rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

União Europeia Comissão Europeia Monsanto Bayer

Publicado em • Modificado em

UE abre investigação sobre a compra da Monsanto pela Bayer

media
Ativistas protestam contra a fusão da Bayer com a Monsanto em frente à Comissão Europeia, em Bruxelas, em 30 de março de 2017. REUTERS/Eric Vidal

A Comissão Europeia anunciou nesta terça-feira (22) a abertura de uma investigação profunda sobre a compra da multinacional de biotecnologia Monsanto pelo grupo alemão de farmácia e agroquímica Bayer, devido à preocupação de que isso vá reduzir a concorrência em alguns produtos.


"Temos de garantir uma concorrência efetiva para que os agricultores possam ter acesso a produtos inovadores, melhor qualidade e compra de produtos a preços competitivos", declarou a comissária europeia de Concorrência, Margrethe Vestager.

O projeto de aquisição da Monsanto pela Bayer por US$ 66 bilhões, anunciado em setembro de 2016, "supõe a criação da empresa integrada mais importante do mundo nos setores de pesticidas e sementes", enfatizou a Comissão em um comunicado.

O acordo entre as duas empresas provocou críticas de grupos ambientais, devido à longa história da Monsanto de promover culturas geneticamente modificadas.

Empresas são concorrentes

A Comissão Europeia manifestou a sua preocupação pelo fato de a Bayer produzir uma das poucas alternativas ao produto glifosato, da Monsanto, que é o herbicida não seletivo mais vendido na Europa. Também observou que ambas as empresas têm grandes quotas de mercado em sementes de vegetais e várias culturas de campo e que seus produtos competem entre si.

O organismo europeu também disse que a Bayer é uma das poucas concorrentes da Monsanto em vários mercados para o desenvolvimento de traços em plantas, como a tolerância a herbicidas.

As duas empresas haviam se comprometido a resolver algumas destas questões em julho passado. "No entanto, a Comissão considerou estes compromissos insuficientes para descartar as sérias dúvidas quanto à compatibilidade da operação com o regulamento das concentrações da UE", afirmou em comunicado.

A União Europeia já autorizou duas megafusões na agroquímica desde o início do ano, ambas com condições, e disse que tomaria uma decisão sobre a fusão até o próximo 8 de janeiro.

No final de março, Bruxelas autorizou a fusão dos gigantes americanos Dow e DuPont, que dará lugar nos próximos dias à megaempresa DowDuPont, avaliada em US$ 130 bilhões.