rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Corrida Japão Fórmula 1 Tufão GP

Publicado em • Modificado em

Tufão é ameaça para o GP do Japão neste domingo

media
Mercedes domina treino no Japão. REUTERS/Toru Hanai

Os organizadores do Grande Prêmio do Japão de Fórmula 1, previsto para este domingo (5), foram alertados para a chegada iminente do tufão "Phanfone", que se aproxima do circuito de Suzuka. Segundo os especialistas, o GP será realizado debaixo de chuva e as escuderias devem deixar a cidade até a manhã de segunda-feira.


Os especialistas do serviço de meteorologia Ubimet, presentes em Suzuka, se referem a uma "ameaça iminente" que avança progressivamente com a chegada "quase certa" de chuvas fortes que irão preceder a chegada do tufão na segunda-feira.

"Quando o olho do tufão passar na segunda-feira, vai provocar importantes problemas de transportes, destruição material e deixar feridos", anunciou a Ubimet, que trabalha com todos os circuitos da Fórmula 1, em 19 países.

O serviço de meteorologia prevê que a largada será debaixo de chuva. "É o cenário mais provável", garantem os especialistas. A Ubimet evoca a possibilidade de que o olho do tufão passe diretamente sobre o circuito, o que pode provocar "grandes estragos estruturais" e obrigar as escuderias a deixar Suzuka entre a noite de domingo e a manhã de segunda-feira.

Os técnicos devem embarcar carros e equipamentos em contêineres para a Rússia, onde está programado o próximo GP da temporada, no domingo (12). Não caiu nem um pingo d'água nesta sexta-feira durante a realização da segunda rodada de treinos livres.

Mercedes na frente

Os dois pilotos da Mercedes dominaram os primeiros treinos livres para o Grande Prêmio do Japão de Fórmula 1. À tarde, Lewis Hamilton fez a volta mais rápida no circuito de Suzuka com o tempo de 1 minuto, 35 segundos e 78 milésimos.

A marca é apenas 4 décimos de segundos melhor que a realizada pela manhã pelo seu companheiro de equipe, o alemão Nico Rosberg.

Atrás dos dois pilotos da Mercedes, que parecem intocáveis nesta temporada, vieram o finlandês Valtteri Bottas da Wiliams e o inglês Jenson Button da McLaren. Felipe Massa da Wiliams terminou em 14° lugar.

A segunda sessão de testes foi interrompida duas vezes pela bandeira vermelha na pista. A primeira delas quando Daniel Ricciardo perdeu o controle de sua Red Bull e se chocou violentamente com o paredão de pneus na saída da última curva. Outra interrupção foi a três minutos do final da sessão devido a uma falha do motor Renault da Toro Rosso do francês Jean-Eric Vergne.