rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França FMI Christine Lagarde Economia

Publicado em • Modificado em

Christine Lagarde anuncia candidatura a segundo mandato no FMI

media
A francesa Christine Lagarde recebeu vários apoio de vários países para sua candidatura a um segundo mandato à frente do FMI. REUTERS/Ruben Sprich

A francesa Christine Lagarde anunciou oficialmente nesta sexta-feira (22) sua candidatura a um segundo mandato como diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI). A instituição anunciou ontem que deve designar o nome do próximo chefe até o início de março.


A ex-ministra da Economia da França teve o apoio de diversas lideranças para continuar no cargo, entre elas, o governo norte-americano, os ministros das Finanças britânico e alemão, George Osborne e Wolfgang Schäuble, e o primeiro-ministro francês, Manuel Valls.

Durante a participação do premiê da França no Fórum Econômico de Davos, Valls não poupou elogios a Lagarde. "Christine tem a visão, a energia e a inteligência para contribuir à gerenciar a economia mundial nos próximos anos", declarou.

A francesa, que sempre demonstrou timidez diante dos elogios, tentava há algum tempo acabar com os rumores sobre uma possível candidatura. "As declarações do vice-presidente dos Estados Unidos [Joe Biden] outro dia, em um discurso público, foram extremamente elogiosas, e quase embaraçosas. O secretário do Tesouro [Jacob Lew] disse que espera seguir trabalhando comigo", declarou recentemente.

Apesar do forte apoio, Lagarde é acusada de negligência no chamado "caso Tapie", um dos vários escândalos de corrupção do governo Nicolas Sarkozy. Em 2008, o país repassou € 403 milhões ao empresário francês Bernard Tapie, amigo do então presidente, pelos alegados prejuízos sofridos na venda da Adidas para o banco francês Crédit Lyonnais. A diretora-gerente do FMI era ministra da Economia na época e sempre alegou inocência.

França planejaria indicar outro candidato

De acordo com o jornal francês Le Canard Enchaîné, o atual governo francês cogitava sugerir um outro candidato à sucessão de Lagarde, o franco-marfinês Tidjane Thiam, presidente do banco francês Crédit Suisse. Mas o próprio Thiam desmente a informação.

O mandato de Lagarde termina em julho. Contudo, o FMI garante que até o final do mês de março, o nome de seu próximo diretor-geral será anunciado.