rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Ilustradora Suppa e Miguel Falabella criam canal no Youtube para crianças de todas as idades

Por Silvano Mendes

Foi-se o tempo em que as crianças se contentavam em assistir desenhos animados na televisão. Principalmente diante da oferta crescente de conteúdos dirigidos para a nova geração de internautas. Um dos projetos que vem conquistando os pequenos no Brasil é o Canal da Charlotte, criado no Youtube pela ilustradora e artista plástica Vivian Suppa junto com o ator, diretor e escritor Miguel Falabella.

O projeto nasceu a partir do livro Os Óculos Mágicos de Charlotte, lançado por Suppa pela editora Callis, em 2016. Na obra, a personagem principal – inspirada na filha da autora – consegue, graças ao acessório que dá título ao livro, ver o mundo como deveria ser, e não como ele é. Diante do sucesso, Suppa, amiga de longa data de Falabella, decidiu transformar a história em um desenho animado.

“Conheço Miguel há 20 anos e sempre sonhamos em fazer um projeto juntos. Eu queria que ele escrevesse um livro para eu ilustrar, mas nunca conseguíamos, pois ele trabalha enormemente. Mas quando eu mostrei o livro, ele adorou a ideia”, conta a autora, de passagem por Paris. Desde então, os dois trabalham a quatro mãos e o ator não poupa esforços. Falabella é roteirista, escreve as canções de alguns episódios e faz até a voz de Pelusso, um cachorro meio filósofo que ajuda Charlotte a resolver seus problemas.

A particularidade dos programas, que duram menos de 5 minutos cada, é que as crianças “interagem” com a personagem principal, enviando questões e mostrando problemas nos locais onde vivem. Pois além de ter uma dimensão pedagógica (como nas canções sobre as expressões mágicas: “Com licença, por favor e muito obrigado”), os vídeos tentam desenvolver uma consciência cidadã nas crianças. Em alguns deles, por exemplos, os pequenos internautas denunciam a sujeira nas ruas do bairro.

O Canal da Charlotte tem um programa novo por semana e a autora, que já morou na França, não descarta uma internacionalização do projeto, disponível atualmente apenas em português. “Charlotte já tem um nome francês, então gostaria muito que ela tivesse uma versão francesa”, almeja Suppa.

"Vitimização de Lula é estratégia do PT para angariar votos", diz cientista político

Sergio Amadeu: combate à desinformação na rede é importante mas não pode virar censura

“Nosso trabalho é mais valorizado fora do Brasil”, diz Sandra Veloso, do Balé Folclórico de Fortaleza

A carne é um objeto de sedução e excitação, diz Júlio Bressane em Locarno

Calixto Neto dança a “ira” para reinventar “corpos minoritários” no Festival Camping, em Paris

"Rever acordos de paz com as FARC é um risco para novo presidente da Colômbia”, diz historiador

Em Arles, Thyago Nogueira, do IMS, divulga fotografia brasileira contemporânea

Cineasta franco-suíço apresenta filme sobre a busca por entrevista com João Gilberto

Documentário brasileiro “Zaatari” revela força e poesia de refugiados sírios na Jordânia

Crise ameaça renovação da classe científica brasileira, diz Marcelo Viana, organizador do Congresso Internacional de Matemáticos

Revista acadêmica francesa lança número especial sobre crise política no Brasil

"Existe um índio dentro de cada brasileiro", diz Ernesto Neto, em cartaz com a escultura monumental GaiaMotherTree na Suíça

Turistas brasileiros cada vez mais interessados em história da arte em Paris

“Riqueza infinita”: apresentador Gilles Bourgarel promove música brasileira há 14 anos na Françar

“Discussão sobre identidade de gênero no teatro é uma tendência mundial”, diz professora da USP que acompanha o Festival de Avignon