rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Esporte Automobilismo Fórmula 1 Corrida

Publicado em • Modificado em

Schumacher vai se aposentar definitivamente no final de 2012

media
O heptacampeão mundial de Fórmula 1 Michael Schumacher anunciou o fim da sua carreira nesta quinta-feira, durante uma coletiva de imprensa no Japão. REUTERS/Toru Hanai

Michael Schumacher anunciou nesta quinta-feira que vai encerrar sua carreira esportiva ao final da temporada 2012 de Fórmula 1. Aos 43 anos, o piloto alemão entrou para a história do automobilismo ao conquistar sete títulos de campeão do mundo e vencer um número recorde de 91 corridas.


Todos esses títulos foram obtidos entre 1991 e 2006, primeiro na escuderia Benetton e em seguida na Ferrari. Desde o seu surpreendente retorno às pistas, defendendo as cores da Mercedes, Schumacher subiu somente uma vez ao pódio, este ano em Valência.

Desde a última sexta-feira e o anúncio da escuderia alemã de sua decisão de ceder o lugar de Michael Schumacher ao britânico Lewis Hamilton na próxima temporada, os rumores sobre a aposentadoria do alemão só faziam aumentar.

O piloto colocou um ponto final no suspense nesta quinta-feira em Tóquio, onde participa neste domingo do Grande Prêmio do Japão. "Decidi me aposentar ao final desta temporada, apesar de ainda me sentir capaz de rivalizar com os melhores", disse ele em uma entrevista coletiva à imprensa.

Michael Schumacher já havia se despedido de seus torcedores uma primeira vez, em 2006. Mas quatro anos depois ele voltou à Fórmula 1 ao lado de seu diretor técnico desde a época da Ferrari, Ross Brawn. Apesar de todos os esforços realizados pela escuderia alemã baseada em Stuttgart e da confiança ilimitada depositada no ídolo nacional, Schumacher e Brawn não conseguiram reviver os grandes momentos da carreira deles na Ferrari.

Nesta temporada, o piloto alemão abandonou a metade das 14 corridas disputadas. Os inúmeros choques em que se envolveu fizeram com que mesmo seus admiradores mais fieis começassem a pensar que ele talvez tivesse um problema de vista e que era tempo de abandonar.

Consciente das críticas que acompanharam seu retorno nas últimas três temporadas, Schumacher explicou nesta quinta-feira, com um voz embargada pela emoção, que pretende aproveitar ao máximo seus seis últimos grandes prêmios.

"Ao longo do último mês, eu não tinha certeza de ter ainda a motivação e a energia necessárias para continuar", disse ele. "Eu não sou do tipo que faz algo sem me sentir 100% preparado. Com a decisão que tomo hoje, eu me sinto liberado dessas dúvidas."

"É evidente que não alcançamos nossos objetivos. Mas também é claro que poderei sempre me orgulhar do que realizei ao longo da minha carreira", concluiu o piloto.