rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

"Clarice Lispector é única não só no Brasil, mas no mundo também", diz biógrafo Benjamin Moser

Por Mauricio Assumpção

No ano em que o mundo literário relembra os 40 anos da morte de Clarice Lispector, a Éditions des Femmes lança, na França, a coleção completa dos seus contos num único volume. O historiador e jornalista americano Benjamin Moser, autor da melhor biografia publicada sobre a escritora, assina a introdução da coletânea.

Em 2009, Moser lançou, nos Estados Unidos, Why this World, a mais completa biografia de Clarice Lispector, que, no Brasil, foi publicada pela editora Cosac & Naify com o título Clarice, uma biografia.

Desde então, o trabalho tem sido traduzido em várias línguas, incluindo o espanhol, francês e holandês, despertando não só o interesse pela dramática vida de Clarice, mas também por toda a sua obra.

Todos os Contos

Em 2015, Moser editou e publicou, em inglês, a coleção completa dos 85 contos da escritora, num único volume, de um modo, até então, jamais feito no Brasil.

“A grande novidade desse livro é que, pela primeira vez na história, você pode ler os contos de uma mulher de classe média, heterossexual, casada, com filhos, que descreve toda a sua vida (dos 19 anos até a morte). Isso não é uma novidade somente no Brasil. É algo inédito em nível mundial”, explica Moser.

Brincando com o português

Nascida na Ucrânia, filha de judeus que se refugiaram no Brasil, Clarice cresceu falando português sem jamais demonstrar estranhamento com a língua. Pelo contrário, a dominou ao ponto de manipulá-la com seus caprichos gramaticais.

“Ela mexeu com o português culto, renovando-o de uma tal maneira que, até hoje, é sentida na literatura brasileira”, opina Moser.

A vitória sobre o machismo

Mulher, esposa e mãe, Clarice encarou as dificuldades enfrentadas por qualquer escritor somadas ao fato de ser mulher no Brasil das décadas de 1940 e 1950.

“Clarice foi descrita como uma louca, que não sabia falar direito… Mas o machismo não era só no Brasil. Era em toda parte. Lendo resenhas publicadas na imprensa sobre livros escritos por mulheres, você sente a condescendência, o desprezo, uma coisa apavorante! O mais impressionante é ver como essas mulheres conseguiram continuar a escrever. Eu teria desistido se tivessem falado de mim assim!”, conclui Moser.

Clique no box abaixo para assistir à entrevista completa de Benjamin Moser.

Pesquisador brasileiro comemora consolidação do futebol em meio acadêmico

Tatiana Leskova, testemunha viva da história do balé, é homenageada em Paris

Em Annecy, diretor de 'A Era do Gelo' revela desejo de criar séries de animação com parceiros no Brasil

“Temos que lutar para que não haja adiamento das eleições no Brasil”, diz Celso Amorim

Ministro da Cultura Sérgio Sá Leitão destaca "crescimento chinês” do audiovisual brasileiro

“Nossa música não está mais conectada com o povo”, diz compositor André Mehmari

Jornalista lança livro em Paris sobre José Ibrahim, um dos maiores nomes do sindicalismo brasileiro

“Roland Garros é a alma do tênis brasileiro atualmente”, diz Guga ao ser nomeado embaixador do torneio

Modelo de integração é de "indiferença às diferenças": romance de escritora franco-brasileira discute lugar da mulher mestiça entre Brasil e França

Mestre Reginaldo Maia resgata valores ancestrais da capoeira de Angola em Paris

“As eleições no Brasil já estão comprometidas”, diz presidente do PCO

"Moradia para todos é uma guerra política", diz urbanista João Whitaker em Paris

"Em tempos de email, só as cartas conseguem produzir uma eternidade nas pessoas", diz escritor Rodrigo Dias

Dupla Dinho Nogueira e Zé Barbeiro traz shows e cursos de choro para Europa

“Meu Brasil” é tema de mostra fotográfica em Paris criada com método de “mentoria”

Livro conta como Lisboa se tornou o “centro do mundo” na Segunda Guerra

Psicóloga brasileira publica na França livro sobre terapia sistêmica individual