rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
A Semana na Imprensa
rss itunes

Exposição com fotos inéditas dos bastidores da Nouvelle Vague é destaque na imprensa francesa

Por Márcia Bechara

A revista do jornal Aujourd’hui en France desta semana destaca a mostra “Icônes” (“Ícones”, em português), na capital francesa, com algumas fotos inéditas dos dois grandes fotógrafos da Nouvelle Vague, respectivamente Raymond Cauchetier e Georges Pierre. Segundo o periódico, a exposição resgata instantes únicos de cumplicidade entre diretores e atores do movimento francês que influenciou definitivamente o cinema mundial.

A revista começa a matéria contando um pouco dos bastidores da Nouvelle Vague, que aparece no fim dos anos 50, quando “um vento de liberdade começa a soprar sobre o cinema francês”. “Orçamentos mínimos, narrativas desconstruídas, roteiros que deixavam livre curso à improvisação dos atores, com filmagens em cenários naturais, com câmeras leves”, conta Aujourd’hui en France, que destaca o grupo de jovens diretores: gente como François Truffaut, Claude Chabrol, Jean-Luc Godard, Jean-Pierre Melville, Jacques Rivette, Alain Resnais, Eric Rohmer ou ainda Jacques Demy. A maior parte deles, articulistas do famoso Cahier de Cinéma.

A expressão Nouvelle Vague é publicada pela primeira vez em 3 de outubro de 1957, no jornal L’Express, numa crítica de Françoise Giroud que utilizava a expressão para designar a “geração audaciosa”, conta a revista.  “Os fotógrafos Raymond Cauchetier e Georges Pierre; testemunhas dessa efervescência cultural, deram amplitude aos rostos de atores emblemáticos como Jean-Paul Belmondo, Jean Seberg, Jeanne Moreau, Catherine Deneuve, Jean-Pierre Léaud e Anna Karina” relata a publicação.

Ainda segundo informações da revista deste fim de semana do Aujourd’hui en France, Georges Pierre era o queridinho de Romy Scheneider, enquanto Cauchetier produziu as mais célebres imagens de cinema dos anos 60. Entre seus retratos favoritos, uma imagem de Jean-Luc Godard dirigindo Jean Seberg e Belmondo em uma cena de “À Bout de Souffle”. A revista publica as observações do fotógrafo, em cartaz na exposição em Paris: “Godard escreve seus diálogos numa mesa de café e explica aos atores como ele filma, deixando uma parte de improvisação para os atores. Quando Jean Seberg descobre o jeito de trabalhar de Godard, ela entra em pânico”, diverte-se Cauchetier.

A exposição “Ícones, da Nouvelle Vague aos anos 70” fica em cartaz até o dia 16 de setembro na galeria Joseph, no 3° distrito de Paris.

Famílias rivais Bourbon e Orléans apoiam coletes amarelos apostando em retorno da monarquia na França

Índios contestam construção de muro de Trump em reserva na fronteira com o México

Revista francesa aponta motivos para temer nova crise financeira mundial

Revista francesa questiona se “casamento” entre Bolsonaro e Guedes vai funcionar

Prefeita curda de 31 anos dirige a reconstrução de Raqqa, ex-capital do EI na Síria

Revista francesa L’Express dá destaque aos novos “políticos extravagantes” do Brasil

Briga por terras indígenas no Brasil esconde catástrofe ecológica na Amazônia

Livreiro espalha ursos de pelúcia em bairro de Paris e cria laços entre vizinhos

Revista conta como artistas húngaros vivem com a política repressiva de Orban

Figurinos de Jean Paul Gaultier para Portela já despertam interesse dos franceses

Revista L’Obs traz matéria sobre o “Fascismo Tropical” de Bolsonaro

Revista francesa traz perfil de vice de Bolsonaro, um “general sinistro”

Com recompensa de US$ 25 mi, líder do grupo EI é o homem mais procurado do mundo

Rival de Merkel consegue se impor como homossexual em partido homofóbico