rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Linha Direta
rss itunes

Festival de Cinema de Locarno tem filmes sobre índios e negros no Brasil

Por RFI

Começa nesta segunda-feira (7) o 72° Festival de Cinema de Locarno, no sul da Suíça, o segundo mais antigo evento cinematográfico no mundo, logo depois da Mostra de Veneza. A presença brasileira continua forte, com filmes sobre a experiência indígena e negra.  

Rui Martins, do Festival Internacional de Cinema de Locarno.

Neste ano, é grande a importância desse Festival para o Brasil, pois ocorre logo após as transformações feitas na Agência Nacional do Cinema (Ancine), o órgão oficial brasileiro que promove e regula o cinema nacional. Com a mudança, essa instituição deixou de ser vinculada ao Ministério da Cultura, agora inexistente, e foi transferida para o Ministério da Cidadania.

Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro fez novas afirmações sobre um possível “filtro” de seleção de roteiros antes de obterem subvenções. A nova diretora do festival, Lili Hinstin, manifestou sua preocupação diante desse contexto, pois “isso se insere na preocupação mundial em favor da liberdade de criação”. A presença em Locarno de produtores de todo o mundo irá permitir uma troca de informações entre eles sobre a situação brasileira.

Participam da competição internacional um longa-metragem e dois curtas. Um deles é “A febre”, de Maya Da-Rin, cineasta carioca com mestrado em cinema na universidade Sorbonne, em Paris, e com experiência na Escola de Cinema de Cuba. O filme conta a história de um índio já "civilizado", que trabalha como vigia no porto de Manaus. Aos quase cinquenta anos, o índio tem nostalgia da época vivida na floresta.

“A febre” é extremamente atual porque se insere no noticiário brasileiro, publicado na Europa, dando conta da invasão das reservas indígenas por garimpeiros e da intenção do presidente Bolsonaro de quebrar a sacralização das reservas para exploração de ouro e outros minérios. Os espectadores também vão conferir “A Carne”, de Camila Kater, “Chão de rua”, do paranaense Tomás von der Osten, e “Swinguerra”, de Barbara Wagner e Benjamin Burka, na mostra Going Ahead.

Cinema negro em destaque

O Festival de Locarno programou um grande destaque para os filmes que focalizam os negros no Brasil e em outros países. A ideia é mostrar como é "ser negro” dentro de uma “perspectiva internacional de contos do último século", como definiu a diretora Lili Hinstin. Filmes como “Orfeu Negro”, de Marcel Camus, “Amor Maldito”, de Adele Sampaio e “Abolição”, de Zózimo Bulbul promoverão o debate racial no festival.

Esses filmes foram sugeridos pela militante LGBT Janaína Oliveira, do Fórum Itinerante do Cinema Negro, que participará das mesas redondas com o público. Além disso, o Festival de Locarno exibirá na Piazza Grande um curta-metragem de Jean-Luc Godard, “A Carta a Freddy Buache”. Outro destaque é o filme “Notre Dame”, dirigido por Valerie Donzelli e gravado antes do incêndio na catedral, além do longa sobre Diego Maradona, de Asif Kapadia.

Transporte público, bicicleta, cafezinho do próprio bolso: conheça a filosofia finlandesa de respeito ao dinheiro público

Bolívia tenta sair do vácuo de poder e evitar cenário de guerra civil

Sob embalo de vitória de Lula, esquerda latino-americana se reúne em Buenos Aires

Deputados árabes de Israel fazem greve de fome contra violência e inação da polícia

Congresso americano começa a votar trâmite de impeachment do presidente Donald Trump

Ventos semelhantes a furacão colocam Califórnia em alerta máximo contra incêndios

Número de refugiados e migrantes venezuelanos no mundo vai superar em breve o de sírios

Uma pedra no sapato de Bolsonaro: o peronismo volta ao poder na Argentina

Argentina: peronista Alberto Fernández pode vencer eleições presidenciais no 1° turno

Espanha exuma restos mortais de Franco, enterrado ao lado de vítimas da guerra civil

Realizando protestos diários, Catalunha monopoliza debate político antes de eleições legislativas

Evo Morales enfrentará inédito segundo turno na Bolívia e perde controle no Congresso

Elizabeth Warren desponta como a pré-candidata preferida dos democratas

Turquia ignora sanções dos EUA e promete intensificar ataques no norte da Síria