rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Cantor Renato Fagundes traz a Paris tradição e modernidade da cultura gaúcha

Por Elcio Ramalho

Músico, cantor e compositor, Renato Fagundes está na programação da 6ª edição do Festival do Rio Grande do Sul de Paris. Em sua primeira apresentação na França, o gaúcho terá a ocasião de mostrar um trabalho que mistura ritmos tradicionais regionais com um toque de harmonia contemporânea.

Criado dentro de um ambiental musical, Renato começou a tocar violão aos 9 anos de idade, e sempre teve como influência as tradições locais. Em Paris, ele mostrará o repertório de seu primeiro CD, Assoviando a milonga, lançado em 2016.

“A ideia é manter a preservação da cultura regional do Rio Grande do Sul, dos ritmos tradicionais, mas com uma roupagem moderna e contemporânea para manter a cultura regional, mas numa nova linguagem para que as novas gerações possam também desfrutar”, diz o porto-alegrense que vive em Eldorado do Sul.

A produção do disco, assinada com o irmão Antonio Flores, traz um conjunto de canções próprias e de outros compositores que se inspiram na chamada “música de raiz”. “Aconteceu naturalmente, de sempre ouvir desde criança e estar ligado à cultura de raiz gauchesca e ouvir outras coisas, e misturar isso. Foi intuitivo”, destaca.  

“A aceitação é legal, tanto para quem gosta de música de raiz, quanto para os que estão descobrindo agora a musicalidade gauchesca. O que procurei fazer foi preservar os ritmos regionalistas da região do pampa e trazer harmonias contemporâneas”, acrescenta.

Programa de rádio e cavalgadas

Além de shows em rodeios, bares e centros de tradição gaúcha, Renato também divulga a cultura de sua região em programas de rádio. Ele anima o programa Gauchesco brasileiro, que atinge todos os estados da região sul, além das fronteiras com o Uruguai e Argentina.

“A aceitação é muito grande. Cada vez mais rádios se interessam em consumir a cultura do Rio Grande do Sul”, garante.

Renato Fagundes ainda é vice-presidente do Instituto dos Cavaleiros Farroupilha, uma associação criada para promover atividades culturais e cavalgadas em trilhas na região sul.

Ele segue os passos de seu pai, Dorotéo Fagundes, que há 26 anos começou a fazer as cavalgadas farroupilhas, um evento que inclue uma série de atividades visando preservar a história regional. Os participantes percorrem a cavalo trilhas históricas, sempre homenageando uma personalidade relevante para a história gaúcha e dos pampas. Este ano o grupo homenageou Aimé Bonpland, filantropo, médico e botânico francês que viveu na Argentina e no Brasil. “Cavalgamos com os familiares desse importante personagem para a cultura do sul e dos pampas”, lembrou.

 

Criminalizar homofobia no Brasil é uma vitória, “mas não é suficiente”, diz deputada Erica Malunguinho

Diretor brasileiro de animação mostra preocupação com diminuição de incentivo público durante Festival de Annecy

“América é último enigma na história da humanidade”, diz antropóloga

Desdém da classe média pelos mais pobres foi essencial para vitória de Bolsonaro, diz historiadora de NY

Psicanalista brasileira coordena seminários em Paris sobre angústia e distúrbios na aprendizagem

A palavra reinventada por Angela Detanico e Rafael Lain em exposição no Grand Palais

“O problema do Brasil não é econômico, é político”, afirma vice-presidente da CNI em Paris

“Vitalidade da democracia é essencial para barrar ações de Bolsonaro”, diz Manuela D’Ávila em Paris

Malvine Zalcberg lança na França livro sobre construção de identidade feminina entre mães e filhas

“Como os modernistas, foi na França que descobri minha brasilidade”, diz artista Júlio Villani

“Preciso desesperadamente de R$ 1 milhão”, diz diretor do Museu Nacional em Paris

Valorizar população indígena é o caminho para a preservação da Amazônia, diz historiador americano

Embaixada brasileira lança cartografia para mapear o ensino do português na França

“Modo de exercer o governo é inspirado no pior da ditadura”, diz professor brasileiro na França

Grupo “Trio in Uno” lança álbum “Ipê” em homenagem ao cerrado brasileiro

"Hungria mantém refugiados em centros de detenção arbitrária", diz ativista

Nazaré Pereira, pioneira do forró na França, revela um “outro Brasil”