rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Entre Brasil e França, "Ocupação Agora" discute crise brasileira na dança contemporânea

Por Silvano Mendes

De junho a novembro de 2017, o teatro da Aliança Francesa da Tijuca, no Rio de Janeiro, recebe o projeto “Ocupação Agora”, uma espécie de ponte entre a França e o Brasil no mundo da dança contemporânea. Para falar sobre o assunto, RFI Convida Astrid Takche de Toledo, bailarina e produtora cultural radicada em Paris, uma das idealizadoras do projeto.

O projeto "Ocupação Agora" consiste num espaço propício para encontros, trocas e conversas entre artistas brasileiros e internacionais sobre a questão política que estamos vivendo no Brasil e no estado do Rio de Janeiro atualmente", explica a artista.

“O projeto nasceu do desejo de poder criar um espaço de encontro, de existência e de troca. O Rio de Janeiro está passando por uma crise muito grave nos seus equipamentos culturais e em suas políticas culturais e, por necessidade, decidimos nos unir”, completa Astrid, que representa artistas franceses e internacionais no Brasil, como Fabrice Ramalingom, da companhia R.a.M.a.

Encontro com a Aliança Francesa

“O encontro com a Aliança Francesa foi fundamental. Numa conversa, quase um desabafo, com a direção-geral da Aliança Francesa do Rio de Janeiro, a gente expôs essa falta de perspectiva por causa desse monte de problemas ligados à crise do Estado e da Prefeitura do Rio e eles cederam graciosamente o teatro da Tijuca para criarmos este espaço de encontro e de troca, conta a produtora cultural.

“A partir do momento que eles cederam essa possibilidade, a gente sentiu que um movimento em torno dessa ideia e dessa possibilidade começou a ser fomentada. Realmente, foi uma abertura que deu um sopro, por menor que seja, pra esse momento de crise que a gente está vivendo", afirma Astrid.

“O projeto ainda não tem financiamento, mas contamos com o apoio [além da Aliança Francesa] da Universidade de Teatro do Rio de Janeiro, a Unirio, que cede espaços para oficinas”, explica Astrid Takche de Toledo. No mês de setembro vamos acolher o coletivo da Ivana Menna Barreto, que passava justamente por dificuldades de espaço. A companhia apresentará, no fim do mês, na Aliança Francesa do bairro de Botafogo, uma etapa do novo trabalho, já acontecendo dentro desta nova perspectiva de ocupação”, afirmou a artista.

*Para ouvir a entrevista com Astrid Takche de Toledo na íntegra, clique na foto acima.

Livro sobre Dandara, líder do movimento negro do Quilombo dos Palmares, é lançado na França

“Uso da religião está sendo deturpado nas eleições", diz médium Divaldo Franco

“Minha música é um engajamento pela liberdade”, diz gaúcho radicado na França

“Apenas distanciamento histórico vai explicar o que deu errado no Brasil”, diz cineasta Filipe Galvon

"Brasileiros querem coisas novas, mesmo que elas piorem para depois melhorar", diz Luiz Olavo Baptista

Jussara Korngold: "Brasileiros contribuiram para entrada do espiritismo nos EUA"

Documentário sobre ocupação do prédio do IBGE durante Rio 2016 é lançado na França

“Brasil virou um território da burrice”, diz escritor Bernardo Carvalho

“Há uma crença de que um regime mais militarizado colocaria ordem no Brasil”, diz historiadora da USP

Campanha da extrema direita mergulha Brasil em momento regressivo, diz especialista em segurança

"Faremos políticas públicas de alto impacto e baixo custo", diz cocandidata da Bancada Ativista de SP

Bolsonaro é produto de "avacalhação" da democracia brasileira, diz analista

Tudo o que você precisa saber para votar nas eleições brasileiras de 2018 em Paris

“Eu quis mostrar o ciclo criminoso que persiste no sertão brasileiro”, diz cineasta Eduardo Morotó em Biarritz

“Era inimaginável ver alguém defendendo a volta da ditadura, como hoje no Brasil”, diz a cineasta Flávia Castro

“Bolsonaro representa a banda podre do Brasil”, diz cartunista Adão Iturrusgarai

Bela Gil em festival Slow Food na Itália: “É importante conhecer quem produz o alimento”