rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Fifa Corrupção Justiça Internacional Futebol

Publicado em • Modificado em

Ex-vice-presidente da Fifa acusado de corrupção paga fiança e é solto

media
Jeffrey Webb (d), alegou inocência e foi libertado após pagamento de fiança milionária. REUTERS/Gilbert Bellamy

Jeffrey Webb, ex-vice-presidente da Fifa, compareceu neste sábado (18) diante da corte de Nova York. Acusado de envolvimento no escândalo de corrupção na Federação Internacional de Futebol, o executivo alegou ser inocente e foi liberado após pagar fiança de US$ 10 milhões. Os demais suspeitos de participação no caso continuam na Suiça e recusam a extradição para os Estados Unidos. 


O executivo é o primeiro dos sete dirigentes da Fifa presos no dia 27 de maio em Zurique a comparecer diante da justiça. Durante a audiência, que durou cerca de 50 minutos, Webb se declarou inocente das acusações de envolvimento no escândalo de corrupção na Federação.

As autoridades norte-americanas aceitaram liberar o suspeito em troca de uma fiança de US$ 10 milhões. O ex-vice-presidente da Fifa, que vive nos Estados Unidos com sua mulher e filho, teve que deixar seu passaporte com o FBI e deverá residir em um local situado em um perímetro de 32 km de distância do tribunal federal do Brooklyn.

Os outros seis dirigentes da Fifa presos em Zurique continuam recusando a extradição. O processo pode levar vários meses. Eles são acusados de terem recebido mais de US$ 150 milhões de suborno durante 25 anos.

Demissão de Blatter

O caso levou o presidente da Federação, Joseph Blatter, a pedir demissão apenas quatro dias após sua reeleição. O suíço foi pressionado após a prisão, dois dias antes de sua reeleição, dos sete dirigentes da Fifa, entre eles o brasileiro José Maria Marin, ex-presidente da CBF, acusados de corrupção. Blatter continua no cargo até a eleição de seu sucessor, que deve ocorrer em 2016.