rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

"Paris é uma cidade que me inspira": Raul Mascarenhas, saxofonista

Por Leticia Constant

A França é uma inspiração para o saxofonista e compositor brasileiro Raul Mascarenhas, 64 anos, radicado no país desde 1998. Na entrevista a seguir, ele conta como nasceu essa paixão.

“Minha relação com a França começou quando eu tinha 19 anos, vim trabalhar, foram dois anos, mas sempre fiquei com a França na cabeça. Voltei para o Brasil por causa de planos pessoais, mas retornei umas 50 vezes, acompanhando artistas como Gilberto Gil e outros. Em 1998, vim para ficar”, conta o músico, que mora em Montreuil, subúrbio próximo de Paris.

"Johnny Alf foi um presente"

Mascarenhas conta que trabalhar com Johnny Alf foi fundamental em sua carreira. “Foi um dos maiores presentes da minha vida – um grande compositor, uma pessoa adorável, um príncipe, que me ensinou muitas coisas e que gostava da noite. Tem músico que não gosta disso, mas a gente tocava no Rio, todas as noites, durante quase dois anos, com uma folga por semana. Tenho muitas saudades desse tempo”, diz o saxofonista.

Na França, Mascarenhas trabalha em diferentes frentes. Toca muito em clubes tradicionais de jazz, como o mítico Duc des Lombards, em Paris. Desde que chegou no país, ele é parte de um trio, o Bossa Brasil, que também tem Paulo Guima e Alina Papa na formação. “Moramos em cidades diferentes, mas a gente se reúne e toca regularmente em Mônaco, St. Tropez e outras cidades”, diz.

"Sax DJ"

O músico fala com entusiasmo de uma outra atividade que vem exercendo ultimamente, a de “sax DJ”, ou seja, tocar jazz e combinar com outros sons. “Se um cliente gostar de ‘La Vie em Rose’, por exemplo, eu faço um solo e logo encaixo uma house music”, explica.

Quanto ao Raul compositor, ele conta que compõe institivamente. “Sou autodidata em tudo, tive aulas esporádicas, mas não segui nenhuma educação formal. No Brasil, quando eu tinha carro, compunha dirigindo. Foram quatro discos solos e outras em parceria. Vou confessar, nunca procurei por isso, sempre gostei de tocar com outros, sou meio preguiçoso, mas os álbuns aconteceram”, revela o artista.

Para saber mais sobre o trabalho de Raul Mascarenhas, clique no vídeo abaixo:

Viagens do surrealista francês Benjamin Péret pelo Brasil são tema de livro

Mario Bakuna fala sobre tocar clássicos russos com “pegada brasileira”

Startup carioca alia tecnologia de ponta e fornecedores franceses para criar produtos 100% recicláveis

Falhas do Estado explicam aumento de apoio à pena de morte no Brasil, diz pesquisador da HRW

"As pessoas bebem café gourmet em busca de status social", revela sociólogo brasileiro

"Nossa dívida pública é alimentada por mecanismos fraudulentos", alerta ONG da Dívida

Guilherme Pimentel: "O WhatsApp é uma ferramenta de denúncia da violência policial no Rio"

"Condenado, preso ou livre, Lula é fator mais relevante da eleição 2018”, diz cientista política

“Me sinto adotado pelos músicos brasileiros”, diz violinista francês Nicolas Krassik

"É urgente transformar o consumo", diz estilista brasileira vencedora de prêmio em Paris

“Lisboa é uma ‘cidade resort’”, afirma membro de associação turística

Sommelière ensina como economizar na hora de escolher vinhos para o Natal

"Trabalhar com cultura piorou muito desde o golpe", diz a coreógrafa Lia Rodrigues

"Número de suicídios de adolescentes cresce no Brasil", revela Marlene Iucksch

Livro "A Árvore Oca” nos faz refletir sobre as nossas buscas e escolhas