rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Festival VISA pour l'image Rio

Publicado em • Modificado em

Fotógrafo alemão mostra na França um mundo à parte no subúrbio carioca

media
Maria Eduarda, moradora de complexo fotografado por Peter Bauza. @Peter Bauza

“Copacabana Palace” é o título de uma das principais exposições do festival Visa Pour L’Image, que acontece em Perpignan, no sul da França, um dos grandes eventos internacionais do mundo do fotojornalismo, com parceria da RFI. O autor é o alemão Peter Bauza, que passou meses convivendo com moradores de umprecário conjunto habitacional no subúrbio carioca. 


O título “Copacabana Palace” é uma ironia ao mítico hotel carioca. Não há nada de luxo ou glamour no complexo residencial, na região de Campo Grande, a 60km a oeste do centro do Rio de Janeiro. As obras foram iniciadas há três decadas e acabaram abandonadas, tornando-se então refúgio para centenas, milhares de sem-tetos. “Tão perto da riqueza, mas longe o bastante para permanecer escondido”, diz o fotojornalista. O condomínio também é conhecido, pelos próprios moradores, como “Carandiru” ou “Jambalaya”.

“Fiz 25 mil fotos, mais de 400 retratos. É difícil saber quantas pessoas moram ali, nem as autoridades sabem”, conta Bauza. “Acho que são umas 250 famílias, cada uma com dois, três filhos, você multiplica isso e pode ter uma idéia de quantos vivem ali”, completa.

“Um mundo dentro de um mundo”, segundo fotojornalista

Peter Bauza lembra que não é só questão de ter um teto, mas de ter uma moradia digna, o que não acontece no complexo de seis prédios, inicalmente projetados para famílias de classe média. Não há janelas ou saneamento básico, e famílias numerosas se amontoam em espaços de um ou dois cômodos. “É um mundo dentro de um mundo”, diz.

O fotógrafo acompanhou o dia-a-dia dos moradores durante meses, conquistando a confiança dos habitantes, que abriram as portas de suas casas e de seus momentos íntimos. As imagens mostram crianças brincando, casais enamorados, indivíduos abandonados, drogas e orações, no meio de precariedade, perigo e lixo.

Bauza lembra que um dos objetivos de seu trabalho foi dar uma cara e uma voz a esses moradores. “Este festival é uma plataforma importante para falar desse problema, vamos falar disso em vários festivais e exposições no mundo todo”.

“Copacabana Palace” é também um livro que acaba de ser lançado pela editora alemã Lammerhuber, com texto em três línguas: alemão, inglês e português.


Prêmio de informação digital

« Desenhos de Fatima » recebeu o prêmio Visa de Ouro de informação digital, que tem parceria da RFI e que é conferido a trabalhos que utilizam novas mídias para tratar da atualidade. O projeto, do sueco Magnus Wennman, mistura animação e vídeo em que uma menina síria refugiada na Suécia relata sua difícil viagem em direção à liberdade, suas memórias do país natal e as novas experiências numa terra muito diferente.