rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Imprensa Atletismo Repercussão Rio 2016

Publicado em • Modificado em

Lavillenie evoca "clima de m****" no estádio olímpico no Rio

media
Renaud Lavillenie ficou decepcionado com a torcida brasileira na Rio 2016. Adrian DENNIS / AFP

Os franceses amanheceram nesta terça-feira (16) ouvindo no rádio e na TV as críticas do atleta francês Renaud Lavillenie, que perdeu o ouro para Thiago Braz no salto com vara. O comportamento da torcida brasileira no Engenhão causa polêmica mais uma vez. Os comentaristas franceses estão escandalizados com as vaias ao atleta tricolor durante a prova.


O campeão olímpico Renaud Lavillenie (Londres 2012) era favorito absoluto ao bi. Ele só não contava com o ruído da torcida brasileira e com o efeito que saltar em casa teve sobre Thiago Braz.

Em entrevista à rádio France Info, longe dos repórteres brasileiros, Lavillenie se soltou:

"Eu fiz tudo o que era para fazer, seria difícil fazer melhor. Faltou um pouco de sorte no salto de 6,03 metros, mas isso é o esporte. Thiago fez uma prova e um salto incríveis, no bom momento, quanto a isso não há nada a dizer. Ele foi muito bem. Eu só estou muito decepcionado e frustrado com o 'clima de merda' no estádio. É a primeira vez em 10 anos de esporte de alto nível que eu sou vaiado num estádio olímpico, onde normalmente são os valores de respeito e fair-play que dominam. Infelizmente, não houve nenhum respeito pelos concorrentes do Thiago. Temos realmente um público de futebol no Brasil e eu paguei as consequências. Não foi por isso que eu perdi; Do ponto de vista esportivo, eu marquei presença e isso é importante. Estou feliz com a medalha de prata."

"Forças místicas num país estranho"

O jornal Le Monde revela que o treinador do atleta francês, Philippe d’Encausse, acha que Thiago Braz "contou com a ajuda de forças místicas, talvez do candomblé", segundo declarou a repórteres franceses no Rio. O coach afirmou que o Brasil é "um país estranho", mas o comentário foi feito com um certo grau de admiração, assinala Le Monde.

A agência AFP, por outro lado, afirma que Lavillenie perdeu uma boa ocasião de ficar de boca fechada quando comparou o público do Engenhão aos alemães nazistas que vaiaram Jesse Owens, um negro americano, na Olimpíada de 1936, em Berlim. "Essa declaração polêmica foi amplamente comentada nas redes sociais e Lavillenie foi obrigado a se desculpar pelo Twitter", escreve a AFP

O site Huffington Post diz que Lavillenie vai deixar o Rio de Janeiro "triste" e promete vingança aos brasileiros caso Paris vença a disputa para as Olimpíadas de 2024.

O jornal gratuito 20 Minutos, distribuído no metrô, diz que os franceses vão passar "os próximos mil anos" se questionando como a medalha de ouro pôde escapar das mãos de Lavillenie, grande favorito da prova até encontrar pela frente Thiago Braz e um Engenhão eletrizado.