rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Artista brasileira cria livros com crianças indígenas e quilombolas na Amazônia

Por Elcio Ramalho

A artista visual, educadora e mediadora cultural Marie Ange Bordas é autora do projeto "Tecendo Saberes", que busca valorizar e divulgar as culturas tradicionais brasileiras por meio do olhar das crianças.

Em 2014, ela conviveu com crianças de comunidades quilombolas do Baixo Amazonas (Pará) e do povo indígena Huni Kui do Rio Humaitá (Acre), o que resultou, respectivamente, nos livros “Manual das Crianças do Baixo Amazonas" e "Manual das Crianças Huni Ku".

A artista deu uma palestra no último sábado (10), em Paris, sobre seu trabalho. O evento fez parte da Semana da América Latina e Caribe e foi organizado pelo Centro Cultural do Brasil no Espaço Krajcberg.

“A metodologia do projeto é muito orgânica. A base é a convivência, estar juntos. Não é pular de paraquedas, chegar e depois sair correndo. É de fato ficar”, explica Marie Ange. “Em cada comunidade se fica um certo tempo. No Baixo Amazonas, região do Pará entre os rios Amazonas e Trombetas, trabalho desde 2012. Comecei com outros projetos, prêmios que ganhei do Ministério da Cultura.”

Segundo ela, o objetivo “é falar dessas culturas a partir da identidade cultural que as crianças vivem no dia a dia”. “Identifiquei muito a cultura e o pertencimento à comunidade através da relação delas com a natureza e com o próprio meio. O saber sobre as plantas, os animais, de criar brinquedo. No lugar de viajar, fotografar, voltar e falar, a ideia foi criar esse conteúdo com as crianças.”

Temas sociais

No Baixo Amazonas, ela realizou vários encontros com os professores das comunidades quilombolas, que pediram para que ela pensasse em materiais para as escolas. “Eles me disseram que a sua cultura não estava representada no material didático, que estavam trabalhando no meio da Amazônia com material que vinha de fora”, conta Marie Ange.

Ela ressalta que a situação tem mudado nos últimos anos, “com grandes incentivos a projetos locais”, mas que “ainda há esse déficit”.

Marie Ange iniciou o projeto depois de muitos anos vivendo fora do Brasil. “Eu trabalhei com temas sociais, principalmente na África, com o interesse em envolver as pessoas na criação de projetos comuns. Comecei trabalhando com refugiados durante muito tempo, mas a ideia não era viajar como jornalista e falar dessas realidades. Era oferecer as ferramentas que eu tinha para que essas comunidades falassem delas mesmas.”

Ao voltar ao Brasil, devido à experiência no continente africano, ela foi “envolvida pela questão dos movimentos quilombolas”. “Criei uma rede de contato em comunidades tradicionais brasileiras.” Ela continua a desenvolver o "Tecendo Saberes".

 

“Sociedade civil é quem vai mudar o Brasil”, diz empresária Luiza Trajano em Paris

“É preciso regulação para que investigações sobre fake news não demorem anos”, diz especialista

"O problema do brasileiro é se conformar que Bolsonaro está eleito", diz Delfim Netto

Fotógrafa francesa Charlotte Dafol expõe em Paris imagens de ocupações brasileiras

“Atualmente, a França me dá mais perspectivas que o Brasil”, diz cantora Camila Costa que lança CD em Paris

"Trump colocará na conta dos democratas tudo o que não conseguir fazer", diz ex-correspondente do NYT no Brasil

"Governo brasileiro precisa facilitar exportação para pequenos empresários", afirma designer de joias

Grupo franco-brasileiro Bel Air de Forró é finalista em concurso internacional

"Brasil caminha muito mais para o isolamento do que para uma relação integrada com a comunidade internacional," diz cientista político

“A oratória de protesto do rap estava um pouco adormecida”, diz MC Rael, em turnê na Europa

Pintora brasileira radicada na França denuncia desmatamento da Amazônia em telas gigantes

Diretora de teatro de Belo Horizonte divulga festival artístico interdisciplinar em Paris

Bolsonaro representa uma continuidade do que está acontecendo hoje no Brasil, diz historiador americano

“Estamos todos ameaçados”, diz escritor João Paulo Cuenca sobre Bolsonaro

Cordel se adapta à tecnologia e tem até desafio repentista por WhatsApp, diz pesquisadora francesa

"Brasil vive época propícia para arte subversiva", diz autor de livro sobre cena musical psicodélica

Livro sobre Dandara, líder do movimento negro do Quilombo dos Palmares, é lançado na França

“Uso da religião está sendo deturpado nas eleições", diz médium Divaldo Franco

“Minha música é um engajamento pela liberdade”, diz gaúcho radicado na França