rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Estados Unidos Economia Donald Trump Reforma

Publicado em • Modificado em

Reforma fiscal considerada a mais ambiciosa desde 1986 é aprovada nos EUA

media
A dívida pública federal alcançará entre 95% e 98% do PIB em 2027

A Câmara de Representantes aprovou nesta terça-feira (19) uma ampla reforma fiscal, a tempo de cumprir com a promessa do presidente Donald Trump de fazer uma grande diminuição de impostos antes do Natal, embora sua aplicação aconteça em 2018.

 


A reforma teve 227 votos contra 203, antes da adoção definitiva. O Senado, onde o governo tem uma apertada maioria, vai votar na noite desta terça a primeira grande reforma do mandato de Trump, que não recebeu apoio de nenhum democrata.

Veja a seguir cinco principais elementos para compreender a reforma, apresentada como a mais ambiciosa desde 1986:

21%

O imposto federal sobre as sociedades diminuirá de 35% para 21%. Essa é a parte da reforma que Donald Trump confia que sirva para impulsionar o crescimento, embora a maior parte das empresas não pague a taxa completa graças às deduções fiscais.  

US$ 1,45 trilhão

É o custo líquido da diminuição de impostos para as finanças públicas no período 2018-2027, segundo uma comissão parlamentar. Espera-se que o déficit federal cresça e, segundo muitos analistas, a reativação prevista de crescimento não irá gerar o suficiente para compensar totalmente a falta de lucro fiscal.

A dívida pública federal alcançará entre 95% e 98% do PIB em 2027, segundo o Comitê por um Orçamento Responsável, frente aos 91% se mantiver a lei vigente e os 77% atuais.

37%

É a taxa máxima de imposto sobre a renda. A mais baixa ficará em 10%, enquanto a mais alta passará de 39,6% para 37% para as rendas superiores a US$ 600 mil anuais para um casal. Nos Estados Unidos, os impostos são retidos na fonte e, por isso, o governo anunciou que a sua diminuição será refletida nos salários a partir de fevereiro.  

US$ 2.059

Será o poder de compra adicional para uma família de classe média, segundo o presidente da Câmara de Representantes e defensor da reforma, Paul Ryan. Analistas independentes estimam que todos os níveis de renda terão baixa em seus impostos em 2018.  

2026

A diminuição de impostos para os particulares chegará ao fim em 2026 e os legisladores se opuseram a encontrar uma fórmula que a tornasse permanente.

 

(Com agência AFP)