rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Suíça Fifa Estados Unidos CBF Corrupção Extradição Propina

Publicado em • Modificado em

Estados Unidos pedem extradição de dirigentes da Fifa detidos na Suíça

media
O ex-presidente da CBF José Maria Marin foi detido pela polícia suíça em uma operação surpresa na véspera da abertura do congresso da Fifa, no final de maio. Tomaz Silva/Agência Brasil

A Suíça anunciou nesta quinta-feira (2) que recebeu os pedidos de extradição para os Estados Unidos dos sete dirigentes da Fifa que estão presos desde o dia 27 de maio, incluindo o ex-presidente da CBF José Maria Marin, de 83 anos.


O envio do pedido formal de extradição é o primeiro passo de um processo que deve ser bastante longo. Agora, a polícia de Zurique deve consultar os presos sobre a extradição e, em seguida, terá 14 dias para tomar uma decisão. Alguns já manifestaram que não desejam ser extraditados aos EUA.

As autoridades suíças definirão ou não a extradição nas próximas semanas, após analisar os termos do pedido americano e os depoimentos dos presos. Qualquer decisão tomada ainda poderá ser objeto de recursos diante de pelo menos mais duas instâncias de tribunais federais suíços. O pedido de extradição está baseado nos mandados de prisão emitidos no dia 20 de maio pelo judiciário de Nova York, que suspeita que os sete cartolas aceitaram propinas em um valor superior a US$ 100 milhões.

As detenções aconteceram na véspera do congresso da Fifa para escolher seu presidente, uma reunião que confirmou no cargo o suíço Joseph Blatter. No entanto, quatro dias depois, Blatter renunciou devido à repercussão negativa do caso. Os sete dirigentes foram acusados de corrupção e lavagem de dinheiro pela justiça americana.