo que ele puder", defende Letícia, que brinca dizendo que se pudesse ainda aprenderia a fazer acrobacias. Ela conta que a dança e o canto foram coisas que sempre estiveram vivas nela e se fortaleceram na gravidez da sua filha. Foi nesse momento que ela se aproximou dos musicais no teatro. Depois vieram vieram parcerias com amigos do universo musical.

Conjunção do destino

Segundo ela, uma conjunção de coisas que a levaram ao projeto da música Lua Cheia. "Tudo começou lá atrás quando os ciganos presentearam o Dienes com essa música. O Nicolás Martin, que é produtor da música, francês e meu amigo, teve a ideia de me convidar pra fazer essa participação". Ela se define como uma "atriz que canta" e não uma "cantora" e fala dos projetos comuns que tem com seu marido, o músico Pablo Vares, que também participa do projeto Lua Cheia.

"Tem um grupo de performance de música, poesia e artes plásticas que eu participo com uma amiga, o Pablo e o marido dela. Tem um espetáculo chamado Infusión, que é de música e dança, com as composições do Pablo. E em agosto eu estreio o musical Zorro, que ficará em cartaz em São Paulo até novembro", conta.

A atriz destaca que, para ela, é importante trabalhar com pessoas que admira e diz que considera Dienes um "grande artista e amigo". Eles se conheceram durante a novela I love Paraisópolis, onde Letícia atuava e cuja trilha sonora tinha uma música do cantor.

Clipe gravado no sul da França

O sul da França foi o local escolhido para gravar o clipe da canção de Dienes e Letícia. Ela conta que não foi fácil gravar as imagens e brinca que foram dias de "sangue, suor e lágrimas".

"Eu dormia no carro, comia baguete do supermercado no almoço, subi a pé as ladeiras de Châteauneuf-Villevieille, com minha roupa, bobs no cabelo. O camarim no meio da floresta, da ruína", lembra ela. A artista conta ainda que seu pé chegou a sangrar na cena em que ela roda de pés descalços com um vestido vermelho.

Letícia disse querer muito ampliar a parceria com Dienes. "Gostaria muito de fazer um EP com seis ou sete músicas pra gente sair por aí". A atriz afirmou não ter pretensões de ser uma cantora pop, mas se disse animada com o andamento dos projetos e sobretudo com a possibilidade de fazer parcerias com pessoas queridas.

 

Hong Kong: Impacto internacional limita riscos de novo massacre pela China, diz professor

Brasileiro propõe Notre-Dame com cobertura leve em vitrais: “Risco estrutural é real”

“Somos seres humanos como Bolsonaro”, diz índio brasileiro no Festival de Locarno

“Países que praticaram políticas de privatização do ensino nunca chegaram a esse nível”, diz professora da Unirio, que participa do protesto pela educação no Brasil

Após turnê europeia, cantor Dienis retorna ao Brasil com “Lua Cheia”

Filme de brasileira concorre a prêmio no Festival de Locarno tocando em feridas abertas da colonização amazônica

Paulo Artaxo: limitar aquecimento global a 2°C é “praticamente impossível”

Não há risco de epidemia de malária vinda da Venezuela, mas de sarampo sim

Brasil vive "tentativa de imbecilização coletiva”, diz filósofo português

Arles: festival de fotografia mostra trabalho de Pedro Kuperman e indígenas Ashaninka, do Acre

“Aliança militar com EUA é coerente com projeto de submissão do Brasil”, diz pesquisador da UNESP

Ao dar "bolo" em chanceler francês, Bolsonaro mostra que não tem postura de presidente, analisa cientista político

“O sistema judiciário se tornou espaço de disputas políticas”, diz juiz Rubens Casara

Discurso de governo para explorar terras indígenas legitima invasões, alerta organização indigenista

“A sociedade diz todos os dias como uma mulher negra tem que se comportar”, afirma cantora Tássia Reis, em turnê na Europa

Demônios da Garoa se apresenta pela primeira vez na Europa em festival que homenageia São Paulo

“Workaholic”, Balzac tinha a pulsão de retratar a França do século 19, diz pesquisadora

“Foi o jornalismo que me preparou para a música”, diz a cantora Letícia Maura