rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Bárbara Paz quer lançar documentário sobre Babenco no Festival de Cannes

Por Elcio Ramalho

A atriz gaúcha Bárbara Paz, 43 anos, está em Paris para apresentar o filme “Meu Amigo Hindu”, o último dirigido por Hector Babenco, seu marido, que morreu em julho de 2016. Ela conta também que está preparando um documentário sobre os últimos anos do cineasta.

“Corredor Polonês” é o nome do filme documental de Bárbara sobre o cineasta brasileiro, nascido na Argentina, diretor de obras que marcaram a história do cinema brasileiro, como “Pixote”, “O Beijo da Mulher Aranha” e “Carandiru”, entre outros.

“É sobre um homem que ficou doente durante 30 anos e o cinema o manteve vivo; ele sempre achando que estava fazendo o último filme”, conta a atriz. “É um documentário muito pessoal, que começamos há alguns anos e que acabou se tornando um filme sobre o fim, uma despedida do cineasta. Filmando, que é como ele queria sair de cena”, acrescenta.

“Foi um filme de urgência, dele, ele me pedindo para filmá-lo, e eu querendo deixar esse homem vivo. E ele me dizia ‘estou te passando o meu passaporte’, pois ele confiava no meu olhar”. Além disso, explica Bárbara, Babenco “era um homem fascinante” e é isso também que ela quer retratar. “O Hector estava muito doente nos últimos anos, eu tinha medo de perdê-lo, eu queria captar aqueles momentos e dividir isso, esse homem, com todos”.

Atriz vira diretora

Estar do outro lado da câmera não parece intimidar Bárbara Paz. “Eu sempre fui mais que uma atriz, eu pintei, fotografei, eu escrevo. Então acho que a direção junta tudo isso. Já dirigi alguns curtas, tenho os programas no Canal Brasil, estou sempre experimentando. E agora chegou o momento de fazer algo grande”, diz a documentarista. “Ano que vem estarei aqui, em Cannes, e depois em Paris, ou vice-versa”, afirma.

Sobre uma atriz no comando de uma câmera ela diz que “no Brasil existe uma certa desconfiança sobre uma atriz dirigir, mas aqui na Europa, nos Estados Unidos, isso é mais aberto”. E acrescenta: “Aprendi muito nesses últimos dez anos com ele, foi como ter uma faculdade, uma universidade dentro de casa. E o filme fala sobre isso também, ele me ensinando, me passando o bastão”.

“Meu Amigo Hindu” traz no elenco o americano William Dafoe, Maria Fernanda Cândido, Reynaldo Giannechini, Selton Mello e Bárbara Paz. O filme conta a história de um homem com câncer que se torna amigo de um menino hindu de oito anos e faz parte da programação do Festival de Cinema Brasileiro de Paris.

 

Cineasta Lúcia Verissimo defende a importância da preservação da memória de um país

“Diálogo com a criança é extremamente importante”, diz autora de livro infantil sobre câncer de mama

"Crianças francesas vão adorar ver Neymar numa situação tão humana e próxima deles", diz tradutora dos quadrinhos 'As aventuras de Neymar Jr'

Romain Vicari, artista plástico franco-brasileiro, expõe "bumerangue cultural" em Paris

“Aquecimento global é desafio do presente e do futuro para a produção de vinho”, diz enóloga brasileira à frente da OIV

“A ditadura não resiste à música”, afirma compositor multi-instrumentista Hermeto Pascoal

Avignon: “As crianças entendem tudo”, diz Miguel Fragata, diretor de peça infantil sobre refugiados

Decisão de Favreto sobre libertação de Lula deveria ter sido cumprida, dizem juristas ouvidos pela RFI

Sonho, rito e alteridade: ritual xavante inspira solo de brasileira em Montpellier Danse

Teatro do Oprimido de Paris remonta peça de Boal e questiona Brasil atual

"A seleção da França é quase toda afro-francesa", diz Gilberto Gil em Paris

Eleição presidencial no México tem semelhanças com Brasil, diz embaixador Rubens Barbosa

Vencedor do Prêmio Icatu, maestro brasileiro estreia em Paris novo sistema musical que homenageia Bach

“A música brasileira é muito maior do que as confusões políticas do país”, diz Kiko Loureiro, guitarrista do Megadeth

Artista plástica brasileira exibe em Paris obras inspiradas em arquitetos modernistas