rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Curta de Carolina Markowicz traz a Cannes problemática da adoção

Por Patricia Moribe

Jonathas é um menino órfão, negro, de 13 anos, que tem a sorte de ter um casal que se interessa em adotá-lo, indo contra todas as preferências por um bebê branco. Mas seu jeito afeminado se torna o verdadeiro empecilho. Essa é a história de O Órfão, curta de Carolina Markowicz, em competição na Quinzena dos Realizadores, em Cannes.

Carolina conta que o curta é inspirado em histórias reais, “principalmente de crianças que são devolvidas”. Segundo dados oficiais do Conselho Nacional de Justiça 75% dos pretendentes querem crianças entre zero e cinco anos. A maioria quer bebês brancos, enquanto que a realidade mostra que mais de 50% das crianças disponíveis são pardas e 8% têm mais de 15 anos.

“Fiz muitas pesquisas, visitei abrigos e conversei muito com pessoas que trabalham na área de assistência social e a ideia era justamente mostrar um recorte dessas crianças, que têm dificuldades em serem adotadas, principalmente por causa da idade, ou porque têm irmãos ou porque como, Jonathas, são diferentes”, disse a cineasta.

Fugir do melodramático

Sobre a escolha dos atores, ela contou com a ajuda de uma produtora de elenco. Quando ela viu Kauan Alvarenga, percebeu que ali estava o seu Jonathas. “Apesar de ser uma história inerentemente triste, eu queria um personagem irreverente, insubordinado, para que o filme não caísse no melodramático. O Kauan tem carisma e trouxe isso para o personagem. Ele improvisou bastante, o que é algo que eu não costumo fazer”, acrescentou Carolina.

A cineasta tem vários curtas com trajetória internacional, como Edifício Tatuapé Mahal, que estreou no Festival Internacional de Toronto, no Canadá, em 2014. “Estar em Cannes, na em competição na Quinzena é muito importante na construção da carreira, principalmente agora que estou desenvolvendo o meu primeiro longa-metragem”, conta a cineasta paulista.

Sobre o próximo projeto, em fase de captação, ela revela que é sobre uma mulher que chefia uma máfia na tríplice fronteira e que é especializada em esconder fugitivos em famílias que tem alguém em estado vegetativo. A gangue mata o doente e coloca o foragido no lugar. A trama vai girar em um desses fugitivos, que acaba se apegando ao filho do casal que o abriga.

 

 

“Cada vez mais o racismo brasileiro sai do armário”, diz Conceição Evaristo em Paris

Beatriz Seigner: Lula e Dilma ajudaram a mostrar outros sotaques do cinema no Brasil

Jornalista brasileiro Fernando Molica lança em Paris livro sobre racismo e violência policial

"O choro é talvez o gênero mais autenticamente brasileiro", diz especialista

Mulheres do Brasil em Paris cria comitê para apoiar brasileiras vítimas da violência na França

Descartar mandante do crime seria insulto, diz viúva de Marielle Franco

“Estamos revivendo a ditadura no Brasil”, diz documentarista de filme sobre rebelião contra colonização francesa em Madagascar

Primavera Literária de 2019 lança discussões sobre o Brasil e o futuro da literatura

“Muitas pessoas achavam que mulheres só eram capazes de pintar florzinhas ou eram as namoradas dos grafiteiros”, diz street artist Panmela Castro

Apresentador do Catfish Brasil, Ciro Sales diz ser consciente da responsabilidade de ter seguidores nas redes sociais

Associação Herança Brasileira ajuda desenvolvimento de crianças bilíngues em Paris

“Maconha pode ser auxílio e não algoz”, diz neurocirurgião à frente de portal sobre uso medicinal da cannabis no Brasil

“Postura do governo brasileiro sobre crise na Venezuela é a pior possível”, diz professor da UnB

"Qualquer um é melhor que Bolsonaro", diz José de Abreu, que se "autoproclamou" presidente do Brasil no Twitter

“Temos que colocar o ministro da Educação no eixo”, diz presidente da Ubes

“No Brasil, há uma tendência a encobrir escândalos sexuais”, diz membro do comitê que discute pedofilia na Igreja

"Ataques a povos indígenas é suicídio cultural”, diz geógrafo francês

Dependência brasileira ao minério de ferro é um dos disfuncionamentos que explicam catástrofe ambiental, diz especialista

Após sucesso na estreia, Grupo Sociedade Recreativa lança segundo álbum na França