rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Cantor Renato Fagundes traz a Paris tradição e modernidade da cultura gaúcha

Por Elcio Ramalho

Músico, cantor e compositor, Renato Fagundes está na programação da 6ª edição do Festival do Rio Grande do Sul de Paris. Em sua primeira apresentação na França, o gaúcho terá a ocasião de mostrar um trabalho que mistura ritmos tradicionais regionais com um toque de harmonia contemporânea.

Criado dentro de um ambiental musical, Renato começou a tocar violão aos 9 anos de idade, e sempre teve como influência as tradições locais. Em Paris, ele mostrará o repertório de seu primeiro CD, Assoviando a milonga, lançado em 2016.

“A ideia é manter a preservação da cultura regional do Rio Grande do Sul, dos ritmos tradicionais, mas com uma roupagem moderna e contemporânea para manter a cultura regional, mas numa nova linguagem para que as novas gerações possam também desfrutar”, diz o porto-alegrense que vive em Eldorado do Sul.

A produção do disco, assinada com o irmão Antonio Flores, traz um conjunto de canções próprias e de outros compositores que se inspiram na chamada “música de raiz”. “Aconteceu naturalmente, de sempre ouvir desde criança e estar ligado à cultura de raiz gauchesca e ouvir outras coisas, e misturar isso. Foi intuitivo”, destaca.  

“A aceitação é legal, tanto para quem gosta de música de raiz, quanto para os que estão descobrindo agora a musicalidade gauchesca. O que procurei fazer foi preservar os ritmos regionalistas da região do pampa e trazer harmonias contemporâneas”, acrescenta.

Programa de rádio e cavalgadas

Além de shows em rodeios, bares e centros de tradição gaúcha, Renato também divulga a cultura de sua região em programas de rádio. Ele anima o programa Gauchesco brasileiro, que atinge todos os estados da região sul, além das fronteiras com o Uruguai e Argentina.

“A aceitação é muito grande. Cada vez mais rádios se interessam em consumir a cultura do Rio Grande do Sul”, garante.

Renato Fagundes ainda é vice-presidente do Instituto dos Cavaleiros Farroupilha, uma associação criada para promover atividades culturais e cavalgadas em trilhas na região sul.

Ele segue os passos de seu pai, Dorotéo Fagundes, que há 26 anos começou a fazer as cavalgadas farroupilhas, um evento que inclue uma série de atividades visando preservar a história regional. Os participantes percorrem a cavalo trilhas históricas, sempre homenageando uma personalidade relevante para a história gaúcha e dos pampas. Este ano o grupo homenageou Aimé Bonpland, filantropo, médico e botânico francês que viveu na Argentina e no Brasil. “Cavalgamos com os familiares desse importante personagem para a cultura do sul e dos pampas”, lembrou.

 

“Uso da religião está sendo deturpado nas eleições", diz médium Divaldo Franco

“Minha música é um engajamento pela liberdade”, diz gaúcho radicado na França

“Apenas distanciamento histórico vai explicar o que deu errado no Brasil”, diz cineasta Filipe Galvon

"Brasileiros querem coisas novas, mesmo que elas piorem para depois melhorar", diz Luiz Olavo Baptista

Jussara Korngold: "Brasileiros contribuiram para entrada do espiritismo nos EUA"

Documentário sobre ocupação do prédio do IBGE durante Rio 2016 é lançado na França

“Brasil virou um território da burrice”, diz escritor Bernardo Carvalho

“Há uma crença de que um regime mais militarizado colocaria ordem no Brasil”, diz historiadora da USP

Campanha da extrema direita mergulha Brasil em momento regressivo, diz especialista em segurança

"Faremos políticas públicas de alto impacto e baixo custo", diz cocandidata da Bancada Ativista de SP

Bolsonaro é produto de "avacalhação" da democracia brasileira, diz analista

Tudo o que você precisa saber para votar nas eleições brasileiras de 2018 em Paris

“Eu quis mostrar o ciclo criminoso que persiste no sertão brasileiro”, diz cineasta Eduardo Morotó em Biarritz

“Era inimaginável ver alguém defendendo a volta da ditadura, como hoje no Brasil”, diz a cineasta Flávia Castro

“Bolsonaro representa a banda podre do Brasil”, diz cartunista Adão Iturrusgarai

Bela Gil em festival Slow Food na Itália: “É importante conhecer quem produz o alimento”

Sabores do Brasil recebe “30% de brasileiros saudosos e 70% de franceses curiosos” em Paris