rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Paris Quénia Maratona Segurança

Publicado em • Modificado em

Quenianos vencem maratona de Paris disputada sob forte esquema de segurança

media
Cyprian Kotut foi o grande vencedor da 40ª maratona de Paris disputada neste domingo. REUTERS/Benoit Tessier

O queniano Cyprian Kokut venceu neste domingo (3) a 40ª edição da maratona de Paris ao concluir o percurso em 2 horas, 7 minutos e 10 segundos, à frente de outros dois corredores do país: Laban Korir e Stephen Chemlany. Na prova feminina, nova vitória do Quênia. Visiline Jepkesho completou a corrida em 2h25minutos e 53 segundos, surpreendendo as favoritas etíopes.


Após 35 quilômetros, a disputa pelo título masculino ficou restrita a um grupo de oito corredores. O etíope Gebretsadik Abraha chegou a liderar a prova, mas nos últimos três quilômetros Kotut, que disputou a segunda maratona na carreira tomou a dianteira e cruzou a linha de chegada em primeiro no Arco do Triunfo.

"Eu não sabia se devia acelerar ou não, porque não conhecia bem o formato da corrida. Eu queria apenas bater meu recorde pessoal (2h08:55 no ano passado em Milão)", disse. Com o objetivo cumprido, Kotut estabeleceu como próxima meta baixar seu tempo para 2h04. O queniano disse também ter esperança de ser convocado para disputar as Olimpíadas no Rio de Janeiro.

Com o resultado, Kokut, de 24 anos, vence no mesmo ano as duas principais provas de rua da capital francesa, já que ele foi o vencedor da meia maratona disputada no mês de março.

Na prova feminina, Visiline Jepkesho soube se impor diante de duas competidoras da Etiópia consideradas favoritas. Terceira colocada na maratona passada, ela chegou à frente de Gulume Chala ( 2h26:14) e de Dinknesh Tefera (2h28:12).

Visiline Jepkesho cruzou a linha de chegada em primeiro e foi campeã da maratona de Paris. REUTERS/Benoit Tessier

Forte esquema de segurança

A maratona de Paris está sendo realizada sob fortíssimo esquema de segurança devido aos atentados de novembro, em Paris, e de março, em Bruxelas.

Segundo os organizadores da prova, dos 57 mil inscritos, 46.200 atletas de 160 nacionalidades retiraram suas credenciais para a prova. Essa diferença está dentro da média registrada nos últimos anos. Cerca de 10 mil corredores desistem de participar da prova por problemas de saúde ou de agenda.

No entanto, a imprensa francesa constatou uma menor presença do público que costuma presenciar e encorajar os atletas ao longo do percurso e na reta final da prova, apesar do tempo bom e ensolarado em Paris neste domingo.