rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Bárbara Paz quer lançar documentário sobre Babenco no Festival de Cannes

Por Elcio Ramalho

A atriz gaúcha Bárbara Paz, 43 anos, está em Paris para apresentar o filme “Meu Amigo Hindu”, o último dirigido por Hector Babenco, seu marido, que morreu em julho de 2016. Ela conta também que está preparando um documentário sobre os últimos anos do cineasta.

“Corredor Polonês” é o nome do filme documental de Bárbara sobre o cineasta brasileiro, nascido na Argentina, diretor de obras que marcaram a história do cinema brasileiro, como “Pixote”, “O Beijo da Mulher Aranha” e “Carandiru”, entre outros.

“É sobre um homem que ficou doente durante 30 anos e o cinema o manteve vivo; ele sempre achando que estava fazendo o último filme”, conta a atriz. “É um documentário muito pessoal, que começamos há alguns anos e que acabou se tornando um filme sobre o fim, uma despedida do cineasta. Filmando, que é como ele queria sair de cena”, acrescenta.

“Foi um filme de urgência, dele, ele me pedindo para filmá-lo, e eu querendo deixar esse homem vivo. E ele me dizia ‘estou te passando o meu passaporte’, pois ele confiava no meu olhar”. Além disso, explica Bárbara, Babenco “era um homem fascinante” e é isso também que ela quer retratar. “O Hector estava muito doente nos últimos anos, eu tinha medo de perdê-lo, eu queria captar aqueles momentos e dividir isso, esse homem, com todos”.

Atriz vira diretora

Estar do outro lado da câmera não parece intimidar Bárbara Paz. “Eu sempre fui mais que uma atriz, eu pintei, fotografei, eu escrevo. Então acho que a direção junta tudo isso. Já dirigi alguns curtas, tenho os programas no Canal Brasil, estou sempre experimentando. E agora chegou o momento de fazer algo grande”, diz a documentarista. “Ano que vem estarei aqui, em Cannes, e depois em Paris, ou vice-versa”, afirma.

Sobre uma atriz no comando de uma câmera ela diz que “no Brasil existe uma certa desconfiança sobre uma atriz dirigir, mas aqui na Europa, nos Estados Unidos, isso é mais aberto”. E acrescenta: “Aprendi muito nesses últimos dez anos com ele, foi como ter uma faculdade, uma universidade dentro de casa. E o filme fala sobre isso também, ele me ensinando, me passando o bastão”.

“Meu Amigo Hindu” traz no elenco o americano William Dafoe, Maria Fernanda Cândido, Reynaldo Giannechini, Selton Mello e Bárbara Paz. O filme conta a história de um homem com câncer que se torna amigo de um menino hindu de oito anos e faz parte da programação do Festival de Cinema Brasileiro de Paris.

 

“Cada vez mais o racismo brasileiro sai do armário”, diz Conceição Evaristo em Paris

Beatriz Seigner: Lula e Dilma ajudaram a mostrar outros sotaques do cinema no Brasil

Jornalista brasileiro Fernando Molica lança em Paris livro sobre racismo e violência policial

"O choro é talvez o gênero mais autenticamente brasileiro", diz especialista

Mulheres do Brasil em Paris cria comitê para apoiar brasileiras vítimas da violência na França

Descartar mandante do crime seria insulto, diz viúva de Marielle Franco

“Estamos revivendo a ditadura no Brasil”, diz documentarista de filme sobre rebelião contra colonização francesa em Madagascar

Primavera Literária de 2019 lança discussões sobre o Brasil e o futuro da literatura

“Muitas pessoas achavam que mulheres só eram capazes de pintar florzinhas ou eram as namoradas dos grafiteiros”, diz street artist Panmela Castro

Apresentador do Catfish Brasil, Ciro Sales diz ser consciente da responsabilidade de ter seguidores nas redes sociais

Associação Herança Brasileira ajuda desenvolvimento de crianças bilíngues em Paris

“Maconha pode ser auxílio e não algoz”, diz neurocirurgião à frente de portal sobre uso medicinal da cannabis no Brasil

“Postura do governo brasileiro sobre crise na Venezuela é a pior possível”, diz professor da UnB

"Qualquer um é melhor que Bolsonaro", diz José de Abreu, que se "autoproclamou" presidente do Brasil no Twitter

“Temos que colocar o ministro da Educação no eixo”, diz presidente da Ubes

“No Brasil, há uma tendência a encobrir escândalos sexuais”, diz membro do comitê que discute pedofilia na Igreja

"Ataques a povos indígenas é suicídio cultural”, diz geógrafo francês

Dependência brasileira ao minério de ferro é um dos disfuncionamentos que explicam catástrofe ambiental, diz especialista

Após sucesso na estreia, Grupo Sociedade Recreativa lança segundo álbum na França