rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Opep Petróleo

Publicado em • Modificado em

Arábia Saudita e Iraque se compromentem a reduzir produção de petróleo

media
Poço de petróleo perto de Nefteyugansk, na Rússia (4/8/16). REUTERS/Sergei Karpukhin

Arábia Saudita e Iraque, líderes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), se comprometeram nesta quinta-feira (10) a fortalecer os cortes na produção, diante de um relatório decepcionante do cartel sobre o mês de julho.


A promessa dos dois países, os maiores produtores do grupo, foi feita após uma reunião de ministros do setor em Jidá. O ministro de Energia saudita, Khalid al-Falih, e seu equivalente iraquiano, Jabbar al-Luaybi, também prometeram garantir a coordenação das políticas de petróleo de suas nações, de acordo com a Saudi Press Agency.

A Opep e outros produtores, como a Rússia, fizeram um acordo de redução da produção em novembro, estendido até março de 2018, para reduzir os estoques mundiais e ajudar a aumentar o valor da commodity.

Pacto não leva à redução da produção

Apesar do pacto, a produção de petróleo dos membros da Opep teve leve alta em julho, inclusive na Arábia Saudita, que capitaneou os esforços do cartel e de seus aliados para cortar o fluxo da commodity.

A produção dos 14 membros do cartel chegou a 32,87 milhões de barris ao dia em julho, de acordo com fontes secundárias. Em junho, a média tinha sido de 32,69 milhões.

O não cumprimento da redução da produção por parte de alguns membros  levantou dúvidas sobre a capacidade do cartel de garantir o acordo.

Preço do petróleo despenca há três anos

As economias da Arábia Saudita e do Iraque têm sofrido muito com a redução dos preços da commodity desde 2014.

A visita de Luaybi simboliza uma reaproximação entre Riade e Bagdá. O reinado quer ampliar sua influência na política iraquiana e reduzir a expressão do Irã, seu maior rival regional.