rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Primavera Literária Brasileira traz 50 autores à Europa e aos EUA

Por Patricia Moribe

O evento começou há cinco anos, como uma interação entre autores brasileiros e alunos de Leonardo Tonus, professor de literatura brasileira na Universidade Sorbonne, em Paris. Hoje são mais de 50 escritores e escritoras que vão participar de encontros na Europa e Estados Unidos.

“Além de Paris e outras cidades francesas, nós estaremos na Bélgica e no Luxemburgo, este último um espaço novo, com uma grande presença de luso-falantes. No mês de abril, iremos para os Estados Unidos, onde vamos visitar cinco estados. Depois, seguimos para a Alemanha, finalizando na Grécia, com um encontro no dia da Língua Portuguesa com o autor Marcílio França, que vai falar sobre a questão da língua portuguesa e da literatura brasileira”, relata Leonardo Tonus.

Entre os destaques da Primavera este ano, estão Julián Fucks (que está lançando na França “Ni partir ni rester”, tradução de “A Resistência”, prêmio Jabuti, pelas éditions Grasset), a filósofa Marcia Tiburi, além da presença de autores portugueses por conta de uma parceria com o Instituto Camões.

Adriana Calcanhoto, que atualmente leciona na Universidade de Coimbra, também estará em Paris. Ela participa de um debate na Sorbonne e de uma palestra no Salão do Livro de Paris. Tonus lembra que a Primavera Literária tem sempre o cuidado de trazer não só nomes consagrados, mas jovens autores também.

Interação entre escritores e estudantes

“Outra preocupação é a de fazer um formato voltado para os estudantes, principalmente os que estão aprendendo português. Isso explica a parceria com mais de 15 universidades na França, Europa, e Estados Unidos, e também a presença desses escritores em escolas de ensino médio, como o liceu franco-brasileiro de Paris”, acrescenta.

A Primavera tenta todo ano fazer um equilíbrio entre escritores homens e mulheres, segundo Tonus. Mas ele explica que a desigualdade entre gêneros também reina no mundo da literatura. “Se você pegar as estatísticas, em termos de produção e publicação no Brasil, o desequilíbrio é fenomenal. Há muito mais homens sendo publicados e sendo lidos que autoras mulheres”, diz Tonus.

Imigrações, refugiados, expatriados

O responsável pela Primavera Literária Brasileira também vai estar no banco dos autores este ano. Leonardo Tonus está lançando a antologia de poemas “Ainda vai ser assim”, pela editora Nós, fruto de seu trabalho como pesquisador no tema das imigrações. “Nos últimos dois anos, trabalhei a questão dos refúgios e refugiados, não só uma visão voltada para a literatura brasileira, mas transversal, analisando o que podem, a literatura e a arte, face a essa catástrofe humanitária. Grande parte desta antologia é voltada para a questão do refúgio, e a esse ‘estar fora’, que é um pouco a minha vivência aqui, enquanto expatriado”, fala Leonardo Tonus.

 

Artista plástica brasileira exibe em Paris obras inspiradas em arquitetos modernistas

Marcela Levi e Lucía Russo: Crise no Brasil está esgotando a criação na dança

Pesquisador brasileiro comemora consolidação do futebol em meio acadêmico

Tatiana Leskova, testemunha viva da história do balé, é homenageada em Paris

Em Annecy, diretor de 'A Era do Gelo' revela desejo de criar séries de animação com parceiros no Brasil

“Temos que lutar para que não haja adiamento das eleições no Brasil”, diz Celso Amorim

Ministro da Cultura Sérgio Sá Leitão destaca "crescimento chinês” do audiovisual brasileiro

“Nossa música não está mais conectada com o povo”, diz compositor André Mehmari

Jornalista lança livro em Paris sobre José Ibrahim, um dos maiores nomes do sindicalismo brasileiro

“Roland Garros é a alma do tênis brasileiro atualmente”, diz Guga ao ser nomeado embaixador do torneio

Modelo de integração é de "indiferença às diferenças": romance de escritora franco-brasileira discute lugar da mulher mestiça entre Brasil e França

Mestre Reginaldo Maia resgata valores ancestrais da capoeira de Angola em Paris

“As eleições no Brasil já estão comprometidas”, diz presidente do PCO

"Moradia para todos é uma guerra política", diz urbanista João Whitaker em Paris

"Em tempos de email, só as cartas conseguem produzir uma eternidade nas pessoas", diz escritor Rodrigo Dias

Dupla Dinho Nogueira e Zé Barbeiro traz shows e cursos de choro para Europa