rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Fifa Futebol Brasil Copa de 2014

Publicado em • Modificado em

Oficiais da Fifa devem devolver relógios de luxo oferecidos pela CBF

media
Logotipo da Federação Internacional de Futebol (FIFA). SEBASTIEN BOZON / AFP

A câmara de investigação do Comitê de Ética da Fifa estabeleceu um prazo de hoje até o dia 24 de outubro para vários oficiais da entidade devolverem os relógios de luxo oferecidos pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) durante o congresso da entidade, em junho.


A CBF distribuiu durante o evento uma sacola com vários brindes, entre eles, relógios da marca Parmigiani, um dos patrocinadores da Confederação. Os relógios, de um valor estimado em € 20,7 mil cada um (R$ 63,3 mil) foram oferecidos aos 28 membros do Comitê Executivo da Fifa, aos representantes das 32 seleções classificadas para a Copa de 2014 no Brasil e aos 10 membros da Confederação Sul-americana de Futebol, segundo um comunicado divulgado pela Fifa.

A entidade máxima do futebol esclareceu que os brindes, que têm mais que um "valor simbólico ou modesto", são proibidos pelo seu código de ética.

"A CBF não deveria ter oferecido os relógios e os que receberam as sacolas com os presentes deveriam ter verificado se os objetos eram apropriados", indicou a Fifa, pedindo que os relógios sejam devolvidos ou entregues à câmara de investigação.

"A câmara não vai iniciar procedimentos contra os oficiais que terão restituído os relógios Parmigiani ao secretariado da câmara de investigação até, o mais tardar, dia 24 de outubro", explicou a Fifa.