rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Brasil mostra suas faces no festival Encontros de Arles de fotografia

Por Patricia Moribe

Acontece no Sul da França os Encontros de Arles, um dos festivais internacionais mais importantes de fotografia. São mais de 50 exposições, entre retrospectivas e novas tendências da imagem. O Brasil tem destaque este ano como parte da exposição “Hey! What’s going on?”, na Fundação Manuel Rivera-Ortiz.

A RFI conversou com Gláucia Nogueira, co-fundadora do coletivo Iandé, que reúne os 12 fotógrafos em exposição, e Ioana Mello, curadora da mostra brasileira.

“O Iandé é uma plataforma que tem o intuito de criar uma ponte entre Brasil e a França. Iandé significa ‘nós’, pronome pessoal inclusivo”, explica Gláucia.

Entre os critérios de seleção para o grupo apresentado em Arles foi a paridade. “São seis fotógrafos homens e seis fotógrafas mulheres”, explica Ioana. “Também queríamos temas que fossem importantes no Brasil hoje, como a cultura indígena, a questão da mulher, a periferia, infância, comunidade LGBT. São temas em voga agora no Brasil. Tem também as minorias que estão perdendo seus direitos”, acrescenta.

Novidades a cada semana

A exposição brasileira também traz a sessão “work in progress”, que a cada semana do festival mostra uma projeção recente de um dos fotógrafos a respeito do Brasil atual. Ou seja, uma visão de cada um dos 12 fotógrafos a cada uma das 12 semanas que dura o evento.

Nesta semana, a projeção é da fotógrafa Elsa Leydier, francesa radicada há cinco anos no Brasil. “O trabalho dela é muito interessante, pois ela interfere em imagens conhecidas no mundo todo como sendo do Brasil, típicas”, explica Gláucia. “A Elsa pega imagens clichês, do Google, como paisagens, carnaval, futebol. A partir de frases de Jair Bolsonaro, ela vai criar ruídos em cima das imagens, para justamente quebrar o mito do país tropical, bonito e perfeito”, acrescenta Iona.

A frequentação na exposição durante a primeira semana foi de cerca de 400 visitas por dia, um número expressivo. “O Brasil, por tudo o que passamos e continuamos a passar, tem gerado uma enorme curiosidade do público internacional. Os visitantes perguntavam não só sobre os fotógrafos, mas também sobre a atualidade brasileira. Foi uma ótima oportunidade de diálogo com o público e com outros fotógrafos do evento”, conta Ioana.

Elo fotográfico

“É importante criar, fortalecer esse link que já existe desde da época de Dom Pedro II entre Brasil, França e a fotografia brasileira. Temos grandes nomes, mas queremos abrir espaço para uma fotografia rica, jovem, moderna e contemporânea”, diz Gláucia.

“What’s going on in Brazil” fica em cartaz na Fundação Manuel Rivera-Ortiz, em Arles, até 22 de setembro de 2019.

 

Hong Kong: Impacto internacional limita riscos de novo massacre pela China, diz professor

Brasileiro propõe Notre-Dame com cobertura leve em vitrais: “Risco estrutural é real”

“Somos seres humanos como Bolsonaro”, diz índio brasileiro no Festival de Locarno

“Países que praticaram políticas de privatização do ensino nunca chegaram a esse nível”, diz professora da Unirio, que participa do protesto pela educação no Brasil

Após turnê europeia, cantor Dienis retorna ao Brasil com “Lua Cheia”

Filme de brasileira concorre a prêmio no Festival de Locarno tocando em feridas abertas da colonização amazônica

Paulo Artaxo: limitar aquecimento global a 2°C é “praticamente impossível”

Não há risco de epidemia de malária vinda da Venezuela, mas de sarampo sim

Brasil vive "tentativa de imbecilização coletiva”, diz filósofo português

Arles: festival de fotografia mostra trabalho de Pedro Kuperman e indígenas Ashaninka, do Acre

“Aliança militar com EUA é coerente com projeto de submissão do Brasil”, diz pesquisador da UNESP

Ao dar "bolo" em chanceler francês, Bolsonaro mostra que não tem postura de presidente, analisa cientista político

“O sistema judiciário se tornou espaço de disputas políticas”, diz juiz Rubens Casara

Discurso de governo para explorar terras indígenas legitima invasões, alerta organização indigenista

“A sociedade diz todos os dias como uma mulher negra tem que se comportar”, afirma cantora Tássia Reis, em turnê na Europa

Demônios da Garoa se apresenta pela primeira vez na Europa em festival que homenageia São Paulo

“Workaholic”, Balzac tinha a pulsão de retratar a França do século 19, diz pesquisadora

“Foi o jornalismo que me preparou para a música”, diz a cantora Letícia Maura