rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Futebol Mundial de Clubes FIFA Cristiano Ronaldo

Publicado em • Modificado em

"Grêmio não veio aqui para comer churrasco", avisa Renato Gaúcho

media
Renato Gaúcho, campeão da Toyota Cup em 1983 pelo Grêmio, quer o seu bi do Mundial. REUTERS/Amr Abdallah Dalsh

O técnico do Grêmio, Renato Gaúcho, admitiu nesta sexta-feira (15) que o Real Madrid tem grandes jogadores, mas advertiu que a equipe gaúcha está preparada para enfrentar a partida da final do Mundial de Clubes da Fifa.


"Um jogador de futebol tem que estar preparado para tudo. O Grêmio se preparou e impressionou por ter um dos melhores jogos do Brasil. O Real Madrid tem grandes jogadores, mas o Grêmio está preparado para enfrentá-lo", disse o técnico brasileiro.

"O Real Madrid é o favorito, mas o Grêmio não veio para tomar vinho ou comer churrasco. Veio para jogar e brigar. Vamos dar tudo e o time vai suar a camisa", explicou.

Renato insistiu que o Grêmio tem muita vontade de levar o título e vai dificultar o Real Madrid.

"O que o Real Madrid quer a gente também quer conquistar. Vamos enfrentar um grande adversário. Vamos fazer de tudo para ganhar o Mundial", acrescentou.

Comparação com Cristiano Ronaldo

Renato insistiu que quando era jogador era tão bom ou melhor que Cristiano Ronaldo.

"Mantenho o que disse. Cristiano Ronaldo é um dos melhores jogadores do mundo, tem grandes qualidades. Tenta quebrar seus recordes, o admiro. É generoso e tem muitas qualidades. Mas muita gente só viu o Ronaldo jogar. Tenho grande admiração por Ronaldo, mas eu também tinha grandes jogos", indicou.

Renato indicou que contra o Real Madrid não vai mudar a tática e vai continuar jogando de maneira ofensiva.

"Temos respeito pelo Real Madrid, mas o Grêmio também tem seus pontos fortes. Meu time respeita qualquer rival, mas o Grêmio tem sua maneira de jogar e tem pouco tempo para mudar essa maneira", afirmou.

"Procurei implantar um futebol ofensivo, com muita confiança e responsabilidade. Os jogadores recebem muitas instruções normalmente e chegam com muitas coisas na cabeça. Eu só digo quatro coisas elementares para que tenham claro o que precisam fazer. Assim conseguimos um futebol bonito, ofensivo e que gostamos. Se foi elogiado em todo o país, é que existe algo de verdade", concluiu.

(Com agência AFP)