rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
A Semana na Imprensa
rss itunes

Exposição com fotos inéditas dos bastidores da Nouvelle Vague é destaque na imprensa francesa

Por Márcia Bechara

A revista do jornal Aujourd’hui en France desta semana destaca a mostra “Icônes” (“Ícones”, em português), na capital francesa, com algumas fotos inéditas dos dois grandes fotógrafos da Nouvelle Vague, respectivamente Raymond Cauchetier e Georges Pierre. Segundo o periódico, a exposição resgata instantes únicos de cumplicidade entre diretores e atores do movimento francês que influenciou definitivamente o cinema mundial.

A revista começa a matéria contando um pouco dos bastidores da Nouvelle Vague, que aparece no fim dos anos 50, quando “um vento de liberdade começa a soprar sobre o cinema francês”. “Orçamentos mínimos, narrativas desconstruídas, roteiros que deixavam livre curso à improvisação dos atores, com filmagens em cenários naturais, com câmeras leves”, conta Aujourd’hui en France, que destaca o grupo de jovens diretores: gente como François Truffaut, Claude Chabrol, Jean-Luc Godard, Jean-Pierre Melville, Jacques Rivette, Alain Resnais, Eric Rohmer ou ainda Jacques Demy. A maior parte deles, articulistas do famoso Cahier de Cinéma.

A expressão Nouvelle Vague é publicada pela primeira vez em 3 de outubro de 1957, no jornal L’Express, numa crítica de Françoise Giroud que utilizava a expressão para designar a “geração audaciosa”, conta a revista.  “Os fotógrafos Raymond Cauchetier e Georges Pierre; testemunhas dessa efervescência cultural, deram amplitude aos rostos de atores emblemáticos como Jean-Paul Belmondo, Jean Seberg, Jeanne Moreau, Catherine Deneuve, Jean-Pierre Léaud e Anna Karina” relata a publicação.

Ainda segundo informações da revista deste fim de semana do Aujourd’hui en France, Georges Pierre era o queridinho de Romy Scheneider, enquanto Cauchetier produziu as mais célebres imagens de cinema dos anos 60. Entre seus retratos favoritos, uma imagem de Jean-Luc Godard dirigindo Jean Seberg e Belmondo em uma cena de “À Bout de Souffle”. A revista publica as observações do fotógrafo, em cartaz na exposição em Paris: “Godard escreve seus diálogos numa mesa de café e explica aos atores como ele filma, deixando uma parte de improvisação para os atores. Quando Jean Seberg descobre o jeito de trabalhar de Godard, ela entra em pânico”, diverte-se Cauchetier.

A exposição “Ícones, da Nouvelle Vague aos anos 70” fica em cartaz até o dia 16 de setembro na galeria Joseph, no 3° distrito de Paris.

Com recompensa de US$ 25 mi, líder do grupo EI é o homem mais procurado do mundo

Rival de Merkel consegue se impor como homossexual em partido homofóbico

Qualquer que seja o presidente eleito, será difícil tirar Brasil da crise, diz revista francesa Le Point

Psiquiatras franceses defendem Plano Nacional para tratar distúrbios mentais

Revista revela casos de assédio sexual nos conservatórios musicais da França

Livro mostra como poder econômico compra eleição e enfraquece democracia

Francesa mostra circuito de 200 motéis como atração turística do Rio de Janeiro

Revista L’Obs questiona “o que é ser um homem na era pós #Metoo”

“Cães dos poderosos”: animais de estimação de presidentes franceses são capa da revista do Le Monde

Projeto de extração de ouro na Guiana Francesa vira "mina da discórdia"

Filme sobre Edir Macedo ilustra poder dos evangélicos no Brasil, diz Le Monde

Juiz uzbeque que criou confusão no Brasil é recordista de arbitragem na Copa