rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Ilustradora Suppa e Miguel Falabella criam canal no Youtube para crianças de todas as idades

Por Silvano Mendes

Foi-se o tempo em que as crianças se contentavam em assistir desenhos animados na televisão. Principalmente diante da oferta crescente de conteúdos dirigidos para a nova geração de internautas. Um dos projetos que vem conquistando os pequenos no Brasil é o Canal da Charlotte, criado no Youtube pela ilustradora e artista plástica Vivian Suppa junto com o ator, diretor e escritor Miguel Falabella.

O projeto nasceu a partir do livro Os Óculos Mágicos de Charlotte, lançado por Suppa pelaeditora Callis, em 2016. Na obra, a personagem principal – inspirada na filha da autora – consegue, graças ao acessório que dá título ao livro, ver o mundo como deveria ser, e não como ele é. Diante do sucesso, Suppa, amiga de longa data de Falabella, decidiu transformar a história em um desenho animado.

“Conheço Miguel há 20 anos e sempre sonhamos em fazer um projeto juntos. Eu queria que ele escrevesse um livro para eu ilustrar, mas nunca conseguíamos, pois ele trabalha enormemente. Mas quando eu mostrei o livro, ele adorou a ideia”, conta a autora, de passagem por Paris. Desde então, os dois trabalham a quatro mãos e o ator não poupa esforços. Falabella é roteirista, escreve as canções de alguns episódios e faz até a voz de Pelusso, um cachorro meio filósofo que ajuda Charlotte a resolver seus problemas.

A particularidade dos programas, que duram menos de 5 minutos cada, é que as crianças “interagem” com a personagem principal, enviando questões e mostrando problemas nos locais onde vivem. Pois além de ter uma dimensão pedagógica (como nas canções sobre as expressões mágicas: “Com licença, por favor e muito obrigado”), os vídeos tentam desenvolver uma consciência cidadã nas crianças. Em alguns deles, por exemplos, os pequenos internautas denunciam a sujeira nas ruas do bairro.

O Canal da Charlotte tem um programa novo por semana e a autora, que já morou na França, não descarta uma internacionalização do projeto, disponível atualmente apenas em português. “Charlotte já tem um nome francês, então gostaria muito que ela tivesse uma versão francesa”, almeja Suppa.

Governo ataca liberdade de expressão no Brasil e o povo não se dá conta, diz Leandro Demori, do Intercept

Fotógrafo brasileiro apresenta série sobre os desafios do Cerrado em Paris

Museu Internacional da Mulher será inaugurado em Portugal com curadora brasileira

Comitiva de indígenas brasileiros na Europa reforça campanha contra acordo UE-Mercosul

"Quero viver de arte", diz jovem pintora maranhense que expôs na França

Claudia Jaguaribe lança livros de fotografia sobre mulheres e meio ambiente em Paris

“Atualidade política e social do Brasil me inspirou”, diz Flávia Coelho sobre disco DNA

“Leiam escritores brasileiros vivos!”, pede Fred Di Giacomo, finalista do Prêmio SP de Literatura

Mestre da Arte Óptica, Marcos Marin expõe em Paris obras de Neymar e Santos Dumont

Curador expõe fotógrafos brasileiros da nova coleção da Biblioteca Nacional da França em "Terra Brasilis"

Palcos europeus recebem pela primeira vez a música-poesia de Arthur Nogueira

Revelação do violão brasileiro, João Camarero leva sofisticação do choro a plateias europeias

Do interior do Amazonas a digital influencer premiada em Mônaco: a história de Cacau Sitruk

Duo franco-brasileiro lança disco que mistura “Trem das Onze” e Erik Satie

“Meu trabalho é pela pacificação”, diz pintora brasileira que expõe em Paris

Luiza Brunet diz que “toda mulher é feminista”: “apanhar aos 50 foi gota d’água”

Feira de Frankfurt: “Brasil é o país das impossibilidades”, diz Luiz Ruffato