rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

África do Sul Aids Saúde

Publicado em • Modificado em

Com 5,4 milhões de soropositivos, Aids recua na África do Sul

media
A Aids atinge 10,6% da população sul-africana. Reuters

Segundo última estimativa do governo sul-africano, o número de soropositivos no país baixou de 5,7 milhões para 5,38 milhões. Isso significa que 10,6% da população é portadora do vírus da Aids. A África do Sul, que é o país com maior número absoluto de soropositivos, realizou recentemente uma grande campanha de detecção.


A campanha, encerrada há algumas semanas, revelou duas milhões de pessoas contaminadas entre 14 milhões testadas. Sem falar em números, o vice-presidente Kgalema Motlanthe declarou nesta quinta-feira, diante do parlamento, que finalmente a doença está matando menos pessoas no país.

Ele destacou a importância dos programas de prevenção na África do Sul, mencionando que os jovens – grupo mais afetado pelo HIV, com 16,6% entre 15 a 29 anos – se convertem pouco a pouco aos preservativos.

Entre as mulheres grávidas, o índice de contaminação baixou para menos de 30%, acrescentou o vice-presidente. A taxa de transmissão de mãe para filho diminuiu também, caindo de 10% para 3,5% nos últimos três anos, disse Motlanthe.

A África do Sul continua sendo o país mais afetado pela Aids, em valores absolutos. No entanto, os índices de contaminação são bem mais elevados em países como Suazilândia, Botsuana e Lesoto, todos vizinhos da África do Sul.

O atual presidente, Jacob Zuma, foi bastante criticado por ter declarado há cinco anos que ele simplesmente se lavava para se proteger da Aids após uma relação sexual sem preservativo com uma mulher contaminada. A afirmação foi feita durante um processo em que Zuma era acusado de estupro, caso no qual acabou inocentado.