rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Artista brasileira cria livros com crianças indígenas e quilombolas na Amazônia

Por Elcio Ramalho

A artista visual, educadora e mediadora cultural Marie Ange Bordas é autora do projeto "Tecendo Saberes", que busca valorizar e divulgar as culturas tradicionais brasileiras por meio do olhar das crianças.

Em 2014, ela conviveu com crianças de comunidades quilombolas do Baixo Amazonas (Pará) e do povo indígena Huni Kui do Rio Humaitá (Acre), o que resultou, respectivamente, nos livros “Manual das Crianças do Baixo Amazonas" e "Manual das Crianças Huni Ku".

A artista deu uma palestra no último sábado (10), em Paris, sobre seu trabalho. O evento fez parte da Semana da América Latina e Caribe e foi organizado pelo Centro Cultural do Brasil no Espaço Krajcberg.

“A metodologia do projeto é muito orgânica. A base é a convivência, estar juntos. Não é pular de paraquedas, chegar e depois sair correndo. É de fato ficar”, explica Marie Ange. “Em cada comunidade se fica um certo tempo. No Baixo Amazonas, região do Pará entre os rios Amazonas e Trombetas, trabalho desde 2012. Comecei com outros projetos, prêmios que ganhei do Ministério da Cultura.”

Segundo ela, o objetivo “é falar dessas culturas a partir da identidade cultural que as crianças vivem no dia a dia”. “Identifiquei muito a cultura e o pertencimento à comunidade através da relação delas com a natureza e com o próprio meio. O saber sobre as plantas, os animais, de criar brinquedo. No lugar de viajar, fotografar, voltar e falar, a ideia foi criar esse conteúdo com as crianças.”

Temas sociais

No Baixo Amazonas, ela realizou vários encontros com os professores das comunidades quilombolas, que pediram para que ela pensasse em materiais para as escolas. “Eles me disseram que a sua cultura não estava representada no material didático, que estavam trabalhando no meio da Amazônia com material que vinha de fora”, conta Marie Ange.

Ela ressalta que a situação tem mudado nos últimos anos, “com grandes incentivos a projetos locais”, mas que “ainda há esse déficit”.

Marie Ange iniciou o projeto depois de muitos anos vivendo fora do Brasil. “Eu trabalhei com temas sociais, principalmente na África, com o interesse em envolver as pessoas na criação de projetos comuns. Comecei trabalhando com refugiados durante muito tempo, mas a ideia não era viajar como jornalista e falar dessas realidades. Era oferecer as ferramentas que eu tinha para que essas comunidades falassem delas mesmas.”

Ao voltar ao Brasil, devido à experiência no continente africano, ela foi “envolvida pela questão dos movimentos quilombolas”. “Criei uma rede de contato em comunidades tradicionais brasileiras.” Ela continua a desenvolver o "Tecendo Saberes".

 

Marcela Levi e Lucía Russo: Crise no Brasil está esgotando a criação na dança

Pesquisador brasileiro comemora consolidação do futebol em meio acadêmico

Tatiana Leskova, testemunha viva da história do balé, é homenageada em Paris

Em Annecy, diretor de 'A Era do Gelo' revela desejo de criar séries de animação com parceiros no Brasil

“Temos que lutar para que não haja adiamento das eleições no Brasil”, diz Celso Amorim

Ministro da Cultura Sérgio Sá Leitão destaca "crescimento chinês” do audiovisual brasileiro

“Nossa música não está mais conectada com o povo”, diz compositor André Mehmari

Jornalista lança livro em Paris sobre José Ibrahim, um dos maiores nomes do sindicalismo brasileiro

“Roland Garros é a alma do tênis brasileiro atualmente”, diz Guga ao ser nomeado embaixador do torneio

Modelo de integração é de "indiferença às diferenças": romance de escritora franco-brasileira discute lugar da mulher mestiça entre Brasil e França

Mestre Reginaldo Maia resgata valores ancestrais da capoeira de Angola em Paris

“As eleições no Brasil já estão comprometidas”, diz presidente do PCO

"Moradia para todos é uma guerra política", diz urbanista João Whitaker em Paris

"Em tempos de email, só as cartas conseguem produzir uma eternidade nas pessoas", diz escritor Rodrigo Dias

Dupla Dinho Nogueira e Zé Barbeiro traz shows e cursos de choro para Europa

“Meu Brasil” é tema de mostra fotográfica em Paris criada com método de “mentoria”