rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Cultura
rss itunes

Curta mineiro "Vênus-Filó - A Fadinha Lésbica" intriga Berlinale

Por Leticia Constant

O diretor mineiro Sávio Leite foi para o Festival de Cinema de Berlim apresentar, na mostra Panorama, o curta de animação “Vênus-Filó - A Fadinha Lésbica”. O texto erótico, narrado fielmente, foi extraído da antologia poética “Bufólicas”, da grande escritora contemporânea paulista Hilda Hilst. A animação, cenário e direção de arte são de Denis Leroy.

A animação é o universo de Sávio, que já dirigiu dez filmes e participou de cerca de 300 festivais em 30 países. “Representar o Brasil, no festival de Berlim, é um orgulho imenso e com um filme de animação, mais ainda! Porque a animação do Brasil está crescendo, estamos no momento mais interessante de todos os tempos, está crescendo tanto em qualidade quanto em produção, os filmes estão sendo vistos, premiados, isso contribui e ajuda para o desenvolvimento do filme de animação no Brasil’, diz o diretor.

Como o texto da Fadinha Filó virou filme

A vontade de fazer o filme começou há nove anos, quando Sávio descobriu o universo de Hilda Hilst. Desde então, ele batalhou para ter os direitos do curta e poder fazer o filme.

Sem dúvida, o texto e as imagens são sustentados pela locução incrível da atriz Helena Ignez, que interpreta num tom justo e malicioso as peripécias eróticas da Fadinha Filó. O diretor achou que a locução tinha que ser feita por uma mulher, pois Vênus é feminina e a fada também é uma mulher.

E logo pensou em Helena Ignês, que considera uma das maiores atrizes brasileiras vivas, tendo trabalhado com monstros sagrados como Glauber, Julio Bressane, Rogerio Sganzerla: “Acho que ela acrescentou muito no filme, tão importante quanto os desenhos e os textos, é ter a voz dela, que se identificou muito com o texto da Hilda Hilst’, conta o diretor.

Gif erótico

As imagens do filme foram pensadas pelos gifs animados, que tiveram um boom no ano passado, no Brasil. O gif animado é uma animação baseada em várias fotos em sequência para fazer um movimento. "Pesquisamos gifs eróticos na Internet e usamos a rotoscopia, uma técnica de animação em que se desenha em cima de uma imagem real", conta o diretor.

Vivendo em Belo Horizonte, Sávio Leite fundou, há 15 anos, a MUMIA - Mostra Mundial Udigrudi de Animação. Ele também e é autor de dois livros sobre o género: ‘O cinema de animação em Minas Gerais” e ‘Maldita Animação Brasileira”.
 

Coreógrafa francesa Maguy Marin prepara bailarinos da Escola da Maré para espetáculos na França

Tragédia no Mediterrâneo é tema de peça de Christiane Jatahy em Paris

Protestos contra assédio marcam festival independente de música feminina na França

Detentas ganham visibilidade em exposição de fotos em castelo francês

Rock, electro, punk, rap: conheça os artistas que estão fazendo vibrar a cena musical na França

Peça "Apareceu a Margarida", marco contra a ditadura brasileira, faz sucesso há 40 anos na França

Women House: Exposição em Paris destrói estereótipos da mulher “do lar”

Árpád Schilling encena desencanto e ruptura em “perfomance dos Bálcãs”

Mega exposição em Paris homenageia Barbara, ícone da chanson française