rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Estilista Azzedine Alaïa morre aos 77 anos em Paris

Denúncia Joseph Blatter Fifa assédio sexual

Publicado em • Modificado em

Blatter chama de "ridícula" acusação de assédio sexual de jogadora americana

media
A goleira da seleção feminina de futebol dos Estados Unidos, Hope Solo, durante jogo contra a Suécia, na Olimpíada do Rio, em 12 de agosto de 2016. AFP

A jogadora de futebol dos EUA Hope Solo acusa ex-presidente da FIFA, Joseph Blatter, de assédio sexual. A estrela do futebol feminino americano afirmou nesta sexta-feira (10) ao jornal português Expresso que Blatter passou a mão nela durante a cerimônia da Bola de Ouro de 2012, realizada em 7 de janeiro de 2013. O ex-presidente da FIFA chamou neste sábado (11) a acusação de “ridícula e absurda”.


A goleira da seleção feminina futebol dos EUA, de 36 anos, disse que Blatter, de 81 anos, a assediou quando ela estava prestes a entregar o prêmio Bola de Ouro a sua colega Abby Wambach, na cerimônia em Zurique, Suíça. "Sepp Blatter passou a mão na minha bunda, foi há alguns anos na cerimônia da Bola de Ouro, pouco antes de eu entrar no palco", disse Hope Solo ao Expresso. A jogadora, vencedora da Copa do Mundo e duas vezes campeã olímpica, fez as acusações às margens da Web Summit, realizada em Lisboa.

Ela disse ainda que o assédio sexual era um problema comum no futebol feminino. "Eu vi isso durante toda a minha carreira e gostaria de ver mais atletas falando sobre suas experiências", declarou Solo. Ela acredita que o problema está fora de controle em todos os lugares e não apenas em Hollywood, numa referência à avalanche de denúncias provocada após o escândalo envolvendo o produtor Harvey Weinstein.

Blatter contesta

O ex-presidente da Fifa, Sepp Blatter, enviou nestesábado uma declaração à AFP. Ele considera "ridícula e absurda" a acusação de assédio sexual feita contra ele por Hope Solo.

Blatter foi presidente da FIFA de 1998 até 2015, quando foi banido da instituição máxima do futebol internacional por corrupção.