rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Copa do mundo Futebol Brasil Rússia

Publicado em • Modificado em

Tite evita analisar adversários da Copa e foca em "consolidar" seleção

media
"O mais importante, a essência, é o Brasil se consolidar e crescer", disse Tite em Moscou em 1° de dezembro de 2017. RFI/Tiago Leme

Suíça, Costa Rica e Sérvia, nesta ordem, serão os adversários do Brasil na primeira fase da Copa do Mundo de 2018. Logo após o sorteio realizado nesta sexta-feira (1°) em Moscou, o técnico Tite evitou fazer uma análise mais profunda do grupo da seleção no Mundial, mas citou o grau de dificuldade que a equipe pode enfrentar.


Tiago Leme, de Moscou para a RFI Brasil

O treinador fez uma relação das constantes variações de níveis dos times, enumerando países que ficaram fora deste Mundial da Rússia, e preferiu focar o seu trabalho na busca por consolidar o crescimento da seleção brasileira.

"Há três Copas a Itália era campeã mundial, e quando eu vi o Cannavaro entrando hoje eu pensei: 'cara, a Itália está fora’. A Holanda, terceira do último Mundial, está fora. Os Estados Unidos, que teve investimento, está fora. O melhor futebol da América do Sul, se nós pegarmos os últimos cinco anos na média, foi do Chile, que está fora. A Costa Rica fez uma grande campanha no Mundial passado. O grau de dificuldade ele pode variar, mas a variável que eu tenho condições de controlar é a equipe fortalecer e crescer", afirmou o comandante brasileiro, que acrescentou:

"O mais importante, a essência, é o Brasil se consolidar e crescer. Esse aspecto é importante: nós olharmos para nós, para as variações táticas que se pode estabelecer, o respeito e as adaptações ao adversário, mas principalmente esse fortalecimento nosso".

Ouça a entrevista com Tite: 01/12/2017 Ouvir

A estreia do Brasil da Copa da Rússia será contra a Suíça, no dia 17 de junho, em Rostov-sur-le-Don. Na sequência, o adversário será a Costa Rica, dia 22, em São Petersburgo. O terceiro e último jogo da fase de grupos será diante da Sérvia, dia 27, em Moscou.

No Mundial de 2014, os suíços avançaram até as oitavas de final e só foram eliminados pela Argentina na prorrogação. Questionado sobre as características defensivas da equipe que vai enfrentar na primeira partida, Tite destacou a qualidade individual de alguns atletas que atuam em clubes fortes do futebol europeu.

"A Suíça tem alguns jogadores importantes que tenho acompanhado. Claro que não dá para acompanhar todos, é humanamente impossível. Mas você tem o Lichtsteiner que é top, da Juventus, tem Xhaka que é do Arsenal de muita qualidade, tem Shaqiri que independentemente de estar no Stoke, tem muita qualidade. Uma equipe que eliminou a Irlanda, com uma exigência alta. Enfim, o grau de dificuldade vai haver", disse o técnico.

Risco de pegar Alemanha

Caso avance para as oitavas de final, a seleção brasileira terá pela frente um time do F, que tem Alemanha, México, Suécia e Coreia do Sul. Portanto, um reencontro com os alemães poderiam acontecer logo na segunda fase do Mundial. Tite admitiu que já tinha observado esta possibilidade, mas também não quis citar qualquer revanche.

"Claro que eu viajo, é lógico, é humano, tu ficas produzindo essa situação. Mas aí também já viajei, eu falando pra mim mesmo, dois Tites falando, 'fica aqui concentrado no que tu podes administrar e trabalhar na tua excelência, fazer o teu melhor trabalho, consolidar, acompanhar os atletas, ser justo nas convocações'. Isso eu posso fazer, depois vamos ver qual será o jogo", finalizou.