rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Maria Thereza Alves exibe obras na França para mostrar “complexidade do Mediterrâneo”

Por Elcio Ramalho

A exposição "The Middle of Earth", aberta no dia 2 de março no Instituto de Arte Contemporânea de Villerbaunne-Rhône-Alpes, no sudeste da França, traz a visão da artista plástica brasileira Maria Thereza Alves sobre o mar Mediterrâneo, um espaço rico em histórias e lendas.  

“Quando a Terra era composta por apenas dois continentes, o mar Mediterrâneo ainda existia como mar e permaneceu todo o tempo com este estado físico. Antes era chamado de Têthys, uma personagem mítica, filha de Urano, o Céu, e Gaia, a Terra”, explica.  “É muito interessante estudar a história dessa parte do mundo que envolve a Europa, o Oriente Médio e a África”, acrescenta.

A exposição é a sequência do projeto “Seeds of changes” (Sementes da mudança), iniciado pela artista em 1999 em Marselha, sul da França, e ao mesmo tempo um diálogo com o trabalho de Jimmie Durham, autor do projeto Eurasien.

Os dois artistas buscaram inspiração nas histórias, vegetação e fauna da região para conceber um trabalho que ganhou contornos sobretudo poéticos.

Maria Thereza Alves explica ter planeajdo com o parceiro a exposição como um poema dividido em estrofes. “Optamos por um poema trágico devido à situação contemporânea do Mediterrâneo”, argumenta.

No diálogo entre os trabalhos dos dois artistas, eles usaram objetos artísticos arqueológicos originários de diferentes museus franceses, como pinturas, escrituras, e trabalhos feito em vidro, sílica, além de árvores, plantas e ferro. Para a exposição, Maria Thereza preparou obras inéditas com cerâmica, vidro e bronze, para retratar sua concepção do universo mediterrâneo.

“Não quisemos retratar guerras da época, mas os primeiros assentamentos e tentativas da humanidade de fazer coisas, como trabalhar com vidro e pedras. Queríamos mostra a parte da humanidade que tenta falar uma com a outra e não a que pretende destruir a outra”, explica a artista paulista, que divide seu tempo entre Nápoles e Berlim.

Artista Zeh Palito tem exposição adiada por causa dos “coletes amarelos”

“Favela é o maior resumo do Brasil”, afirma ativista do Complexo do Alemão

“Caso Coaf prova que Bolsonaro nunca foi ‘outsider’”, afirma Manuela D’Ávila em Roma

“PT não promoveu alfabetização política no Brasil”, diz Frei Betto

Cineasta Marcelo Novais lança em Paris um “diário íntimo de uma geração”

Incêndios e barricadas substituíram greves como forma de protesto na França, diz especialista

Representante dos delegados da Polícia Federal diz ser contra banalização das armas no Brasil

Lia Rodrigues volta à Paris com “Fúria”, coreografia com moradores da favela da Maré

Militares nomeados por Bolsonaro são mais moderados do que ministros, diz Leonardo Sakamoto

“Comunidade internacional espera responsabilidade ambiental do Brasil”, diz especialista

“Muita gente procurava uma confeitaria menos doce”, diz chef francês radicado em Brasília

Paris recebe Bazar de Natal com artesanato de mulheres de favelas cariocas

Fotógrafo brasileiro lembra 30 anos da morte de Chico Mendes com exposição em Paris

Músicos Francis e Olivia Hime homenageiam Vinicius de Moraes na França

“Ser estrangeiro me fez escritor”, diz Natan Barreto, que lança livro de poesias em Paris

“Discurso de Bolsonaro legitima ‘direito de matar’”, afirma professora da Universidade de Brasília