rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

“Riqueza infinita”: apresentador Gilles Bourgarel promove música brasileira há 14 anos na Françar

Por Márcia Bechara

“Brasil Alto Astral” é o nome do programa sobre música brasileira que ele produz e apresenta há 14 anos na Aligre FM, uma das principais rádios da França. Além disse, ele produziu nomes como Elza Soares, em Paris, e assina o sucesso de “Avenida Brasil”, a maior festa brasileira na Europa, que chegou a reunir 1,3 mil pessoas na casa de espetáculos La Bellevilloise, no 20° distrito da capital francesa. O RFI Convida nesta sexta-feira (24) o apresentador Gilles Bourgarel.

*Para ouvir a entrevista na íntegra, clique na foto acima

Gilles Bourgarel faz parte de uma linhagem de franceses que, apaixonados pela música brasileira, fazem dela uma espécie de passaporte cultural para o Brasil na França, como Remy Kolpa Koupur e Pierre Barouh, este último responsável por popularizar a Bossa Nova em terras francesas com o selo “Saravah”, de 1965.

“Acho que sim, que posso me considerar parte dessa tradição. Pierre Barouh me abriu as portas de sua casa, ele vinha sempre na rádio, a gente se via sempre nos shows, fui na Rádio Nova. Dividimos essa mesma paixão, o meu prazer é realmente passar esse conhecimento e fazer os franceses gostarem desses artistas que eu admiro”, diz o apresentador.

Do carimbo ao sertanejo universitário, do tecno-brega ao funk carioca ou ao rap paulista, Gilles Bourgarel tem suas preferências, mas afirma não dominar todo o espectro de diversidade de ritmos brasileiros. “Não conheço tudo do Brasil; já viajei bastante, mas não posso dizer que eu conheço tudo da música brasileira. Conheço bem a MPB”, explica Bourgarel. “Conheço bem a Bossa Nova, o samba, gosto muito do [ritmo paraense] carimbó, adoro o maracatu, mas não conheço muito bem todos esses ritmos, existem quase cem ritmos no Brasil. Aprendo todo dia”, diz.

“Riqueza infinita”

O apresentador, que já entrevistou nomes como Jorge Bem, Gal Costa, Fernanda Montenegro, Elza Soares e Henri Salvador, recorda que um dos momentos mais especiais de sua carreira promovendo a música brasileira na Aligre FM foi entrevistando Tom Zé. “Ele é tão intenso e inteligente, fala sobre tudo e com muita propriedade e força, quando fui jantar mais tarde não conseguia me desconectar do que ele havia dito, estava completamente absorto”, lembra. Perguntado sobre como ele definiria a música brasileira nestes 14 anos passados à frente do programa “Brasil Alto Astral”, Bourgarel não possui dúvidas: uma “riqueza infinita”.

Uma série de grandes músicos franceses construíram um diálogo estreito com a música brasileira, como Jeanne Moreau em “Joana Francesa”, Dalida em “A Banda”, ou Claude Nougaro com “Bidonville”, adaptação francesa de Berimbau, de Vinícius de Moraes e do Baden Powell. Segundo Bougarel, a fascinação da França pela música brasileira é algo natural.

“Todos os franceses adoram o Brasil, mesmo sem nunca ter ido lá. O Nicoletta cantou Jorge Ben, trouxe os discos dele pra cá, o Jorge Bem é muito grato a ele. Tem o Pierre Bairouh, Michel Fougain, vários... Os franceses possuem uma imagem paradisíaca do Brasil”, diz.

“Uso da religião está sendo deturpado nas eleições", diz médium Divaldo Franco

“Minha música é um engajamento pela liberdade”, diz gaúcho radicado na França

“Apenas distanciamento histórico vai explicar o que deu errado no Brasil”, diz cineasta Filipe Galvon

"Brasileiros querem coisas novas, mesmo que elas piorem para depois melhorar", diz Luiz Olavo Baptista

Jussara Korngold: "Brasileiros contribuiram para entrada do espiritismo nos EUA"

Documentário sobre ocupação do prédio do IBGE durante Rio 2016 é lançado na França

“Brasil virou um território da burrice”, diz escritor Bernardo Carvalho

“Há uma crença de que um regime mais militarizado colocaria ordem no Brasil”, diz historiadora da USP

Campanha da extrema direita mergulha Brasil em momento regressivo, diz especialista em segurança

"Faremos políticas públicas de alto impacto e baixo custo", diz cocandidata da Bancada Ativista de SP

Bolsonaro é produto de "avacalhação" da democracia brasileira, diz analista

Tudo o que você precisa saber para votar nas eleições brasileiras de 2018 em Paris

“Eu quis mostrar o ciclo criminoso que persiste no sertão brasileiro”, diz cineasta Eduardo Morotó em Biarritz

“Era inimaginável ver alguém defendendo a volta da ditadura, como hoje no Brasil”, diz a cineasta Flávia Castro

“Bolsonaro representa a banda podre do Brasil”, diz cartunista Adão Iturrusgarai

Bela Gil em festival Slow Food na Itália: “É importante conhecer quem produz o alimento”

Sabores do Brasil recebe “30% de brasileiros saudosos e 70% de franceses curiosos” em Paris

Inimigo no fascismo brasileiro é o pobre, diz pesquisadora do voto em Bolsonaro