rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Empresárias brasileiras visitam Paris para se “reconectarem com seu lado feminino”

Por Silvano Mendes

Na esteira do empoderamento feminino, têm se multiplicado os programas de formações e ferramentas para ajudar as mulheres a se posicionarem no mercado. Uma empresa brasileira decidiu acompanhar um grupo de empresárias até Paris para conhecerem de perto e se inspirarem de histórias de mulheres de sucesso, mas também desfrutarem da capital francesa, “a mais feminina das cidades”, segundo as organizadoras do projeto.

Um grupo de 27 empresárias brasileiras está nesse momento passando uma semana em Paris. Longe do turismo habitual, a viagem, organizada pela empresa de formação Sonata Brasil, é apresentada como um programa de autoconhecimento.

“São mulheres que optam por se empoderar e investir nas suas carreiras. Líderes executivas, empresárias, profissionais autônomas, e pessoas que já tem as suas carreiras consolidadas no mercado, já têm as suas formações, muitas com pós-graduação e mestrados, e vêm buscar algo mais”, explica Sheila Sampaio, uma das sócias da Sonata Brasil, que acompanha o grupo em Paris.

“Queremos trazer as mulheres para se reconectarem com seu lado feminino que, muitas vezes, elas deixam de lado. Nada melhor do que Paris que, das grandes cidades, é a mais feminina no mundo e berço de grandes mulheres, como Edith Piaf, Marie Curie, Veuve Clicquot e tantas outras”, continua Sheila, que dirige a empresa junto com as fundadoras Soraia Schutel e Natalia Leite.

Concretamente, o programa, que as idealizadoras definem como “experiencial” e diferente de uma sessão de coach, como as que estão na moda atualmente, é formado por visitas, que vão de caves de champanhes e hotéis de luxo a jardins históricos, como os de Claude Monet em Giverny, ou ainda monumentos, como o Palácio de Versalhes. Apesar dos ares de passeio turístico, as organizadoras garantem que há uma dimensão prática, como visitas de ateliês e empresas como a marca de perfumes Fragonard, “liderada por mulheres, para nos inspirarmos nessa história e para que elas encontrem a sua essência”, pontua Sheila.

Segundo ela, as participantes deixam a cidade “inspiradas subjetivamente pela beleza da cidade, mas também pela história dessas mulheres e a força do que elas viveram”. O objetivo principal, insiste Sheila, é que “tudo o que elas estão investindo de tempo e de energia aqui surta resultado nos negócios quando voltarem para o Brasil”.

Ouça a entrevista completa clicando na foto acima ou assista o vídeo.

Museu Internacional da Mulher será inaugurado em Portugal com curadora brasileira

Comitiva de indígenas brasileiros na Europa reforça campanha contra acordo UE-Mercosul

Claudia Jaguaribe lança livros de fotografia sobre mulheres e meio ambiente em Paris

“Atualidade política e social do Brasil me inspirou”, diz Flávia Coelho sobre disco DNA

“Leiam escritores brasileiros vivos!”, pede Fred Di Giacomo, finalista do Prêmio SP de Literatura

Mestre da Arte Óptica, Marcos Marin expõe em Paris obras de Neymar e Santos Dumont

Curador expõe fotógrafos brasileiros da nova coleção da Biblioteca Nacional da França em "Terra Brasilis"

Palcos europeus recebem pela primeira vez a música-poesia de Arthur Nogueira

Revelação do violão brasileiro, João Camarero leva sofisticação do choro a plateias europeias

Do interior do Amazonas a digital influencer premiada em Mônaco: a história de Cacau Sitruk

Duo franco-brasileiro lança disco que mistura “Trem das Onze” e Erik Satie

“Meu trabalho é pela pacificação”, diz pintora brasileira que expõe em Paris

Luiza Brunet diz que “toda mulher é feminista”: “apanhar aos 50 foi gota d’água”

Feira de Frankfurt: “Brasil é o país das impossibilidades”, diz Luiz Ruffato

“Se não tomarmos cuidado, fotografo um mundo em extinção”, diz Sebastião Salgado em Frankfurt

Barbara Paz: Documentário premiado em Veneza é seu “filho-filme” com Babenco

Conferência Internacional [SSEX BBOX] em Paris tem Jean Wyllys e Lea T na programação