rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Parceria França Acordo Economia Brasil

Publicado em • Modificado em

Grupo francês CNP Assurances pagará € 960 milhões por acordo com Caixa Seguradora

media
CNP Assurances está presente no Brasil há 17 anos. Divulgação

A seguradora CNP Assurances, controlada em grande parte pelo governo francês, anunciou nesta quinta-feira (30) ter assinado um novo acordo de distribuição exclusiva no Brasil com sua parceira Caixa Econômica Federal, segundo banco público do país. A renovação da parceria vale até 2041.


O acordo prevê o pagamento pela CNP Assurances de um valor fixo equivalente a € 960 milhões (R$ 4,65 bilhões) para realizar a transação, indicou o grupo francês em um comunicado. "Os nossos parceiros brasileiros estão muito motivados para que o acordo seja implementado rapidamente", ressaltou Antoine Lissowski, diretor financeiro do CNP, durante uma teleconferência. Ele ressaltou que a conclusão do contrato continua sujeita a diversas obrigações regulamentares.

O pagamento ligado à transação deve ter um impacto de cerca de oito pontos na taxa de solvência do grupo, que era de 198% em 30 de junho de 2018. A CNP Assurances também reafirmou sua meta de crescimento orgânico na receita operacional bruta de pelo menos 5% em 2018.

Brasil segundo mercado do grupo francês

Depois da França, o Brasil é o segundo maior mercado do grupo. O CNP se estabeleceu no país há 17 anos ao fazer uma joint venture, a Caixa Seguros Holding (CSH), com a Caixa Econômica Federal. Em 2017, as receitas geradas no Brasil ( € 5,3 bilhões) representaram aproximadamente 16% da receita total da seguradora francesa, de € 32,1 bilhões.

Este novo acordo diz respeito "a produtos de previdência e empréstimos ao consumidor" que serão transferidos para uma nova entidade criada para este fim pela CNP Assurances e Caixa Seguridade. Essas três filiais estão entre as mais lucrativas no setor de seguros no Brasil.

Na nova estrutura, os direitos de voto serão divididos em 51% para CNP Assurances e 49% para a Caixa Seguridade. Quanto aos direitos econômicos, a seguradora francesa ficará com 40% e a brasileira 60%. Além disso, "a CNP Assurances comprometeu-se a renunciar aos direitos atuais de distribuição exclusiva de sua subsidiária CSH sobre outros produtos de seguros" em imóveis, crédito, poupança, seguro patrimonial, seguro saúde, seguro odontológico "se a comercialização destes produtos passar para outras empresas designadas para esse fim pela Caixa Seguridade", detalhou o grupo francês.

(com informações da AFP)