rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
A Semana na Imprensa
rss itunes

Exposição com fotos inéditas dos bastidores da Nouvelle Vague é destaque na imprensa francesa

Por Márcia Bechara

A revista do jornal Aujourd’hui en France desta semana destaca a mostra “Icônes” (“Ícones”, em português), na capital francesa, com algumas fotos inéditas dos dois grandes fotógrafos da Nouvelle Vague, respectivamente Raymond Cauchetier e Georges Pierre. Segundo o periódico, a exposição resgata instantes únicos de cumplicidade entre diretores e atores do movimento francês que influenciou definitivamente o cinema mundial.

A revista começa a matéria contando um pouco dos bastidores da Nouvelle Vague, que aparece no fim dos anos 50, quando “um vento de liberdade começa a soprar sobre o cinema francês”. “Orçamentos mínimos, narrativas desconstruídas, roteiros que deixavam livre curso à improvisação dos atores, com filmagens em cenários naturais, com câmeras leves”, conta Aujourd’hui en France, que destaca o grupo de jovens diretores: gente como François Truffaut, Claude Chabrol, Jean-Luc Godard, Jean-Pierre Melville, Jacques Rivette, Alain Resnais, Eric Rohmer ou ainda Jacques Demy. A maior parte deles, articulistas do famoso Cahier de Cinéma.

A expressão Nouvelle Vague é publicada pela primeira vez em 3 de outubro de 1957, no jornal L’Express, numa crítica de Françoise Giroud que utilizava a expressão para designar a “geração audaciosa”, conta a revista.  “Os fotógrafos Raymond Cauchetier e Georges Pierre; testemunhas dessa efervescência cultural, deram amplitude aos rostos de atores emblemáticos como Jean-Paul Belmondo, Jean Seberg, Jeanne Moreau, Catherine Deneuve, Jean-Pierre Léaud e Anna Karina” relata a publicação.

Ainda segundo informações da revista deste fim de semana do Aujourd’hui en France, Georges Pierre era o queridinho de Romy Scheneider, enquanto Cauchetier produziu as mais célebres imagens de cinema dos anos 60. Entre seus retratos favoritos, uma imagem de Jean-Luc Godard dirigindo Jean Seberg e Belmondo em uma cena de “À Bout de Souffle”. A revista publica as observações do fotógrafo, em cartaz na exposição em Paris: “Godard escreve seus diálogos numa mesa de café e explica aos atores como ele filma, deixando uma parte de improvisação para os atores. Quando Jean Seberg descobre o jeito de trabalhar de Godard, ela entra em pânico”, diverte-se Cauchetier.

A exposição “Ícones, da Nouvelle Vague aos anos 70” fica em cartaz até o dia 16 de setembro na galeria Joseph, no 3° distrito de Paris.

Bióloga brasileira denuncia tensões ideológicas na universidade após eleição de Trump

Ambição expansionista da China passa pela conquista dos portos mundiais, diz revista Le Point

Morte de Marielle continua pairando na vida política do Brasil, diz revista francesa

Ortopedista russo faz algumas crianças com paralisia cerebral recuperar movimentos na Espanha

Manifesto de 50 médicos, magistrados e políticos pede legalização da maconha na França

Ao atacar universidade, Bolsonaro visa uma juventude que lhe é hostil, diz Safatle

Técnica da seleção francesa de futebol visa troféu e não dá bola para sexismo

A alguns dias das eleições europeias, imprensa francesa analisa "epidemia populista" no Velho Continente

O ministério da "incultura" do Brasil deve alimentar debates no Festival de Cannes

Evangélicos concorrem com muçulmanos em busca de novos fiéis nas periferias francesas

Coquetéis molotov e aplicativos que distorcem vozes: como os coletes "ultra-amarelos" planejam a "revolução"

‘Anti-Bolsonaro’, presidente mexicano encarna uma ‘renovação da esquerda’, diz revista francesa

Porta-voz negra e feminista de Macron quebra códigos da política francesa

Jovens franceses vivem com naturalidade ruptura da binaridade homem-mulher