rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Rosivaldo Cordeiro propõe parceria artística entre França e Amazonas

Por Patricia Moribe

Ele toca de tudo: cavaquinho, pandeiro, bandolim e violão de 6, 7 cordas. Dá aulas. Compõe. Arranja. Produz. Faz shows. Divulga seus álbuns. E agora Rosivaldo Cordeiro está à frente de um projeto de parceria multicultural entre a França e seu estado natal, o Amazonas.

O objetivo do programa é um intercâmbio entre artistas amazonenses e franceses, através de uma feira multicultural com calendário fixo. A primeira data já está marcada, vai ser no mítico Teatro Amazonas, no dia 8 de setembro de 2017.

“Houve a vontade de diminuir as distâncias, além do mais Manaus teve uma relação muito estreita com Paris durante a belle époque”, conta Rosivaldo Cordeiro. O evento vai ter participação de vários artistas franceses e da Orquestra de Câmara do Amazonas.

A primeira temporada do artista na França foi há 21 anos, junto com o sucesso do grupo Carrapicho com a música Tic, Tic, Tac, do qual Rosivaldo fazia parte. Agora ele se instala em solo francês inclusive com um visto especial de “competência e renome internacional”, com o qual pode trabalhar e desenvolver seus projetos.

Rosivaldo Cordeiro está divulgando vários álbuns paralelamente. Com “Guitarreiro”, ele resgata mestres da chamada guitarrada amazonense. Já “Le Bateau des Rêves” traz a participação da cantora franco-portuguesa Madalena Trabuco. E “Rivières” (Rios) é uma espécie de pororoca musical, marcando o encontro entre o Amazonas de Cordeiro com o Sena do cavaquinhista, baixista e guitarrista francês Jef Calmard.

Para saber mais sobre os projetos de Rosivaldo Cordeiro, clique no vídeo abaixo:

"Estamos posicionando o design de mobiliário brasileiro no circuito internacional"

Temer deve ficar até 2018 porque “ninguém quer esse abacaxi”, diz economista

Escritora baiana radicada na Alemanha: “Sou discriminada em meu próprio país”

Entre Brasil e França, "Ocupação Agora" discute crise brasileira na dança contemporânea

Reforma trabalhista de Macron é correta, mas impacto é incerto, diz economista Cristina Terra

“Privatizações aumentam confiança na economia brasileira”, diz especialista

Lei Di Dai e a maconha: “Mesmo que as pessoas fumem, elas ainda não assumem”

"Mais desmatamento", diz diretor do WWF Brasil, sobre decreto que extingue reserva

"Clima na Coreia do Norte é de relativa normalidade", diz diplomata brasileiro Cleiton Schenkel

Apesar de guerra, Brasil participa de Feira de Damasco, relata diplomata Bruno Razente