rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Único longa brasileiro em Cannes, Gabriel e a Montanha conquista imprensa e crítica

Por Silvano Mendes

Ele morreu realizando um sonho – o de conhecer o mundo longe dos clichês e do turismo convencional. Essa é a história de Gabriel Buchmann, um carioca de 28 anos que decidiu dar a volta ao mundo, mas teve sua viagem interrompida por um grave acidente. O acidente virou filme e é uma das poucas produções brasileiras este ano no Festival de Cinema de Cannes.

Dirigido por Fellipe Barbosa, o filme “Gabriel e a Montanha” tem conquistado o público e a imprensa em Cannes, onde concorre na Semana da Crítica. O jornal Le Monde que chegou às bancas na tarde desta terça-feira (23), aliás, tece vários elogios à trama, na qual o cineasta conta os últimos dias de vida de seu amigo de infância.

“Foi uma história que tomou muito conta do nosso imaginário”, conta o diretor, em referência à morte do amigo, em 2009. “O impulso inicial foi desvendar um pouco das muitas perguntas não respondidas e muitos mistérios” lembra o cineasta, que ficou conhecido na França com o filme “Casa Grande”.

O personagem principal do filme, interpretado com maestria pelo ator João Pedro Zappa, estava prestes a terminar sua aventura, quando desapareceu. As autoridades levaram 19 dias para encontrar seu corpo no monte Mulanje, no sul do Maláui, onde havia morrido de hipotermia.

Para reconstituir a história, Barbosa consultou fotos, e-mails, e principalmente testemunhos de pessoas que encontraram Gabriel em seus últimos 70 dias de vida. Alguns deles interpretam seus próprios papéis no filme.

Além disso, o cineasta contou com a ajuda da família do amigo. A mãe e a irmã de Gabriel viram o filme pela primeira vez em Cannes. “Elas ficaram muito emocionadas depois da sessão. Sinto uma certa tranquilidade na mãe dele que eu não via antes. Acho que foi importante para ela essa catarse”.

O filme também conquistou os distribuidores em Cannes. Uma estreia já está prevista nos cinemas franceses no mês de agosto de 2017.

Ouça a entrevista completa clicando na foto acima ou assista o video abaixo.
 

"Podemos nos afogar nas paisagens brasileiras", diz pintora francesa Guillaine Querrien

"O Brasil pode competir de igual para igual com os maiores ecossistemas de inovação do mundo", diz empreendedor brasileiro

"Há uma grande correlação entre música erudita e popular", diz cantora Rany Boechat

“Há um projeto de destruição do ensino superior público no Brasil”, denuncia professora da UERJ

Tite destaca lado humano de Neymar e diz: "Tem visibilidade grande, muitas vezes vão invejar, falar mal"

"Transformamos a China de concorrente a mercado para nossos calçados", conta Roberta Ramos

Pesquisadora traça paralelo entre os períodos pré-64 e pré-impeachment de Dilma

“Cinema independente tem mais espaço para produção de mulheres”, diz pesquisadora da Sorbonne

"É fundamental que Lula seja candidato em 2018", diz Bresser Pereira, ex-ministro de FHC

“Brasil produz mais de 400 tipos de queijos”, revela a chef Roberta Sudbrack

"Catequismo da luta anticorrupção estimula protagonismo do Judiciário no Brasil", diz especialista

“Nós vendamos o público para tentar curá-lo da cegueira do Outro”, diz encenador de Cidade Cega

"Cinema precisa rever seus privilégios no Brasil de hoje", diz Marcelo Caetano

“Escrever já é uma resistência”, defende poeta Ana Elisa Ribeiro em Paris

Brasileiro Lucas Guimaraens é curador convidado da Bienal de Poetas na França

"Clarice Lispector é única não só no Brasil, mas no mundo também", diz biógrafo Benjamin Moser