rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Festival Dança em Trânsito traz artistas brasileiros para Paris

Por Elcio Ramalho

Paris acolhe durante os dias 9 e 10 de junho um projeto desenvolvido no Brasil: o Festival “Dança em Trânsito”, um conceito artístico singular, focado em dança contemporânea.

Criado pela coreógrafa Giselle Tápias, o projeto, que completa 16 anos, faz parte de uma network reunindo mais de 50 cidades pelo mundo, a CQD, Cidades Que Dançam. O objetivo é democratizar as mais diferentes manifestações artísticas, expandindo as apresentações para além dos palcos tradicionais de teatro, como ruas e outros espaços urbanos.

No Brasil, a maior parte da programação é desenvolvida no Rio de Janeiro, onde surgiu o festival, e em Florianópolis. No entanto, o projeto já alcançou mais de 40 cidades em diferentes regiões, e, na edição de 2018, vai passar também por Brasília, Curitiba e São Paulo. 

Segundo Flávia Tápias, coreógrafa e codiretora do Festival juntamente com sua mãe, Giselle, o Dança em Trânsito trafega por diferentes públicos pois a intenção é a “democratização” dos estilos, apesar do foco na dança contemporânea. “A dança contemporânea permite o diálogo com muitas outras danças e artes”, justifica Flávia. “Mas existem muitos trabalhos de circo, hip hop e teatro”, acrescenta.

A seleção dos dançarinos e grupos para participar do festival é feita por meio de editais.

Transitando por outros palcos

Pela primeira vez, o Dança em Trânsito atravessa o Oceano Atlântico para se apresentar em diferentes cenários da capital francesa. Giselle e Flávia reuniram dançarinos brasileiros que moram em Paris ou vieram do país especialmente para realizar esse trabalho.

A exceção é um bailarino africano, de Burkina Faso, convidado especialmente para fazer parte da programação e da residência artística de uma semana no espaço cultural Les Récollets.

A escolha pela França como primeira internacionalização do projeto é resultado de uma longa parceria do Dança em Trânsito com a prefeitura de Paris. Flávia já residiu no centro cultural há três anos, o que facilitou o intercâmbio.

Durante o final de semana, os jardins do Centro Récollets, que é um centro de artistas de diversas áreas, será o principal cenário das manifestações, mas também estão previstas atividades em áreas livres do antigo convento que funcionava no local e no Point Ephemère, local de diferentes manifestações artísticas, à beira do badalado Canal Saint-Martin, na capital francesa.

A experiência em Paris deve ser o ponto de partida para futuras iniciativas envolvendo outros países. "É importantes para o artista brasileiro trafegar, levar sua arte para um outro país. Além de trazer artistas para o Brasil, queremos levar os brasileiros para fora; isso virou uma meta do festival”, afirma.

“Minha música é um engajamento pela liberdade”, diz gaúcho radicado na França

“Apenas distanciamento histórico vai explicar o que deu errado no Brasil”, diz cineasta Filipe Galvon

"Brasileiros querem coisas novas, mesmo que elas piorem para depois melhorar", diz Luiz Olavo Baptista

Jussara Korngold: "Brasileiros contribuiram para entrada do espiritismo nos EUA"

Documentário sobre ocupação do prédio do IBGE durante Rio 2016 é lançado na França

“Brasil virou um território da burrice”, diz escritor Bernardo Carvalho

“Há uma crença de que um regime mais militarizado colocaria ordem no Brasil”, diz historiadora da USP

Campanha da extrema direita mergulha Brasil em momento regressivo, diz especialista em segurança

"Faremos políticas públicas de alto impacto e baixo custo", diz cocandidata da Bancada Ativista de SP

Bolsonaro é produto de "avacalhação" da democracia brasileira, diz analista

Tudo o que você precisa saber para votar nas eleições brasileiras de 2018 em Paris

“Eu quis mostrar o ciclo criminoso que persiste no sertão brasileiro”, diz cineasta Eduardo Morotó em Biarritz

“Era inimaginável ver alguém defendendo a volta da ditadura, como hoje no Brasil”, diz a cineasta Flávia Castro

“Bolsonaro representa a banda podre do Brasil”, diz cartunista Adão Iturrusgarai

Bela Gil em festival Slow Food na Itália: “É importante conhecer quem produz o alimento”

Sabores do Brasil recebe “30% de brasileiros saudosos e 70% de franceses curiosos” em Paris

Inimigo no fascismo brasileiro é o pobre, diz pesquisadora do voto em Bolsonaro

Cantor Renato Fagundes traz a Paris tradição e modernidade da cultura gaúcha