rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Saúde
rss itunes

Casal francês cria aplicativo para diabéticos e é premiado na maior feira tecnológica do mundo

Por Daniella Franco

Dentro da moda de aplicativos para orientar as pessoas a se alimentarem corretamente, um casal de franceses lançou o DietSensor. O objetivo é ajudar os diabéticos a controlar a ingestão de carboidratos, mas o aplicativo vem sendo usado também para o controle do colesterol, para perda de peso ou simplesmente para comer de maneira saudável.

Premiado como a melhor inovação na CES de Las Vegas - a maior feira do mundo de tecnologia de consumo - DietSensor vem fazendo sucesso na França. A RFI conversou com uma das criadoras do aplicativo, Astrid Bonnasse, que explicou de onde partiu a ideia para criar o mecanismo.

"Fizemos uma pesquisa que nos permitiu entender porque fazemos dietas. Descobrimos que na França 80% das pessoas pensam que sabem comer de maneira equilibrada. Mas, na verdade apenas 0,2% das pessoas sabem se alimentar de forma saudável. E é isso que precisamos aprender. Diet Sensor ensina como perder peso de maneira equilibrada, diminuir o colesterol ruim, a obesidade e combater as doenças cardiovasculares", afirma.

Para criar o aplicativo, Astrid e o marido, Rémy, tiveram também uma motivação pessoal. A filha do casal, Victoire, na época com 9 anos, foi diagnosticada com diabetes tipo 1. "Para que ela tivesse uma vida normal, tínhamos que contar a quantidade de carboidratos de suas refeições para dar a ela a boa dose de insulina. Só que não havia nada para nos ajudar a fazer essa contagem. Foi nesse momento que resolvemos inventar o Diet Sensor", conta.

Aplicativo analisa cada refeição realizada pelo usuário. DietSensor

Análise de cada refeição

O aplicativo pode ser baixado nos smartphones e vem sendo utilizado também para perder peso. O desafio é indicar o que se come a cada refeição para que a quantidade de carboidratos, gorduras, proteínas sejam analisadas.

Cada usuário pode configurar seu perfil com todas as particularidades e preferências para que o mecanismo proponha cardápios e quantidades adequadas ao perfil do utilizador e seus objetivos: emagrecer, ganhar músculos, diminuir o colesterol, etc. DietSensor tem o suporte de uma equipe de médicos e nutricionistas e, na versão paga, oferece também programas personalizados.

Pedimos à naturopata franco-brasileira Rafaela Tillier para testar o DietSensor. Especialista em programas naturais de nutrição e higiene de vida, a especialista deu o seu parecer: "Ele é bem completo e complexo. Achei que a obrigação de ter que indicar a toda hora o que se vai comer é um pouco cansativo. Mas eu entendo a utilidade desses aplicativos no dia a dia para que as pessoas tenham uma visão um pouco mais detalhada sobre o que elas estão comendo".

No entanto, a naturopata alerta: o desempenho de nenhuma tecnologia pode ser comparado ao de um profissional. "Apenas o nutricionista vai entender as individualidades e a personalidade do paciente. Estamos nessa moda onde tudo é informatizado, até mesmo a nossa alimentação, mas esquecemos que podemos aprender a se alimentar sem depender de um aplicativo. Afinal, se alimentar bem é algo que deve ser integrado à nossa personalidade e à nossa maneira de viver", conclui.

DietSensor oferece vários programas personalizados de nutrição. DietSensor

Depois do burn-out: conheça o ikigai, método japonês que ajuda a mudar de carreira

A volta da malária? Metade da população do Burundi foi contaminada e doença assusta Venezuela

Paris oferece teste de HIV gratuito em laboratórios privados, inclusive para estrangeiros

Câncer do pulmão atinge cada vez mais mulheres e a culpa é do cigarro

Pesquisador francês cria teste que prevê recaídas e sobrevida de pacientes com câncer do cólon

Uso prolongado de lâmpadas LED pode danificar retina, aponta relatório

Procura por gastroplastia sem corte cresce na França com aumento da obesidade

Telemedicina: um mercado que deve mudar (para melhor) a vida dos pacientes

Desigualdade social afeta saúde dos franceses mais pobres, mostra pesquisa

Em livro, francês narra a dura decisão de abortar filho com Síndrome de Down